Filmes brasileiros ganham prêmios em Berlim

Filmes brasileiros ganham prêmios em Berlim

O Brasil teve participação bastante política na 69ª Berlinale, com filmes que trouxeram às telas personagens da história recente do país, movimentos sociais e questões religiosas e culturais. Alguns deles foram premiados no festival.

Estado da Arte

17 de fevereiro de 2019 | 11h34


por Camila Gonzatto

Rise, curta-metragem da dupla de artistas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, recebeu o prêmio Audi Short Film Award. O filme foi gravado em espaços subterrâneos da Comissão de Trânsito de Toronto (Canadá), com artistas e poetas imigrantes..

O documentário Espero sua (re)volta, dirigido por Eliza Capai e exibido na Mostra Generation 14plus, recebeu os prêmios da Anistia Internacional e o Peace Film Prize. O filme aborda, através da voz de três jovens protagonistas, as ações do movimento estudantil de 2013 a 2018, principalmente as ocupações de escolas por estudantes secundaristas em São Paulo. Construindo um mosaico de imagens de arquivo e outras gravadas para o próprio filme, são discutidos temas como a violência policial contra adolescentes, a falta de apoio da população, bem como o racismo e a crescente diferença de classes no Brasil.

Janela para produção brasileira ameaçada

A coprodução brasileira Breve historia del planeta verde, do argentino Santiago Loza, foi premiada no Teddy Award como melhor longa-metragem de ficção. O prêmio é voltado para filmes com protagonistas LGBTs. O filme também ganhou o prêmio TEDDY READERS’ AWARD, dos leitores do portal QUEER.DE. Em Breve história…, a trans Tania viaja, com dois amigos, a um povoado do interior, onde cresceu, porque sua avó acaba de falecer.

*Continue a leitura e saiba mais sobre a Berlinale acessando o Berlinale Blogger do Goethe-Institut.
A cobertura da Berlinale 2019 é uma parceria entre o Goethe-Institut e o Estado da Arte.

Mais conteúdo sobre:

CinemaBerlinalefestival de cinema