Batucando no supermercado

Estadão

25 de janeiro de 2008 | 17h45

Tamboritau

Sempre gostei de percussão. Acho divertido descobrir o som que uma coisa tem quando a gente bate nela. Adoro batucar em qualquer coisa, do volante do carro ao travesseiro, antes de dormir. Não faço isso compulsivamente, claro, porque senão minha mulher teria que me internar.

Faz tempo que não vejo um percussionista tão apaixonado pelo que faz como Dalua, líder de uma banda nova chamada Tamboritau e músico que já tocou com nomes como Lenine, Ana Carolina e Maria Rita. Na última quinta-feira, vi a apresentação do Tamboritau no Espaço Cultural Juca Chaves, um teatro localizado num lugar super inusitado: dentro do supermercado Extra, no Itaim. Ué, não tem teatro em shopping? Então por que não num supermercado? Só em São Paulo, mesmo.

O Tamboritau toca um repertório de clássicos da MPB como ‘Parabolicamará’ e ‘Todo Dia era Dia de Índio’, mas com uma superdose de percussão. Dalua e sua turma ficam batendo e tirando sons de vários objetos espalhados pelo palco, é bem interessante do ponto de vista musical e visual. A banda tem guitarra, cavaquinho, baixo e trombone; não tem uma bateria tradicional, apenas tambores e instrumentos de percussão. Meio Chico Science, sabe? Legal.

(Pausa para batucar um pouco na mesa)

Acho que vou pedir uns objetos emprestados para o Dalua. Assim eu não estrago nada por aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.