A seleção dos nossos sonhos

Estadão

12 de julho de 2010 | 17h46

Charlize Theron: A sul-africana não jogou a Copa do Mundo, mas merece uma taça

Charlize Theron: A sul-africana não jogou a Copa do Mundo, mas merece uma taça

A Copa do Mundo foi uma festa: homens e mulheres se reuniram em volta da TV para torcer pela Seleção Brasileira. Quando o Brasil foi eliminado pela Holanda, porém, tivemos de arranjar outras razões para continuar curtindo a Copa.

Para os homens foi simples: discutimos esquemas táticos e destaques em campo. Algumas mulheres também mostraram que entendem do assunto, mas outras preferiram ver 22 caras correndo atrás da bola por outras razões: as pernas do Cristiano Ronaldo, os bíceps do Júlio César, e por aí foi.

É por causa delas que eu decidi lançar um contra-ataque no dia seguinte ao último jogo, já mostrando que em 2014 não aceitaremos esse tipo de coisa. Já que a Copa do Mundo feminina ainda não é muito popular, no entanto, escolhi três sul-africanas para a Copa do Mundo dos sonhos de qualquer marmanjo.

No gol, eu escalaria a atriz Charlize Theron. Quer dizer, eu escalaria a Charlizinha (olha a intimidade) em qualquer posição que ela quisesse jogar, inclusive algumas daquele livro tradicional proibido para menores cujas iniciais são K.S.

Charlize não é apenas uma das mulheres mais bonitas da África do Sul, mas do mundo. A atriz nasceu em 7 de agosto de 1975, portanto temos o mesmo signo – o que já é um bom começo. Charlize começou a trabalhar como modelo aos 16 anos, aos 20 fez sua estreia no cinema. Era um filme-B em que ela ficou três segundos em cena e não falou nenhuma palavra (claro, o que ela poderia ter falado em três segundos?). Em 2004, ela ganhou o Oscar pelo filme ‘Monster – Desejo Assassino’. Para mim, ela deveria ter recebido um prêmio por ter conseguido realizar o impossível: ficar feia.

No meio-campo, entraria em campo Nicole Flint, a Miss África do Sul 2009. Ela tem feito sucesso e ganhou até elogios do presidente Jacob Zuma (se bem que isso não é um grande mérito, já que ele é um mulherengo assumido e casado com três mulheres). Nicole também trabalhou como relações públicas e, quando comentei isso com um amigo, ele disse que não veria nenhum problema em manter relações públicas (ou privadas) com ela.

No ataque, a modelo Victoria de Lima. Ela tem 18 anos e está na capa de várias revistas masculinas da África do Sul. Tudo porque ela tem ascendência portuguesa e, daí, a comparam com o Cristiano Ronaldo (comparação ridícula, já que ela é muito melhor). Victoria faz pole dance, aquela dança típica de strip-tease, e confessa que tem uma barra para treinar em casa. Perguntada sobre o que um homem deve fazer para conhecê-la melhor, respondeu: ‘esperar, porque quem espera sempre alcança’. Ou seja, além de stripper, ela é filósofa.

Voltando ao futebol… quem ganhou a Copa mesmo? Ah, é. Parabéns, Espanha!

Tendências: