O gato, o diabo – e as crianças
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O gato, o diabo – e as crianças

Bia Reis

16 de junho de 2012 | 10h30

O caderno Sabático, do Estado, traz hoje uma matéria sobre a única obra do escritor irlandês James Joyce dedicada ao público infantil. Como conta a repórter Maria Fernanda Rodrigues, O Gato e o Diabo terá duas versões brasileiras.

Da carta escrita por James Joyce ao neto Stephen no dia 10 de agosto de 1936, em Vilers-Sur-Mer, nasceu o único livro infantil autorizado pela família do escritor – O Gato e o Diabo. Duas diferentes edições estão a caminho das livrarias brasileiras. A versão da Cosac Naify, cujo lançamento ocorre hoje, tem tradução de Lygia Bojunga e ilustrações de Lelis. Já a versão da Mompracem, nova editora da Iluminuras, está prevista para agosto e terá tradução de Dirce Waltrick do Amarante e ilustrações de Michaella Pivetti. Na obra, o Diabo, que fala francês com sotaque dublinense, tenta fazer um pacto com o prefeito de Beaugency, Alfred Byrne: ele constrói a ponte de que a cidade tanto precisa e o primeiro a cruzá-la dará sua alma a ele. Mais esperto que o Diabo, o prefeito manda um gato no lugar de um cidadão. Sentindo-se ameaçado pelo balde d’água nas mãos de Byrne, o gato não tem outra opção a não ser se aninhar no colo do Diabo.

Tudo o que sabemos sobre:

lançamento

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.