Invisibilidade social, com poesia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Invisibilidade social, com poesia

Bia Reis

29 de maio de 2013 | 00h59

Tino Freitas é um escritor de mão cheia e sensível, muito sensível. Em um de seus últimos livros, o Primeira Palavra, Tino falou de violência urbana e morte, sempre com poesia. Agora, em Os Invisíveis, se debruçou sobre outro difícil tema: a invisibilidade social, tão comuns nos grandes centros.

Para tratar do assunto, Tino apresenta um menino dotado de um superpoder: ver os invisíveis. Só ele é capaz de enxergar, quando sai de casa cedo com o pai, o lixeiro que trabalha na rua. O garoto também observa o rapaz que faz malabarismo, enquanto sua mãe o deixa em frente à escola, e o músico que toca sozinho, em meio à multidão, quando passeia no centro com o avô.

Mas o que acontece quando o menino cresce? Seu poder se amplifica ou se esvai?

As ilustrações do paulistano Renato Moriconi são sensíveis como o texto de Tino. Uma junção perfeita.

Serviço
Os Invisíveis
Escritor: Tino Freitas
Ilustrador: Renato Moriconi
Editora: Casa da Palavra
Preço: R$ 34,90

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.