‘A Avó Adormecida’ fala de amor e perda, com poesia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘A Avó Adormecida’ fala de amor e perda, com poesia

Na história, neto conta com saudades dos momentos que viveu com a avó e fala das coisas estranhas que ela fazia quando adoeceu

Bia Reis

08 de agosto de 2014 | 13h09

A história do italiano Roberto Parmeggiani, de 38 anos, é um pouco diferente da contada pela maioria dos escritores. Quando criança, ele não gostava nem de ler nem de escrever. A paixão pela literatura surgiu há alguns anos. Pedagogo, Parmeggiani trabalhava com educação inclusiva, em Bolonha, quando começou a escrever poesias e, depois, textos para crianças. “Acho que as histórias podem ajudá-las a enfrentar determinadas questões – e ajudar a mim também”, conta.

Leia Também

O fio da vida

A Avó Adormecida, lançamento da editora Dsop, é um exemplo do que o escritor fala. “Escrever sobre a morte foi um jeito de entender como lidar com a questão”, diz Parmeggiani. O livro conta a história de uma avó que passa um mês adormecida, sob o ponto de vista do neto.

O garoto conta que antes dela adormecer vinha fazendo coisas estranhas. Certa a vez, ele e a mãe a encontraram na sala, maquiada, com um chapéu de flores, dançando valsa. Outra vez, ela rasgou as flores do jardim para fazer uma sopa. E chegou a convidá-lo, às escondidas, para ir à Lua.

O menino recorda do que gostava de fazer com a avó. Passavam o tempo juntos, liam histórias, ela lhe preparava pizzas, passeavam e compravam figurinhas. “Abraçava-me a todo momento, e eu desaparecia em seu amor”, lembra o neto.

Parmeggiani trata de doença e morte, do amor de um neto pela avó e das lembranças que ela deixa com poesia. De uma maneira incrivelmente delicada, o escritor coloca crianças e adultos em contato com sentimentos humanos – dor, tristeza, amor, saudades -, que fazem parte da vida e com os quais precisamos sim aprender da lidar.

As ilustrações são do português João Vaz de Carvalho. Seus personagens são semelhantes, mas bastante expressivos. Carvalho cria desenhos com movimento, dinâmicos, com uma paleta de cores frias, quase monótona: bege, azul profundo, preto e um vermelho fechado, meio vinho.

No fim de 2013, a editora Dsop lançou o primeiro livro de Parmeggiani no Brasil, A Lição das Árvores, que, assim como A Avó Adormecida, revela toda a sensibilidade do escritor. É um livro que fala sobre o respeito às diferenças, mas sem qualquer didatismo ou lição de moral.

Com ilustrações do também italiano Attílio Palumbo, Parmeggiani conta a história de Enrico e Paola, dois amigos com gostos e personalidades diferentes. O garoto é perguntador, e ela, quieta, silenciosa. Intrigado com o silêncio da amiga, Enrico um dia pergunta a um professor, de quem gosta muito, se as crianças são todas iguais, se Paola é igual ou diferente a ele. O professor, então, responde comparando crianças com árvores.

“Algumas são distraídas, esquecidas e sonhadoras como os álamos: com seu pólen, que percorre o ar, soprado pelo vento, até que encontra um lugar para se fazer. Outras são como carvalhos: fortes, corajosas, ousadas, mas com um coração tenro dentro de si”, diz.  Lindo de morrer.

Nas ilustrações, Palumbo mistura infinitos tons de verde com marrons e vermelhos. Incrível a maneira como ele desenha as diferentes árvores que retratam as diferenças e semelhanças. A edição é belíssima: a capa faz uma moldura no desenho, como uma moldura de uma obra de arte.

Serviço
A Avó Adormecida
Escritor: Roberto Parmeggiani
Ilustrador: João Vaz de Carvalho
Editora: Dsop
Preço: R$ 44,90 (capa dura)

A Lição das Árvores
Escritor: Roberto Parmeggiani
Ilustrador: Attílio Palumbo
Editora: Dsop
Preço: R$ 39,90

** Gostou? Compartilhe! Siga o blog Estante de Letrinhas no Facebook

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: