‘A Morte da Lagarta’: um livro para crianças sobre morte e luto
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘A Morte da Lagarta’: um livro para crianças sobre morte e luto

Delicadeza, sensibilidade e respeito às diferentes crenças estão no centro do belíssimo lançamento do Coletivo Sabichinho, pela Companhia das Letrinhas

Bia Reis

12 de maio de 2022 | 19h30

Capa de ‘A Morte da Lagarta’, lançamento do Coletivo Sabichinho pela Companhia das Letrinhas. Crédito: Bia Reis

Algumas sociedades vivem mais perto da morte do que outras. E nós todos e todas infelizmente enfrentamos esses tempos por causa da pandemia. Falar sobre a morte é para alguns mais desafiador do que para outros. As vivências e as convicções individuais e o interlocutor são elementos que contam. E quando do outro lado da conversa sobre a morte está a criança?

A delicadeza, a sensibilidade e o respeito às diferentes crenças estão no centro do belíssimo A Morte da Lagarta, lançamento do Coletivo Sabichinho pela Editora Companhia das Letrinhas.

Comecemos pela capa, que coloca o leitor dentro da história. No centro dela há uma lagarta morta, de perninhas para o ar e olhos fechados, cercada por diversos insetos do jardim. A tristeza está dada.

As quatro primeiras páginas duplas trazem a narrativa apenas pelas imagens. Uma menininha primeiro observa a lagarta, quando se aproxima percebe que está morta, e então ela é carregada por formigas até o local onde estão seus amigos e amigas.

– O que acontece quando a gente morre?

A pergunta não é especificamente de um dos insetos, mas ao mesmo tempo é de todos. Cada um, então, dá o seu olhar. Para a barata, a gente vira pó; para a joaninha, nosso corpo se decompõe; para o vagalume, viramos estrelinha. Tem quem ache que a gente reencarna, que vamos para o paraíso, que viramos espírito da floresta.

Não há julgamento. Uns ouvem os outros.

Cada inseto dá a sua opinião, sem qualquer julgamento dos outros. Crédito: Bia Reis

O livro também trata das diferentes reações que os serem têm no período de luto: a negação, a raiva, o desespero, a aceitação, a tristeza.

De novo não há nenhum tipo de julgamento.

Ilustrações vivas e coloridas preenchem as páginas do livro. Crédito: Bia Reis

Não vou aqui estragar a história, mas o fim é poético como toda construção dos textos e das imagens. Um tributo à vida, como dizem os próprios autores.

A Morte da Lagarta é o terceiro livro do Coletivo Sabichinho, formado pelo designer gráfico André Rodrigues, pela artista gráfica Larissa Ribeiro, pela jornalista Paula Desgualdo e pelo hacker Pedro Markun, ativista pelos dados abertos.

Antes de A Morte da Lagarta, o coletivo publicou Quem Manda Aqui?, um livro sobre política para crianças, e Eleição dos Bichos, sobre eleições e democracia.

Os três livros foram publicados pela Editora Companhia das Letrinhas e estão também disponíveis para download no site do coletivo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.