Marina Colasanti e Ciça Fittipaldi são indicações do Brasil ao ‘Nobel’ da literatura infantojuvenil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Marina Colasanti e Ciça Fittipaldi são indicações do Brasil ao ‘Nobel’ da literatura infantojuvenil

Os brasileiros Lygia Bojunga, Ana Maria Machado e Roger Mello já ganharam o prestigioso Prêmio Hans Christian Andersen

Bia Reis

25 de fevereiro de 2015 | 15h38

Marina (esq.) e Ciça

Marina (esq.) e Ciça

A escritora Marina Colasanti e a ilustradora Ciça Fittipaldi são as candidatas do Brasil ao prestigioso Prêmio Hans Christian Andersen 2016, considerado o Nobel da literatura infantojuvenil. A inscrição foi feita pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), seção brasileira do International Board on Books for Young People (IBBY).

A FNLIJ foi responsável pela preparação do dossiê das brasileiras, material que é enviado aos 11 membros do júri e à presidência do IBBY para avaliação. Além de informações sobre as autoras, o dossiê apresenta dez livros considerados os mais relevantes da carreira.

Marina Colasanti já esteve nesta Estante de Letrinhas em posts sobre sua vitória no Jabuti 2014 e a resenha do apaixonante Breve História de um Pequeno Amor; Ciça Fittipaldi apareceu por aqui no post sobre Bibliotecas do Mundo, escrito por Daniela Chindler, e na lista de ilustradores selecionados para Bolonha.

O Prêmio Hans Christian Andersen é entregue a cada dois anos, no primeiro dia da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, realizada no mês de março, na Itália.

Três brasileiros já foram laureados com a premiação: Lygia Bojunga, em 1982, e Ana Maria Machado, em 2000, na categoria escritor, e Roger Mello, no ano passado, na categoria ilustrador. Mello foi o primeiro ilustrador latino-americano a conquistar o prêmio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: