Coldplay na colina das violetas

Estadão

29 de abril de 2008 | 11h59

coldplay novo

Para quem é fã do Coldplay, como eu, várias novidades: já é possível baixar ‘Violet Hill’, o single do novo disco, sem pagar nada. É só ir até o site oficial da banda e fazer o download no link ‘song’. Mas é bom ser rápido: a música só ficará disponível durante uma semana.

‘Violet Hill’ é maravilhosa: tem o estilo tradicional do Coldplay, com um teclado marcante ao fundo, mas também traz alguns riffs de guitarra mais pesados, meio dissonantes até, na base. A música tem uma levada bem Beatles, com aquela melodia que vai de ‘MI’ para ‘DÓ’ e cria um clima todo dramático, com Chris Martin cantando o refrão em falsete. Aqui vai um trechinho da letra:

Violet Hill

It was a long and dark december
In the roof tops I remember
That was snow
White snow

Clearly I rememeber
From the windows they were watching
While we’ve flown
Down below

If you love me
Won’t let me know?
If you love me
Why would you let me go?

I took my love down to Violet Hill
There we sat in snow
All that time she was silent and still
If you love me won’t let me know?

A colina das violetas

(Era um longo e escuro dezembro
No alto dos telhados eu me lembro
Havia neve
Neve branca

Claramente eu me lembro
Das janelas eles nos assistiam
Enquanto a gente voava
Até lá embaixo

Se você me ama
Você não vai me deixar saber?
Se você me ama
Por que você me deixaria ir?

Eu levei meu amor para a colina das violetas
Lá nós nos sentamos na neve
Todo o tempo ela ficou quieta e parada
Se você me ama, não vai me deixar saber?

tradução meio livre, claro)

Com lançamento agendado para dia 17 de junho, o quarto disco da banda de Chris Martin se chama ‘Viva La Vida’ e foi batizado em homenagem a uma pintura de 1954 da artista mexicana Frida Kahlo (reprodução abaixo). O quadro está no museu Frida Kahlo, na cidade do México, local que já tive o prazer de conhecer e que também é conhecido como ‘Casa Azul’. O museu, na verdade, era a casa onde a pintora morava com o também artista Diego Rivera, seu marido. Quem quiser saber mais sobre Frida Kahlo deve fazer um curso de história da arte ou simplesmente alugar o DVD ‘Frida’, com Salma Hayek no papel da artista problemática, doente… e bigoduda.

Essa não é a única referência artística do novo Coldplay: a capa do disco é inspirada em outro quadro, a pintura ‘Liberdade Guiando o Povo’, do francês Delacroix (acima). O quadro está no Louvre (onde também tive o imenso prazer de vê-lo, talvez o quadro mais lindo do museu) e foi pintado em 1830.

Por falar em Chris Martin, lembrei de uma história engraçada que aconteceu no ano passado, quando a banda esteve em São Paulo há um ano. Um repórter do JT, meu amigo Marco Bezzi, estava na coletiva e resolveu perguntar para Chris Martin, que é casado com a atriz Gwyneth Paltrow, uma questão sobre cinema. Como Chris Martin é meio esquentadinho e proíbe perguntas pessoais, ele respondeu de maneira bastante grosseira. A seguir, o diálogo surreal:

“Mr. Chris Martin, o senhor é casado com a atriz Gwyneth Paltrow… quais são os seus três filmes preferidos dela?”

“Hummm… bem, você pode me dizer qual é sua posição sexual preferida? Pois é, aposto que você também não gosta de falar da sua vida pessoal.”

Exagero, não?

Voltando à música, o álbum novo do Coldplay tem dez faixas gravadas em Londres, Barcelona e New York com produção de duas feras: Brian Eno (U2, David Bowie, Talking Heads, Roxy Music) e Markus Dravs (Björk, Arcade Fire). O setlist é o seguinte:

1. Life In Technicolor
2. Cemeteries Of London
3. Lost!
4. 42
5. Lovers In Japan/Reign Of Love
6. Yes
7. Viva La Vida
8. Violet Hill
9. Strawberry Swing
10. Death And All His Friends

Se você for fã, mas fã mesmo, também já pode comprar a passagem aérea para um dos dois shows gratuitos que a banda vai fazer em junho: dia 16, na Brixton Academy, em Londres; ou dia 23, no Madison Square Garden, em Nova York. Mais informações no site oficial.

vivalavida

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.