Um roteiro para os amantes de fotografia em São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um roteiro para os amantes de fotografia em São Paulo

Júlia Corrêa

15 de agosto de 2019 | 17h00

Na 2ª (19), comemora-se o Dia Mundial da Fotografia. Entre cursos, passeios, espaços temáticos e exposições, confira abaixo uma seleção de dicas para aproveitar em São Paulo

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

CURSOS

+ No MAM, a fotógrafa Karina Bacci ministra curso básico de fotografia entre 3ª (20) e 3/12 (3ª, 20h30/ 22h30; R$ 1.140), com lições sobre aspectos como luz e enquadramento. E Marcello Vitorino conduz, entre 6ª (16) e 29/11 (6ª, 19h/21h; R$ 1.260), outro de nível intermediário, com ênfase no desenvolvimento poético do olhar. É necessário ter câmera. Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, V. Mariana, 5085-1300.

+ Entre os próximos cursos do IMS, Futebol e Fotojornalismo no Brasil traz aulas de José Carlos Marques, Juca Kfouri, Bernardo Buarque e Celso Unzelte sobre aspectos técnicos, estéticos e históricos. Av. Paulista, 2.424, metrô Paulista, 2842-9120. 11/9 a 2/10. 4ª, 19h/21h. (R$ 70, por aula; R$ 200, 4 aulas).

+ No Foto Cine Clube Bandeirante, o fotógrafo Celso Vick conduz curso básico de fotografia, no qual ensina a usar equipamentos digitais e analógicos, e aborda aspectos como o uso do flash e a profundidade de campo. R. Augusta, 1.108, Consolação, 3214-4234. 26/8 a 25/9. 2ª e 4ª, 19h/22h. R$ 720.

+ Fotografia de retrato é o curso ministrado por Melissa Szymanski no MIS. Combinando teoria e prática, as aulas abordam autores de referência, informações técnicas e ferramentas para aprimorar sets fotográficos. Av. Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777. 10/9 a 2/10. 3ª e 4ª, 15h/18h. R$ 180.

+ O curso Fotografia com Celular ou Câmera Compacta, no Senac Tatuapé, propõe estimular a criatividade e o olhar fotográfico no cotidiano, mesmo para quem não tem equipamento profissional. R. Coronel Luiz Americano, 130, Tatuapé, 2191-2900. 26/8 a 16/9. 2ª e 4ª, 8h30/12h30. R$ 450,10.

PASSEIOS FOTOGRÁFICOS

O fotógrafo Tiago Queiroz, do Estado, dá dicas de lojas e laboratórios que valem pelo passeio:

“A fotografia é a arte do encontro, um bom pretexto para se aproximar das pessoas e descobrir realidades diversas. Em São Paulo, há vários lugares para isso – desde laboratórios, onde ainda é possível tomar um café e discutir linguagem fotográfica, até lojas onde se esbarram, nos balcões, estudantes e profissionais de longa data. O Laboratório Imágicas (R. Arruda Alvim, 195, Pinheiros, 3083-2461; 2ª a 6ª, 14h/19h), de Rosangela Andrade (foto abaixo), revela e amplia, há décadas, trabalhos de nomes importantes, como Cristiano Mascaro, German Lorca e Juca Martins. Além disso, o local conta com o Clube do Analógico – nele, o fotógrafo, amador ou profissional, pode se associar e utilizar o laboratório para revelar e ampliar seu próprio filme.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Na Galeria 7 de Abril (R. 7 de Abril, 125, metrô Anhangabaú, 3159-0746; 2ª a 6ª, 7h30/19h; sáb., 9h/14h), há diversas lojas onde se pode encontrar de tudo, desde antigas câmeras de filme (em bom estado) até equipamentos digitais de ponta. O que mais chama atenção por lá, no entanto, é a diversidade da clientela – é difícil o amante de fotografia paulistano que não tenha batido pernas por ali. Aos sábados, no final da manhã, grupos costumam fazer caminhadas pelas ruas do Centro, a partir da icônica galeria, na caça de boas imagens, histórias e conversas.”

ESPAÇOS TEMÁTICOS

Foto: Bruno Fernandes

+ Além de mostras de nomes renomados (como as atuais de Marc Ferrez, Sergio Larrain e Letizia Battaglia), o IMS tem biblioteca especializada (foto acima), com livros para consulta no local. E, mensalmente, recebe a série de conversas Fotolivro de Cabeceira, com artistas, críticos e curadores. Av. Paulista, 2.424, metrô Paulista, 2842-9120. 10h/20h (5ª, 10h/22h; fecha 2ª). Grátis.

+ Com amplo acervo que percorre os últimos 150 anos da história da cidade, a Casa da Imagem reúne, em um casarão do século 19, mostras com recortes da coleção e exibições de nomes contemporâneos, como as atuais de Paulo D’Alessandro e Cláudia Guimarães. R. Roberto Simonsen, 136-B, Sé, 3105-6118. 9h/17h (fecha dom.). Grátis.

+ Antiga FASS, a galeria Utópica dedica-se à pesquisa de temas como a fotografia moderna, com várias mostras e eventos. Sábado (17), às 15h, Juca Martins dá aula aberta sobre fotojornalismo, que marca o fim de sua mostra ‘A Febre do Ouro’. R. Rodésia, 26, Sumarezinho, 3037-7349. 11h/19h (sáb., 11h/17h; fecha dom. e 2ª). Grátis.

