O, de Oscar Niemeyer
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O, de Oscar Niemeyer

Bia Reis

08 de dezembro de 2012 | 00h55

“Quando menino, ele gostava de desenhar com o dedo rabiscando o ar, construindo formas que
o levaram a apaixonar-se pela arquitetura. A paisagem natural de sua terra natal, o Rio de Janeiro,
rica em montanhas sinuosas, serviu de inspiração para que criasse uma arquitetura original,
em que as curvas de concreto armado fizessem as pessoas renderem-se ao encanto,
ao espanto e à beleza do seu trabalho, reconhecido internacionalmente.
Brasília tem vários prédios projetados por ele e é seu maior cartão de visitas.”

Com as palavras do escritor Tino Freitas, deixo aqui minha homenagem ao arquiteto Oscar Niemeyer, morto no dia 5, aos 104 anos. O texto acima foi retirado do livro Brasília de A a Z, de Tino e do ilustrador Kleber Sales.

Brasília de A a Z conta a história da primeira viagem que pai e filho fazem à capital do Brasil. A cada letra, Tino destrincha uma característica de Brasília, com seus personagens e lembranças. A de avião, B de Brasília, C de candango, D de Dom Bosco, E de eixão, e assim por diante. O escritor trata de assuntos dolorosos, como a morte do índio pataxó Galdino, em 1997, e outros mais pops. Em P, por exemplo, ele fala do Parque da Cidade, “aquele da música do Renato Russo”. Em O, fala de Oscar Niemeyer e das construções que estão espalhadas pela capital federal.

É um livro para quem conhece Brasília e para quem tem curiosidade de conhecê-la.

Serviço
Brasília de A a Z
Escritor: Tino Freitas
Ilustrador:  Kleber Sales
Editora: Lê
Preço: R$ 38

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.