Livro-imagem: uma menina, uma bicicleta e o lanche
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Livro-imagem: uma menina, uma bicicleta e o lanche

Bia Reis

11 de outubro de 2013 | 10h00

Primeiro veio a bicicleta, companheira desde a época em que Vanessa Prezoto morava no interior de São Paulo e usava a magrela para ir para cima e para baixo. Depois, surgiu a ideia de trabalhar a história como se as páginas, abertas, fossem uma só. Na horizontal mesmo, para dar movimento, fluidez à leitura. Apareceu, então, o desejo de falar de coisas simples, do cotidiano. Foi mais ou menos assim que nasceu O Lanche, segundo livro-imagem de Vanessa.

Engana-se quem pensa que o livro-imagem é coisa (só) de criança. Um dos gêneros da chamada literatura infantil que mais se desenvolveram na história recente, ele ganhou este nome por não possuir textos, apenas imagens. É diferente daqueles em que a ilustração apoia ou complementa o texto. Possibilita inúmeras interpretações. É a própria narrativa, mas permite ir além. À primeira vista, O Lanche é simples. Fala de uma menina, que, de bicicleta, vai até a padaria com um gato e um cachorro. Mas pode dizer mais, dependendo dos olhos do leitor. Trata de amizade, companheirismo, das coisas do dia a dia que podem, sim, nos dar prazer.

O livro-imagem não é novo: há registros que datam do século 18. A diferença é que esse tipo de objeto deixou de ser tido como a porta de entrada da criança ainda não alfabetizada no mundo literário. Hoje, encanta os mais variados públicos e é visto como literatura.

Outro engano é achar que a leitura de um livro-imagem é fácil, óbvia. Assim como aprendemos a decifrar as letras, palavras e frases numa história escrita, também é preciso “alfabetizar” o olhar para a narrativa puramente visual. Entender as cores, a técnica, o estilo dos desenhos, o projeto gráfico.

Em O Lanche, Vanessa explorou a textura do papel, com tintas e carimbos. “Aproveitei os rastros que o pastel seco fazem para dar ideia de movimento, com um desenho mais limpo, sem muitos detalhes”, conta. A autora abusou das cores, em tons pouco usuais: o verde virou verde-água; o amarelo, mostarda.

No Brasil, o livro-imagem ganhou espaço e se fortaleceu quando, em 2005, o Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE) passou a selecionar obras do gênero para a rede pública de ensino, atraindo o interesse de editoras e autores. Que venham outros, muitos outros!

Serviço
O Lanche
Autora: Vanessa Prezoto
Editora: Tordesilhinhas
Preço: R$ 28,80

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: