Um roteiro com as melhores atrações da cidade para celebrar o Dia da Consciência Negra
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um roteiro com as melhores atrações da cidade para celebrar o Dia da Consciência Negra

Redação Divirta-se

15 Novembro 2018 | 15h46

Comemorada nesta 3ª (20), a data inspira shows, peças de teatro, exposições e programação para o público infantil. Júlia Corrêa e Renato Vieira

Ilú Obá de Min

Foto: Luciana Cury

+ O projeto Frequências reúne dois shows na mesma noite. Passando por hip hop e música eletrônica latina, o duo Craca e Dani Nega apresenta faixas do álbum ‘O Desmanche’ (2018). Formado por mulheres, o bloco Ilú Obá de Min (foto) apresenta o espetáculo ‘Akotirenes Yibi das Mulheres Quilombolas’. Os artistas também fazem uma homenagem à artista plástica pernambucana Raquel Trindade. Casa Natura Musical (710 lug.). R. Artur de Azevedo, 2.134, Pinheiros, 4003-6860. 2ª (19), 21h30 (abertura, 20h). R$ 40/R$ 120.

+ Na Pinacoteca, um vídeo da afro-peruana Victoria Eugenia Santa Cruz Gamarra é o ponto de partida da atividade ‘Arte e Poesia: Gritaram-me Negra’, que convida o público a conferir a obra, participar de uma ‘escuta ativa’ de um poema de Midria da Silva Pereira e, por fim, discutir questões ligadas à posição da mulher negra na sociedade. Pça. da Luz, 2, metrô Luz, 3324-1000. Dom. (18), 14h30/16h30. R$ 6.

+ O Teatro Municipal recebe dois espetáculos na 3ª (20). Às 12h, o infantil ‘O Pequeno Príncipe Preto’ (50 min.; livre) atualiza o clássico de Saint-Exupéry com reflexões sobre a diversidade. Às 15h30, com direção de Fernando Philbert, ‘Contos Negreiros do Brasil’ (60 min.; 14 anos) parte de texto de Marcelino Freire sobre a condição dos negros na sociedade. Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, Centro, 3053-2090. Grátis.

+ Na 3ª (20), às 16h, a Biblioteca Parque Villa-Lobos dedica às crianças uma contação de histórias a partir de texto sobre memória cultural da escritora americana Gail E. Haley. Ali, das 14h às 16h, também ocorre o Sarau das Pretas – organizado por mulheres negras da cena cultural das periferias, o evento homenageia grandes compositoras do samba. Av. Queiroz Filho, 1.205, Alto de Pinheiros, 3024-2500. Grátis.

+ Nome forte do movimento manguebeat, a Nação Zumbi faz show do álbum ‘Radiola NZ Vol. 1’, que saiu em 2017. Eles apresentam versões para sucessos de Gilberto Gil (‘Refazenda’), Roberto Carlos (‘Não Há Dinheiro que Pague’) e David Bowie (‘Ashes to Ashes’). Sesc Itaquera. Palco da Orquestra Mágica (12.000 lug.). Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1.000, 2523-9200. 3ª (20), 15h30. Grátis.

O topo da montanha Taís Araújo Lázaro Ramos

Foto: Jorge Bispo

+ Taís Araujo e Lázaro Ramos encabeçam o evento Eu Tenho um Sonho, que une teatro e música. Na 2ª (19), às 20h, e na 3ª (20), às 18h, eles encenam ‘O Topo da Montanha’ (foto), sobre Martin Luther King. No primeiro dia, a peça é seguida por pocket show de Criolo; no segundo, por stand-up de Tia Má. 110 min. 14 anos. Tom Brasil (1.800 lug.). R. Bragança Paulista, 1.281, S. Amaro, 4003-1212. R$ 70/R$ 120.

+ A mostra Acorde! O Cinema de Spike Lee exibe filmes do americano. O documentário ‘Michael Jackson’s Journey from Motown to Off the Wall’ (2016), sobre os primeiros passos artísticos do astro do pop, é exibido na 2ª (19), às 13h10, assim como o videoclipe da música ‘They Don’t Care About Us’. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). R. Álvares Penteado, 112, Centro. 3113-3651. R$ 10.

+ No sábado (17), às 15h, o Museu Afro Brasil promove oficina de confecção de bonecas abayomi, que também propõe reflexões sobre herança cultural e preconceito. Na 3ª (20), além de um encontro, às 13h, com o quadrinista Marcelo D’Salete, o local receberá, às 14h30, apresentações do Bloco do Beco e do grupo de maracatu Baque Atitude. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Pq. Ibirapuera, portão 10, 3320-8900. Grátis.

+ No Itaú Cultural, a Ocupação Ilê Aiyê destaca o primeiro bloco afro do Brasil, que, além das festividades de carnaval, têm importante papel na luta contra o racismo. Fundado em 1974, em Salvador, o grupo resistiu, na época, a proibições veladas quanto à participação de negros em desfiles. Av Paulista, 149, metrô Brigadeiro, 2168-1777. 9h/20h30 (sáb., dom. e fer., 11h/ 20h; fecha 2ª). 2ª (19), 11h/20h. Grátis. Até 6/1/2019.

Zezé Motta

Foto: Paula Klien

+ Com carreira iniciada em 1968, durante a primeira montagem de ‘Roda Viva’, peça escrita por Chico Buarque, a atriz e cantora Zezé Motta (foto) apresenta ‘Atendendo a Pedidos’, em que repassa canções que marcaram sua trajetória profissional. O show foi criado com base nas músicas que os espectadores sempre pedem para a artista interpretar. Há composições de Caetano Veloso (que lhe deu ‘Pecado Original’ para gravar em 1978), Luiz Melodia e Jards Macalé. Aos dois últimos, Zezé dedicou o disco‘Negra Melodia’, que saiu em 2011. ‘Senhora Liberdade’, de Nei Lopes e Wilson Moreira, também foi incluída no repertório da apresentação. Sesc Ipiranga. Teatro (200 lug.). R. Bom Pastor, 822, 3340-2000. 3ª (20), 18h. R$ 9/R$ 30.

Elza Soares

Foto: Patrícia Lino

+ Elza Soares (foto) está entre as atrações do Boulevard São João. A apresentação da cantora, marcada para as 19h45, é aberta pelo Balé da Cidade. Antes, o grupo de rap LGBT Quebrada Queer mostra seu som, a partir das 16h50. Na sequência, estarão no palco a cantora Héloa (17h30), Rincon Sapiência (18h20) – interpretando músicas do aclamado álbum ‘Galanga Livre’, de 2017 – e Luedji Luna (19h10). O dia também conta com discotecagem. Boulevard São João. Av. São João, 300. 3ª (20), 12h (abertura). Grátis.

+ De domingo (18) a 3ª (20), das 12h às 22h, a Feira Preta, evento de empreendedorismo afro-brasileiro, reúne produtos de 90 expositores na Praça das Artes (Av. São João, 281, Centro). A programação ainda inclui atrações em outros locais, como uma mostra da inglesa Selina Thompson, que aborda temas como tensões raciais, no Instituto Tomie Ohtake (R. Coropés, 88, Pinheiros, 2245-1900). Grátis. Inf.: bit.ly/fpr18

+ A escritora Conceição Evaristo é homenageada no evento literário FlinkSampa, na Faculdade Zumbi dos Palmares. Ela participa da abertura, na 2ª (19), às 9h, e de debate sobre Carolina Maria de Jesus, na 3ª (20), às 14h. Ainda na 3ª (20), no Centro Esportivo Tietê, onde fica a instituição, há apresentações da Turma da Mônica (14h, 15h, 16h e 17h) e bate-papo sobre seus personagens negros (15h). Na 4ª (21), às 15h, a filha de Mauricio de Sousa, Mônica, conversa sobre empoderamento de meninas. Av. Santos Dumont, 843, Bom Retiro, 3325-1000. Grátis.

+ Considerada patrimônio cultural de Pernambuco, Lia de Itamaracá é a principal voz da ciranda no País. Os ingressos para o show que ela faz hoje (16) no Sesc Pompeia estão esgotados, mas quem quiser vê-la terá outra oportunidade na 3ª (20). Em apresentação com participação do grupo Clarianas, a artista de 74 anos interpreta coco, maracatu, xaxado e ciranda, misturando canções de sua autoria a outras de domínio público. Sesc Campo Limpo. R. Nossa Senhora do Bom Conselho, 120, metrô Campo Limpo, 5510-2700. 3ª (20), 16h. Grátis.

Preto Valor de Uso

Foto: Ligia Jardim

+ Sob direção de José Fernando Peixoto de Azevedo, a Sociedade Abolicionista de Teatro apresenta Três Pretos: Valor de Uso (foto), que trata de temas como a alienação em relação às vidas negras e que também traz reflexões sobre os danos do racismo na sociedade. 60 min. 18 anos. Sesc Pompeia. Teatro (302 lug.). R. Clélia, 93, 3871-7700. 5ª, 6ª e sáb., 21h; dom. e fer., 18h. R$ 7,50/R$ 25. Até 1º/12.

Vanessa da Mata

Foto: Marcos Hermes

+ Vanessa da Mata (foto) apresenta show baseado no CD e DVD ‘Caixinha de Música’ (2017). ‘Orgulho e Nada Mais’, ‘Gente Feliz’ e a canção que dá nome ao projeto são as novidades do repertório. Na apresentação, a cantora e compositora não deixa de fora sucessos que marcaram sua carreira, caso de ‘Não Me Deixe Só’, ‘Boa Sorte / Good Luck’ e ‘Ai Ai Ai’. Ela também regravou a romântica ‘Impossível Acreditar que Perdi Você’, hit na voz de Márcio Greyck. Sesc Pq. Dom Pedro II. Pça. S. Vito, s/nº, Brás, 3111-7400. Sáb. (17), 18h. Grátis.

+ Voz do movimento LGBT no rap, Rico Dalasam faz o show ‘Elefantes, Mantras e Trava Línguas’. Acompanhado de teclados, guitarras e programações, ele mostra uma nova perspectiva de seu repertório, formado por músicas sobre aceitação social. Sesc Bom Retiro. Teatro (291 lug.). Al. Nothmann, 185, 3332-3600. 3ª (20), 18h. R$ 9/R$ 30.

+ O Sesc Santo Amaro terá diversas atrações infantis. Sábado (17), às 14h, a Cia. Malas Portam faz contação de histórias ao som do instrumento africano djembê. Na 3ª (20), às 14h, a Cia. Colhendo Contos e Diáspora Negra apresenta narrativas da Etiópia. E, na 5ª (22), às 16h, haverá ainda vivência com brincadeiras africanas. R. Amador Bueno, 505, 5541-4000. Grátis.

+ Grupo da Filarmônica Afro Brasileira, a Filafro Pop Orquestra recebe o músico cubano Rolando Luna, pianista do Buena Vista Social Club, no concerto ‘Alma Rumbaiana’. Obras compostas por Chiquinha Gonzaga, Ernesto Lecuona, Rafael Hernández e Ignácio Cervantes estão no programa. Josoé Polia é o regente. Auditório Ibirapuera (806 lug.). Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 2, 3629-1075. Hoje (16), 21h. R$ 30.

Foto: Luiz Alves

+ De hoje (16) a 3ª (20), às 19h15, a Caixa Cultural recebe ‘Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro’ (foto), peça do grupo Nóis de Teatro sobre a juventude negra das periferias (retirar ingresso no dia, a partir das 9h). Na 5ª (22), às 17h, o projeto educativo promove conversa sobre a representatividade negra nas artes. Além disso, dá para conferir, até 16/12, das 9h às 19h, exposições de Rubem Valentim e Josafá Neves. Pça. da Sé, 111, Centro, 3321-4400. Grátis.