Tempo e companheirismo são temas em novo livro de Marilda Castanha
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tempo e companheirismo são temas em novo livro de Marilda Castanha

Lido em família, a partir de uma relação entre um adulto e uma criança que pararam o tempo para ler, 'A Quatro Mãos' pode ser ninho de esperança

Bia Reis

02 de novembro de 2017 | 09h30

Não há coisa mais difícil de se tratar com uma criança do que a questão do tempo. Elas demoram para elaborar o ontem, hoje e amanhã. Depois, têm de aprender a esperar o final de semana chegar, a viagem de carro acabar e que “é hora de dormir”. Mas há uma questão com o tempo que todos nós, em qualquer idade, sempre nos deparamos: afinal, ele nos é suficiente?

No livro A Quatro Mãos (Cia das Letrinhas), novidade da autora mineira Marilda Castanha – uma das fundamentais artistas de nossa literatura infantojuvenil -, este tempo tem a ver com a companhia. Desde a capa, mãos dadas: primeiro, um adulto e uma criança; depois, um casal e uma criança; na sequência, a criança e o adulto de novo; o pai, uma troca especial de olhares. Nas primeiras páginas com texto da história:

Para viver uma história
Em primeira mão é preciso…
Mãos que afaguem…
Encorajem…
Acompanhem…
E emprestem asas!

Cada linha destas está em uma dupla diferente, com cenas cotidianas de uma criança conhecendo o mundo pelas mãos dos pais. Palavra e imagem se encontram em um jogo de perspectiva do olhar (física e metaforicamente), ora no todo ora no detalhes, feito vida sendo vivida. O ritmo continua, com imagens poéticas do educar: no dizer “não”, nas brincadeiras, na insistência para superar um obstáculo. Enquanto isso… enquanto isso, a vida passa. Muitas vidas passam. Algumas se findam. O que fazer para que valham a pena?

As crianças vão crescendo e aprendendo a entender a passagem do tempo. É tarefa difícil, daquelas de se lapidar a partir da experiência. É algo que acontece a todos, mas bem diferente para cada um. Aqui, temos a história que a Marilda quis nos contar. Nós, leitores, nos ligamos a ela pelos detalhes que identificamos – objetos, gestos, situações – ou simplesmente porque, para nós, também a vida só faz sentido se for de mãos dadas. De mãos dadas via cumplicidade, via um pacto de amor de quem recebe e acolhe de um lado, e de quem respeita e admira de outro. Lido em família, a partir de uma relação entre um adulto e uma criança que pararam o tempo para ler este livro, o A Quatro Mãos pode ser ninho de esperança. Esperança de um tempo em que as relações importem mais do que tudo.

**

Este post encerra um mês de contribuições da Cristiane Rogerio à esta Estante de Letrinhas. Aproveito para agradecê-la pelas conversas, pelos encontros, pela amizade. :o)

Serviço
A Quatro Mãos
Autora: Marilda Castanha
Editora: Cia das Letrinhas
Preço sugerido: R$ 44,90

(Bia Reis e Cristiane Rogerio)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: