Ainda existe amor no mundo (um post inútil)

Estadão

27 Março 2007 | 19h09

Peço desculpas pela inutilidade deste post. Ele não acrescenta nada (como se os outros acrescentassem) e não tem graça nenhuma, a não ser para mim. Mas como dizem que blog ‘é, tipo assim, um diário’, aqui vai.

Ontem liguei meu celular pela manhã e vi que havia recebido uma mensagem de texto. Fui checar o que era e me surpreendi com o que vi:

‘Eu te amo.’

E só. Como não reconheci o número de quem enviou, fiquei meio cabreiro. “Será que alguma fã descobriu meu celular?”, pensei, mas daí lembrei que não tenho nenhuma fã. Depois imaginei que poderia ser uma piadinha de mau gosto de algum amigo meu, só para me complicar com minha mulher. Para tirar a dúvida, esperei um pouco e liguei para o celular que havia enviado a mensagem.

Atendeu um cara. “Quem fala?”, perguntei. “Ronaldo”, o cara respondeu. Não conheço nenhum Ronaldo. “Você me ligou, por acaso? Meu nome é Felipe.” “Não conheço nenhum Felipe”, ele respondeu, meio grosseiro. “É que eu liguei meu celular essa manhã e vi que tinha uma mensagem de texto enviado por esse telefone”, expliquei. “Não sei de nada”, ele retrucou. “Obrigado, tchau.” Obrigado por nada, eu devia ter dito.

Deve ter sido um erro da operadora, pensei. E se minha mulher tivesse lido a mensagem? Por um lado seria bom: eu levaria um divórcio litigioso na cabeça, mas ficaria milionário com a indenização da operadora. Porque se tem algo que vale um processo, é um erro desses. Já estava até pensando nos valores quando tocou o meu celular.

“Oi, aqui é o Ronaldo.”
“Ronaldo? Ah… oi, Ronaldo.”
“Queria te pedir desculpas.”
“Desculpas? Por que, exatamente?”
“Porque eu mandei a mensagem ‘eu te amo’ para o seu celular.”

Aí é que não entendi nada. Será que o Ronaldo é um gay que gosta de passar trotes românticos para desconhecidos?

“O número do celular da minha mulher é parecido com o seu, e ela me disse que não recebeu nenhuma mensagem esta manhã.”

Estava explicado. Quase que o Ronaldo acaba com o meu casamento, mas pelo menos fiquei sabendo que ainda existem maridos apaixonados nesse mundo. Como eu.