A maior qualidade que uma mulher pode ter

Estadão

15 de janeiro de 2007 | 12h00

Seios grandes. Pernas bem torneadas. Olhos azuis. Cabelos loiros até a cintura. Bunda da Juliana Paes. Esqueça tudo isso: a maior qualidade que uma mulher pode ter é bom humor.

Não, não estou ficando louco (sempre fui, obrigado). Também não vou dizer que o bom humor exclui alguma das qualidades acima – muito pelo contrário. Uma bela mulher sorrindo é o paraíso.

Mas nenhuma beleza do mundo justifica alguém mal-humorado. Tenho amigos assim que conseguiram se casar – e tenho pena de suas mulheres. Crianças bravinhas são divertidas; adultos ranzinzas são deprimentes.

Ter um senso de humor afiado, apenas, também não adianta nada. Sua mulher pode não achar graça de nada, e você vai ficar rindo à toa – e sozinho. O legal é ter um tipo de humor que ‘bata’ com o dela. Tem gente que ri de tortas na cara; tem gente que ri de caras tortas. Se todos gostassem do Renato Aragão, o que seria do Woody Allen?

Humor é uma coisa que nasce com a gente. Não comigo, infelizmente. Não tenho a menor graça. Não sei por que insisto em contar piadas quando estou numa mesa cheia de amigos, já que geralmente esqueço o final no meio da piada. Bem, ninguém é perfeito (isso não é humor…é ironia).
Ironia, aliás, é minha forma favorita de humor. O duro é que a piada nem sempre dá certo, e às vezes acham que estou sendo pretensioso. Imagine só. Logo eu, o cara mais humilde do mundo.

A palavra ‘ironia’, em grego, significa ‘interrogação’. Sócrates (o filósofo, não o craque do Corinthians) interrogava seus pupilos para mostrar que eles estavam errados. Mas a melhor definição vem do escritor Berilo Neves: “A ironia é uma forma elegante de ser mau”. Genial.
Voltando às mulheres, o ideal é aquela que ri ‘com você’, não ‘de você’. Tem coisa mais gostosa do que gargalhar juntos no café da manhã de segunda-feira? Acredite, isso existe. Mas fuja das mulheres que riem alto. Mulher que ri alto é como mulher de bigode: nem o diabo pode.

A única hora em que ela não pode rir de jeito nenhum é quando você diz ‘eu te amo’. Se isso acontecer, saia correndo. Só tome cuidado para não escorregar numa casca de banana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: