“A essência do existencialismo” de Jean-Paul Sartre

“A essência do existencialismo” de Jean-Paul Sartre

Rádiodrama - Extratos de "O existencialismo é um humanismo" (1946) para a série "Grande Teatro do Mundo".

Estado da Arte

13 Dezembro 2017 | 18h24

Em parceria com o Café Filosófico do Instituto CPFL o Estado da Arte oferece a leitura dramatizada da célebre palestra de Sartre.

No primeiro semestre desse ano o Café Filosófico promoveu o ciclo de palestras Novos horizontes da responsabilidade. A concepção filosófica de o que é a “Responsabilidade” foi um tema premente em todos os encontros, cada um a seu modo.

Nesse sentido, os paradigmas de liberdade radical propostos por Sartre, Heidegger, Camus, cada um conforme seu próprio entendimento da existência, permanecem no Horizonte. Sartre dizia que a existência precede a essência, ou seja que “que o homem existe, se encontra, surge no mundo e que ele se define depois.” Daí o seu entendimento da Responsabilidade humana, que molda diretamente a sua ideia sobre os objetivos de sua filosofia, o “existencialismo”:

“Mas se realmente a existência precede a essência, o homem é responsável por aquilo que ele é. Assim, a primeira meta do existencialismo é fazer com que todo homem tome posse daquilo que ele é, e fazer com que caia sobre ele a responsabilidade total por sua existência. E quando dizemos que o homem é responsável por si mesmo, não queremos dizer que o homem é responsável por sua estrita individualidade, mas que ele é responsável por todos os homens.”

Confira no Café Filosófico

 

Mais conteúdo sobre:

Jean-Paul Sartreexistencialismo