‘É uma alegria para a classe e para o gênero’, diz Marina Colasanti, vencedora do Jabuti
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘É uma alegria para a classe e para o gênero’, diz Marina Colasanti, vencedora do Jabuti

Escritora recebeu prêmio na categoria melhor livro de ficção com literatura para crianças - fato raro

Bia Reis

19 de novembro de 2014 | 15h56

marina-colasanti-jabutiweb

“Ganhar o prêmio de ficção com um livro infantil é uma alegria para a classe e para o gênero.” Foi assim que a escritora Marina Colasanti, de 77 anos, festejou nesta quarta-feira, 19, o Prêmio Jabuti conquistado na noite anterior, na categoria ficção, com o livro Breve História de Um Pequeno Amor, que já esteve nesta Estante de Letrinhas. O escritor Laurentino Gomes venceu o Jabuti de melhor livro na categoria não ficção com 1889.

“Chama-se literatura infantil, mas é séria, de alta competência. É esta literatura que forma os futuros leitores, escrevemos para a base da pirâmide. Mas parece que quando a base chega no topo não olha mais para os sapatos”, afirma Marina.

Estante de Letrinhas no Facebook: Curta!
E também no Twitter: Siga!

Foi a segunda vez que Marina, premiada ao longo da carreira com sete Jabutis, recebeu o troféu de melhor livro do ano. É raro que um livro destinado ao público infantil ou juvenil receba tal premiação, que normalmente é concedida a obras escritas para adultos.

Escritora de prosa e poesia para crianças, jovens e adultos há mais de 50 anos, Marina conta que muita coisa mudou desde que começou a publicar. “Houve uma ampliação gigantesca do mercado, que cresceu, amadureceu e trouxe consequências interessantes, pois tornou-se mais exigente e em busca de mais qualidade. Também há mais estudos teóricos sobre literatura infantil – antes estudava-se o gênero com as mesmas ferramentas usadas para analisar o texto para adultos. Temos muitos doutores e pós-doutores em literatura infantil e juvenil”, descreve.

Outra consequência são as premiações, que ganharam, na visão de Marina, critérios mais rigorosos. “Ganham todos. Com esse amadurecimento, a literatura infantil passou a atrair escritores de alta qualidade que antes só produziam para adultos.”

Breve História de Um Pequeno Amor conta a história de uma escritora que um dia, ao retirar as telhas do escritório para conter uma infiltração, descobre um ninho e dois filhotes de pombo. O mais frágil morre e a escritora se dedicar, então, ao mais frágil, apelidado de Tom. Breve História fala de amor, maternidade e do quão difícil – e prazeroso – pode ser acompanhar o desenvolvimento dos filhos. As ilustrações são da argentina Rebeca Luciani.

Marina nasceu em Asmara, na Etiópia, em 1937. Viveu na Líbia, na Itália e imigrou para o Brasil em 1948. Trabalhou como jornalista, tradutora e publicou mais de 30 livros. Para o começo de 2015 estão previstos mais dois: um para crianças, sobre contos de fadas, e outro para adultos. Que venha 2015.

Para conhecer os premiados neste ano nas categorias Infantil, Juvenil, Didático e Paradidático e Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil, clique aqui.

Tudo o que sabemos sobre:

Prêmio Jabuti

Tendências: