Santos Dumont e seus feitos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Santos Dumont e seus feitos

Bia Reis

03 de abril de 2013 | 15h45

A jornalista americana Victoria Griffth logo percebeu a irritação do marido, brasileiro, quando uma das três filhas do casal entrou em casa dizendo que os irmãos Wright eram os pais da aviação. E assim, em meio à discussão familiar, surgiu a ideia de pesquisar e escrever um livro sobre Santos Dumont para crianças.

Lançado em setembro de 2011 nos Estados Unidos, As Fabulosas Máquinas Voadoras de Alberto Santos Dumont chegou recentemente às livrarias brasileiras. “Esta história tem tudo a ver com o Brasil. É como se o livro encontrasse a sua casa”, conta Victoria, com um português perfeito.

No livro, Victoria conta que Santos Dumont adorava sobrevoar Paris com o dirigível que havia inventado e que o tornara um dos homens mais famosos na cidade. “Ele saía de casa com o balão para fazer as tarefas diárias. Eu adoraria isso!”, diz a jornalista, que estreia na literatura infantil. Também fala sobre a amizade de Santos Dumont com Louis Cartier, um inventor de relógios de bolso e joias, e o presente que este deu ao aviador.

Outra história curiosa contada por Victoria é a concorrência feita por Louis Blériot, que afirmava que seria ele o primeiro a voar, não Santos Dumont.

“A história de Dumont é muito inspiradora. Os irmãos Wrigtht queriam voar pelo dinheiro; Dumont, para realizar um sonho. Além disso, a relação com Cartier também é uma inspiração”, diz Victoria.

As ilustrações, feitas pela italiana Eva Montanari, são suaves: os traços são delicados, assim como as cores.

No fim, há um texto escrito pela autora, que explica suas razões para o livro, e fotos de Santos Dumont – em uma delas, de 19 de outubro de 1901, ele aparece dando uma volta com seu dirigível na Torre Eiffel.

Serviço
As Fabulosas Máquinas Voadoras de Alberto Santos Dumont
Escritora: Victoria Griffth
Ilustradora: Eva Montanari
Editora: Fundamento
Preço: R$ 14,90

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.