As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De volta ao reino de Maria Heloísa

Bia Reis

22 de maio de 2013 | 01h10

A escritora Maria Heloísa Penteado e sua Lúcia Já-Vou-Indo fazem parte da minha infância. Sou capaz de me ver deitada na cama com o livro nas mãos e minha mãe lendo a história da lesma que de tão lerda, mas tão lerda, é incapaz de chegar na hora certa em qualquer compromisso. Jamais pensei, quando criança, que um dia encontraria Maria Heloísa – e que veria os originais não apenas do Lúcia, mas de Marcus Robô e A Menina Que o Vento Roubou.

O resultado de uma manhã de conversas e descobertas está na matéria que publiquei no domingo no Caderno 2. Com algum atraso, aqui está ela.

Abaixo, coloco duas preciosidades que encontrei no Acervo Estado: a primeira publicação do Lúcia Já-Vou-Indo, nas páginas infantis do Suplemento Feminino do Estado, cuja editora era a própria Maria Heloísa; e a história Beni Brasinha, também da escritora, que saiu no mesmo espaço. Aproveitem!

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.