Na fila para o temido banho de gato

Estadão

10 de outubro de 2010 | 16h17

O SWU é um festival caro, feito para um público que pode gastar em torno de mil reais para passar os três dias em Itu. Portanto, é necessário cobrar que a organização esteja tinindo e que as filas sejam curtas. Mas isso não acontece em Coachella, Glastonburry ou Roskilde, festivais do mesmo porte que também cobram ingressos caros. Pensando nisso, fui para a fila de banho do camping Premium com antecedência.

Os chuveiros abriam às 10 hrs (sugeri que abrissem às 8hrs e me disseram que ficam abertos até as 4hrs). Cheguei lá às 9hrs com meu colega Lucas Nobile e aproveitamos par discutir os shows de sábado. Havia 60 pessoas na nossa frente e vinte chuveiros, ou seja, com um banho de sete minutos (limite automático) demoraria por volta de meia hora na fila, o que achei justíssimo. A fila fazia uma curva e chegava a dois banheiros com dez chuveiros cada. Na volta do banho devia ter umas cem pessoas.

Depois da meia hora esperada, me indicaram o chuveiro numero 8 e pediram que eu desse um grito quando estivesse pronto. Pendurei as roupas e mandei bala. Tenho cabelo comprido e estava receoso de que não fosse ter tempo, então despejei uma quantidade imensa de shampoo e terminei a limpeza de cima o mais rápido possível. Depois, veio o resto, também com pressa mas sem falta de tempo. Por último, uns 40 segundos de filosofia matinal, atividade importantíssima para o funcionamento do meu HD interno e fim de banho. Não posso falar pelas mulheres, mas os homens que reclamam da falta de tempo estão com manha.

# Veja a programação de shows do domingo
# Acompanhe o festival SWU pelo Twitter, no @cultura_estadao
# Galeria de fotos

Tudo o que sabemos sobre:

Banho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: