As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Raquel Matsushita, Ionit Zilberman e a fase dos porquês

Bia Reis

07 de março de 2014 | 15h55

Quem tem crianças por perto sabe que elas são perguntadeiras por natureza. E nós, adultos, enfrentamos essa fase dos por quês de maneiras muito diferentes. Tem gente que se irrita e chega a pedir às crianças que perguntem menos. Outros se divertem, interagem e estimulam ainda mais os questionamentos.

Não Sim Talvez, de Raquel Matsushita e Ionit Zilberman, trata justamente desta fase. As autores contam a história de um menino que descobre que as perguntas não têm, necessariamente, apenas uma resposta. E que gosta principalmente quando as respostas são bem diferentes umas das outras.

Raquel e Ionit recuam no tempo e mostram que nem sempre a vida do garoto foi assim. Antes da descoberta, ele achava que para cada pergunta havia uma única resposta. Simples assim.

As dúvidas do menino eram as mais variadas possíveis:

– Por que nunca vi uma árvore de salada de frutas?

– Por que o cocô é marrom se a comida é colorida?

– Por que o meu pipi parece uma tromba de elefante?

A mãe, pacientemente, respondia, uma por uma. Do seu jeito, sob o seu ponto de vista.

Mas o garoto tinha uma irmã mais velha por perto, que lhe dava outras respostas – algumas possíveis e outras impossíveis. Com base nas respostas da irmã, o garoto passa, então, a reformular suas próprias perguntas.

Já sem tanta paciência diante da confusão do menino, a mãe e a irmã passam dar as famosas respostas-padrão, que não satisfazem em nada a curiosidade das crianças: porque sim, porque não. E o garoto, insistente, retruca:

– E por que não não?

– E por que não sim?

É o menino quem elabora suas dúvidas e, de maneira inteligente, chega às suas próprias respostas.

De um jeito divertido, Raquel mostra que as perguntas fazem parte do processo de crescimento e de amadurecimento- não só das crianças, mas também dos adultos. Afinal, quem se contenta com respostas fechadas, quadradas?

As ilustrações de Ionit são uma delícia. Ela criou um menino perguntador de cabelos vermelhos cheíssimos e óculos azuis que se equilibra sobre prego, voa em um lápis e descansa em uma folha. Criatividade pura! Adoro as páginas em que o garoto faz as perguntas e ouve as respostas. Elas vão mudando e ganham novos elementos à medida que o menino vai ficando confuso. Observe também os fundos e as sobreposições que compõem as páginas conforme a história avança.

Para quem se animou, Não Sim Talvez será lançado neste sábado, dia 8, a partir das 15 horas, na Livraria Novesete, que fica na Rua França Pinto, 97, na Vila Mariana, em São Paulo. Com participação das contadoras Gizele Panza e Alba Brito, que, claro, contarão histórias e farão brincadeiras.

Serviço
Não Sim Talvez
Escritora: Raquel Matsushita
Ilustradora: Ionit Zilberman
Editora: Sesi-SP
Preço: R$ 36 (capa dura)

Tendências: