Campanha: deixem a Miss Estados Unidos sair na balada em paz

Estadão

20 de dezembro de 2006 | 17h49

Miss Usa

A Miss Estados Unidos 2006, Tara Conner, tem sido criticada pelos organizadores do concurso Miss Universo. Motivo? Ela é muito ‘baladeira’ (bem, não existe desperdício maior do que morar em Nova York e não sair na balada todos os dias).

Os organizadores do Miss Universo deveriam calar a boca e agradecer a Tara Conner por desfilar sua beleza e seus 21 aninhos pelo maior número possível de locais. Ela é muito, muito gata, e merece se divertir o quanto quiser. Não é meio óbvio? Às vezes o puritanismo americano atinge níveis absurdamente ridículos.

Sabe quem resolveu ajudar a garota, que podia até perder o título? Donald Trump. Que bonzinho, não é? Ainda bem que ele não tem segundas intenções com a moçoila do interior. O ‘homem das oportunidades’ não é apenas dono do melhor(pior) penteado do mundo: ele é dono do concurso Miss Universo. E justificou a ‘má conduta’ da garota pelos bares de Nova York assim: “Tara deixou uma cidade pequena em Kentucky e me disse que se deixou influenciar pelos ‘ares’ de Nova York. É uma história que já se passou diversas vezes com outras mulheres e homens que vêm à cidade”. Resumindo: ele não disse ‘você está demitida’ para a Miss USA e ela vai poder continuar saindo na balada em Nova York.

Alguém pode me informar se os aeroportos voltaram a funcionar?

Trump e Tara

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.