‘A Mulher da Guarda’: quando a proteção chega em um cavalo azul
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘A Mulher da Guarda’: quando a proteção chega em um cavalo azul

História retoma tradição popular do Tibete, em que avó amorosa, protetora e com poderes de cura percorre montanhas e desfiladeiros para ajudar quem dela precisa

Bia Reis

14 de agosto de 2019 | 07h00

Crédito das imagens: Bia Reis/Estadão

Jacinta ainda é menina, mas já carrega as perdas da vida e a responsabilidade de uma mulher. Depois da morte da mãe, passou a cuidar dos irmãos menores, gêmeos, enquanto o pai não volta do trabalho. Tem de levá-los em segurança para casa após a escola, ajudá-los com o jantar, dar banho e colocá-los na cama, com história, claro, porque eles adoram. Depois que a mãe morre, Jacinta vê pela primeira vez “a mulher mais bonita do mundo”, com um olho em uma mão e uma tigela dourada na outra, montada em seu cavalo azul. É ela que, de um jeito misterioso e surpreendente, passa a guardar o caminho da garota, que vive se perguntando quem é a figura e por que ela aparece.

A menina Jacinta está no centro do livro A Mulher da Guarda, da escritora Sara Bertrand e da ilustradora Alejandra Acosta, ambas chilenas. Publicado em 2016 pela editora colombiana Babel Libros, a obra recebeu em 2017 o importante Prêmio New Horizons/Bologna Ragazzi, da Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha, na Itália. E foi lançado no Brasil no primeiro semestre pelo Selo Emília, em parceria com a Solisluna Editora. Neste mês, Sara estará em São Paulo para o evento de lançamento, além de um curso e uma oficina (mais informações abaixo).

Delicado, A Mulher da Guarda leva a reflexões sobre a complexa realidade de Jacinta. Como a morte da mãe afeta as crianças pequenas? Por que uma menina tão nova tem de cuidar quase sozinha dos irmãos? Como ela lida com tamanha responsabilidade? Ao mesmo tempo, resgata o cotidiano por meio das pequenezas da vida. É o som de uma colher no copo quando mistura o leite que faz a menina lembrar da mãe. É o barulho das gargalhadas dos irmão, brincando na sala com o pai, que a faz sorrir. É o cheiro do purê de batata na panela, com a manteiga derretendo, que atiça seu apetite. Alegrias simples, porque a vida já é dura o suficiente.

ESTANTE DE LETRINHAS
No Instagram @blogestantedeletrinhas
No Facebook @blogestantedeletrinhas
Contato: estante.letrinhas@gmail.com

A história é contada por meio do texto de Sara, mas as ilustrações têm destaque na obra. Oito páginas duplas apenas com imagens abrem e fecham A Mulher da Guarda. Em preto e branco, elas ganham vida com alguns elementos em azul – flores, um cavalo, um pássaro, uma cadeira -, o mesmo azul que preenche o título na capa. É o azul, que ganha corpo ao fim, que guia o leitor para dentro da história.

Para escrever A Mulher da Guarda, Sara se inspirou na história de Achi Chokyi Drolma, da tradição popular tibetana, uma avó amorosa, protetora e com poderes de cura. É ela que percorre, a cavalo, montanhas e desfiladeiros para ajudar quem precisa dela.

Lançamento, oficina e curso

Para o lançamento do livro em São Paulo, o Instituto Emília preparou um evento, um curso e uma oficina, todos com a presença de Sara. O evento ocorrerá no dia 23, às 19 horas, na Livraria Martins Fontes Paulista, localizada na Avenida Paulista, 509.

Antes, nos dias 20, 21 e 22, Sara ministrará o curso Contar é Escutar, na Livraria NoveSete, das 19 às 22 horas. A ideia é propiciar a leitura e a reflexão sobre o ato de ler, fortalecer o debate sobre a criação literária dedicada aos livros juvenis, incluindo temática e estética, e recuperar a leitura como espaço social. O custo é de R$ 350 (professores da rede pública e Amigos da Emília têm desconto). Para se inscrever, clique aqui.

De 19 a 23, das 15 às 18 horas, Sara dará a oficina de escrita criativa Pensamentos Ligueiros, também na Livraria NoveSete, localizada na Rua França Pinto, 97, na Vila Mariana. A oficina tem o objetivo de fortalecer a imaginação e a criatividade, estimulando a leitura de poesia, narração, ensaio, memória, prosa, diários de vida e outros formatos adotados em construção literária. O custo é de R$ 280 (professores da rede pública e Amigos da Emília têm desconto). Para se inscrever, clique aqui.

Tanto o curso como a oficina serão ministrados em espanhol.

Serviço
A Mulher da Guarda
Escritora: Sara Bertrand
Ilustradora: Alejandra Acosta
Selo Emília, da Editora Solisluna
Preço: R$ 54,90 (capa dura)

ESTANTE DE LETRINHAS
No Instagram @blogestantedeletrinhas
No Facebook @blogestantedeletrinhas
Contato: estante.letrinhas@gmail.com

Tendências: