Cavalera Conspiracy: uma porrada sonora

Estadão

11 de outubro de 2010 | 20h43

Com informações de Bruno Salvagno e Lucas Nobile

O terceiro dia do festival recebeu um mar de camisetas pretas que foram assistir a Queen Of The Stone Age e Linkin Park.  E essas pessoas presenciaram, ao cair da tarde, uma porrada sonora denominada Cavalera Conspiracy, formada pelos irmãos Max e Igor, oriundos do Sepultura.

Quando eles entraram no palco, a verdadeira roda gigante (montada no evento) ficou pequena perto do círculo formado pelo empurra-empurra dos fãs.

No meio de tanto bate-cabeça, não faltaram jovens sendo socorridos pelos bombeiros e levados para o posto médico, desmaiados entre a pista comum e a premium.

O repertório dessa uma hora de show contou com Inflikted, Sanctuary, Terrorize, Wasting Away (do projeto Nailbomb, de Max com seu cunhado Alex Newport), Refuse/Resist (literalmente levantando poeira na plateia), Troops of Doom – uma das primeiras músicas gravadas pelo Sepultura, na década de 1980 -, a inédita War World e a emblemática Roots Blody Roots, que foi reproduzida depois de o sol já ter se posto.

O Cavalera Conspiracy deixou o palco diante de uma das maiores aclamações do SWU, deixando o público sedento por uma possível reunião da formação clássica do Sepultura.

# Veja as outras atrações de hoje
# Acompanhe o festival SWU pelo Twitter, no @cultura_estadao
# Galeria de fotos
# Todos os vídeos

Tudo o que sabemos sobre:

Cavalera Conspiracyvídeos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: