O cheiro das lembranças
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O cheiro das lembranças

Bia Reis

11 de setembro de 2012 | 10h00

Lembranças têm cheiro? Para a escritora e ilustradora Aline Abreu, sim.

Em Cheirinho de Talco, da editora Autêntica, Aline conta a história de uma menina que perde a bisavó, a quem era muito ligada e de quem quase herdou um nome um tanto quanto incomum: Hermengarda. Com saudades, ela passa a se lembrar, então, dos domingos que ficava com ela, do perfume do bolo quentinho e do café pelando que preenchia a casa.

Não era uma bisa qualquer. Era uma bisa descolada, que tocava piano e ensinava a amar Chopin, mas também aprendia a música que a bisneta mais gostava. Além de gostos em comum, elas tinham segredos, como o suspiro com raspinhas de limão que ficava escondido no armário da cozinha, “camuflado entre uns potes com coisas sem graça do tipo farinha de mandioca e feijão preto”.

A história que Aline conta é cheia de afeto. E mais apaixonante são as ilustrações. Sabe quando a gente acaba de ler um livro e volta a folhear suas páginas para descobrir os detalhes? Este é assim.

Para chegar a esse resultado um tanto singular, Aline fez monotipias em papel arroz – “papéis velhos, já com fungos, que eu tinha guardado”. Depois, usou aquarela, guache, lápis, colagem com durex. Por fim, digitalizou os desenhos e fez colagens digitais, com fotos que havia tirado de folhas.

“Ilustrar esse livro, desde o começo, foi como fazer uma colagem de memórias. Acho que por isso há tanta mistura de técnicas e materiais. E, por ser um livro sobre várias coisas, mas, principalmente sobre memória e afeto, escolhi a monotipia. A linha sai ‘sujinha’, e eu adoro isso. A memória nunca é limpa. Nem o afeto. Sempre existem umas sujeirinhas no meio”, afirma a autora.

Em seu site, Aline explica um pouco mais da técnica que utilizou em Cheirinho de Talco.

Serviço
Cheirinho de Talco
Escritora e ilustradora: Aline Abreu
Editora: Autêntica
Preço:  R$ 29

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.