EXPOSIÇÕES

Foto: Man Ray

Expoente do movimento surrealista, o americano Man Ray ganha uma grande mostra no CCBB. Em um recorte que destaca a produção do artista no período em que viveu em Paris, entre 1921 e 1940, serão exibidas 255 obras. São objetos, vídeos, fotografias e serigrafias que revelam seu espírito irrequieto, intensificado pelo convívio com intelectuais e vanguardistas que circulavam, à época, pela capital francesa. A seguir, confira uma entrevista com Emmanuelle de l’Ecotais, curadora da exposição.

Considerando as diversas facetas de Man Ray, quais são os desafios ao se idealizar uma exposição que sintetiza sua produção?
Reunir as obras mais importantes já é um desafio em si. E permitir que o público entenda sua maneira de trabalhar e, assim, desmistifique um pouco o personagem que ele mesmo construiu: ele tentou dar a si mesmo a aparência de um diletante inspirado, mas sempre trabalhou muito. E nada foi aleatório, ao contrário do que ele disse. O complicado é mostrar tudo isso sem tirar nada da grande qualidade do trabalho.

De que forma a mudança para Paris impactou a produção de Man Ray?
Ele decidiu em Paris dedicar-se à fotografia; só que foi uma escolha fundamental, pois é com a fotografia que ele se expressou mais. Então, foi em Paris que conheceu as mulheres que mais o inspiraram: Kiki; Lee Miller; Ady. Finalmente, é com o grupo Dada e o grupo surrealista que ele evoluiu.

Qual você considera o maior legado das transgressões estéticas do artista?
Na minha opinião, é sua total liberdade que deve ser lembrada. Esta liberdade hoje, infelizmente, constitui em si uma forma de transgressão.

Confira outras mostras:

+ O garimpo em Serra Pelada é o tema dos registros de Sebastião Salgado, no Sesc Avenida Paulista. Av. Paulista, 119, metrô Brigadeiro, 3170-0800. 10h/21h30 (dom., 10h/18h30; fecha 2ª). Grátis. Até 3/11.

+ Carlos Moreira ganha retrospectiva com su- as famosas fotos de São Paulo. Espaço Cultural Porto Seguro. Al. Barão de Piracicaba, 610, Campos Elísios, 3226- 7361. 10h/19h (dom., 10h/17h; fecha 2ª). Grátis. Até 27/10.

+ A exposição Fotografia Moderna ocupa a Luciana Brito Galeria com trabalhos de Ademar Manarini, Eduardo Salvatore, Gaspar Gasparian (foto abaixo), Geraldo de Barros, Gertrudes Altschul, Marcel Giró, Mario Fiori, Paulo Pires e também Thomaz Farkas. Av. 9 de Julho, 5.162, Bela Vista, 3842-0634. 10h/19h (sáb., 11h/18h; fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 25/8.

Foto: Gaspar Gasparian

+ Luiz Braga exibe cenas de interiores, retratos e paisagens. Galeria Leme. R. Valdemar Ferreira, 130, Butantã, 3093-8184. Inauguração: sáb. (17), 14h. 10h/ 19h (sáb., 10h/17h; fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 28/9.

+ Na Zipper Galeria, Adriana Duque exibe imagens que remetem à pintura de retrato renascentista. R. Estados Unidos, 1.494, Jd. América, 4306-4306. 10h/19h (sáb., 11h/17h; fecha dom.). Grátis. Até 31/8.

+ Prepare-se: em 31/8, começa o Foto MIS 2019 (antigo Maio Fotografia), que terá exposições de nomes como Pierre Verger, Thomaz Farkas e Luciano Candisani, além de programação com debates, feira e lançamentos.

SP-FOTO 2019

Foto: Pachi Santiago/Galeria Zielinsky

“A fotografia é a linguagem por excelência do século 21”, declara Fernanda Feitosa, idealizadora da SP-Foto – Feira de Fotografia de São Paulo. Assim, ela avalia que o evento, que chega à 13ª edição, tem o poder de atrair um público amplo. A feira conta, este ano, com a estreia da Almeida e Dale (São Paulo), da Galeria Zielinsky (Barcelona) e da Lamb Arts (Londres e São Paulo). Entre outros destaques, será possível conferir trabalhos de nomes como Mauro Restiffe, levado pela Fortes D’Aloia & Gabriel; Claudia Andujar, pela Vermelho; e Sebastião Salgado, pela Galeria Mario Cohen.

+ A feira promove, já neste sábado (17), o Circuito Ateliês Abertos, com visitas a estúdios coletivos como FAAP Residência Artística (Pça. do Patriarca, 78, Centro, 3101-9492; 14h/18h) e Projeto Fidalga (R. Fidalga, 299, V. Madalena, 3813-1048; 17h/21h).

+ O público poderá fazer visitas guiadas pela feira, que contemplam percursos temáticos e reflexões sobre a linguagem fotográfica. Para participar, basta fazer inscrição uma hora antes de cada saída. 5ª (22), 23 e 24/8, 16h, 18h e 20h; 25/8, 15h, 16h e 19h.

+ Várias conversas estão na programação. Na 5ª (22), às 17h, a curadora do New Museum Margot Norton debate com o arquiteto Guilherme Wisnik a imagem na era digital. Dia 23/8, às 17h, Cristiano Mascaro e Noemi Jaffe falam de fotografia e literatura.

A galeria Mendes Wood exibe série de fotografias da americana Francesca Woodman

A feira em números:

+ 43 expositores participam desta edição do evento, incluindo galerias, editoras e outras instituições

+ 300 é o número aproximado de fotógrafos que têm sua produção exposta entre os estandes

ONDE: Shopping JK Iguatemi. Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2.041, V. Olímpia. QUANDO: 5ª (22), 23 e 24/8, 14h/21h; 25/8, 14h/20h. QUANTO: Grátis. Inf.: sp-arte.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: