Controlador e controlado

Estadão

18 de dezembro de 2006 | 14h46

Alguma vez você já quis tanto uma coisa, mas tanto, que não sossegou
enquanto não conseguiu? E aí, quando você finalmente chegou lá, percebeu que não era exatamente aquilo que você tanto queria?

A idéia veio de um trecho da letra de ‘True Happiness This Way Lies’, da banda inglesa The The. Você se reconheceu? Pois é. Aposto que muita gente também. Outro trecho da música diz: “Um dia você ainda vai ser minha. Mas assim que eu te abraçar forte, vou olhar por cima dos seus ombros e procurar alguém novo”.

Eu sei, é cruel… mas é verdadeiro para muita gente. E não é uma coisa só de homens, como você pode estar pensando. Isso vale para gente que nunca está satisfeita com o que tem, seja homem, mulher ou gay. Para ambos do casal ficarem felizes, é preciso haver um equilíbrio das forças, uma bela equação não escrita em que o X e o Y são determinados pela influência que um exerce sobre o outro.

E aí nasce a relação ‘controlador-controlado’: alguém do casal controla o
relacionamento, e o outro aceita a condição de controlado. Um sempre acha que poderia encontrar alguém ‘melhor’ na vida; o outro abre mão de tudo para manter o relacionamento. Mas esta distorção não é o pior: o
que acaba com o romance é o controlador que nunca se satisfaz, ou o
controlado que cede tanto que acaba perdendo sua individualidade e passa a viver apenas para o outro.

O conceito de ‘cara-metade’ é muito bonito no papel, a idéia de “duas
pessoas que se completam na mesma proporção”. Pena que uma das caras sempre ocupa mais do que a metade do espaço. E daí aparece a ‘cara-1/3’,
‘cara-1/4’… depende de quanto cada um exige, depende de quanto cada um
oferece.

O ideal – se é que existe a palavra ideal no amor – é o equilíbrio. Se você é controlador, tente tomar menos decisões. Se você é do tipo mais
controlado, fale um pouco mais alto na hora de dizer o que você quer. Como dizem na política (quer coisa mais política que relacionamento?), a virtude está no centro.

Se no seu caso você não consegue dizer quem é o controlador e quem é o
controlado do casal, tenho uma sugestão: é só ver quem fica com o controle remoto da TV.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.