Turista por um dia: um roteiro para redescobrir pontos emblemáticos de São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Turista por um dia: um roteiro para redescobrir pontos emblemáticos de São Paulo

Redação Divirta-se

01 Novembro 2018 | 16h39

Humberto Abdo, Luciana Lino (especial para o Estado), Lucinéia Nunes e Renato Vieira

Pateo do Collegio

PATEO DO COLLEGIO

+ Peças de arte sacra compõem a mostra permanente do Museu Anchieta, que faz parte do complexo cultural. Esculturas, pinturas e objetos litúrgicos, desde o século 16 até o 20, podem ser vistos por lá. O ingresso (R$ 8) dá direito a uma visita guiada à cripta, que ocorre em vários horários (10h, 11h, 13h, 14h, 15h e 16h). O local abriga a exposição temporária ‘Amar e Viver São Paulo’, em cartaz até 20/12, da artista plástica e escritora Nilda Luz, com pinturas em homenagem à capital paulista. A Igreja São José de Anchieta, a Biblioteca Padre Antônio Vieira e uma charmosa cafeteria instalada nos jardins, o Café do Pateo, completam o passeio. Pça. Pateo do Collegio, 2, Centro, 3105-6899. 9h/16h30 (fecha 2ª e fer.).

Mercado Municipal. Foto: Nilton Fukuda/Estadão

MERCADO MUNICIPAL DE SÃO PAULO

+ No Mercadão, a dobradinha cultura e gastronomia é garantida. Vá sem pressa e aprecie os coloridos vitrais do artista alemão Conrado Sorgenicht e a arquitetura do edifício, projetado pelo escritório de Ramos de Azevedo e inaugurado em 1933. Pelos corredores, há uma rica variedade de frutas, carnes, peixes, temperos e tantos outros produtos brasileiros. Você vai descobrir e provar muita coisa – vale pechinchar. Além dos famosos sanduíche de mortadela e pastel de bacalhau, o lugar tem vários restaurantes, como a recém-aberta Picanharia. R. Cantareira, 306, metrô São Bento, 3313-1518. 6h/18h (dom., 6h/16h). Fecha 6ª (2).

Solar da Marquesa de Santos. Foto: JF Diorio/Estadão

SOLAR DA MARQUESA DE SANTOS

+ A construção (foto) é um raro exemplar de residência urbana do século 18. Em 1834, o sobrado foi comprado por Maria Domitila de Castro e Mello, a Marquesa de Santos, que foi amante de Dom Pedro I. No local, seus utensílios domésticos dividem espaço com exposições, como ‘A Gran Dama das Artes’, que relaciona a atuação da socialite Yolanda Penteado com a arte moderna em São Paulo. Vale ainda visitar o prédio ao lado do Solar – ele abriga a Casa da Imagem, que conta com um acervo de 84 mil fotografias voltadas à memória paulistana. Exposta nos dois locais, ‘Equações da Metrópole’ traz 124 imagens da coleção do Museu da Cidade, que retrata diversas fases da capital. R. Roberto Simonsen, 136, Sé, 3241-1081. 9h/17h (fecha 2ª). Grátis.

Farol Santander. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

FAROL SANTANDER

+ Inaugurado em 1947, o Edifício Altino Arantes – que, por muitos anos, ficou conhecido como Banespão – é um cartão-postal da cidade. Aberto ao público como espaço cultural, em janeiro deste ano, tem atrações distribuídas por 12 andares. A história do prédio é revelada no térreo, no 2º e no 3º piso. Na mostra permanente de Vik Muniz (4º andar), há sete painéis fotográficos com imagens do prédio e de seus arredores criados a partir de sucata. Outra exposição, em cartaz até 30/12, retrata a vida e a obra do músico Adoniran Barbosa. Com 300 m2, uma pista de skate assinada por Bob Burnquist tem capacidade para até 12 pessoas (R$ 30, por hora). E o 26º andar conta ainda com unidade do Suplicy Cafés Especiais. R. João Brícola, 24, metrô São Bento. 9h/20h (dom., 9h/19h; fecha 2ª). R$ 20.

Catedral da Sé. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

CATEDRAL DA SÉ

+ Construída no coração da cidade, a Catedral da Sé foi inaugurada em 1954. Mas a obra começou muito antes, em 1912, sob os cuidados do engenheiro alemão Maximilian Emil Hehl. De estilo neogótico e com vitrais de diferentes artistas – entre eles, alguns feitos pela famosa Casa Conrado -, a igreja é um importante patrimônio histórico paulistano. Além das missas, dá para participar da visita monitorada à cripta, no subsolo, onde estão enterrados, por exemplo, o Regente Feijó, o Cacique Tibiriçá (primeiro índio catequizado) e o arcebispo Dom Paulo Evaristo Arns. O passeio (R$ 7) dura cerca de 30 minutos e é realizado de 2ª a sábado, das 9h30 às 16h30, e aos domingos e feriados, das 12h30 às 15h30. Pça. da Sé, s/nº, metrô Sé, 3107-6832. 7h30/18h30.

Pinacoteca. Foto: Werther Santana/Estadão

PINACOTECA

+ O museu de arte mais antigo da cidade foi inaugurado em 1905 e está instalado na ex-sede do Liceu de Artes e Ofícios, projetada no fim do século 19 pelo escritório de Ramos de Azevedo. Além de exposições com obras de seu acervo, a Pinacoteca recebe, até 19/11, a mostra ‘Mulheres Radicais: Arte Latino-americana’, com mais de 280 trabalhos. Logo em frente, está a Estação da Luz – aproveite para percorrer o local, fundado em 1867, e observar sua arquitetura, com estruturas trazidas da Inglaterra que remetem ao Big Ben e à Abadia de Westminster. Pça. da Luz, 2, 3324-1000. 10h/17h30 (fecha 3ª). R$ 6 (sáb., grátis).

Sala São Paulo. Foto: Tuca Vieira

SALA SÃO PAULO

+ Instalada na Estação Júlio Prestes (foto), a sala de concertos (Pça. Júlio Prestes, 16) também realiza visitas guiadas às suas imponentes instalações (2ª a 6ª, 13h e 16h30; sáb., 13h30; dom., 13h). O passeio, que deve ser agendado por e-mail (visita@osesp.art.br), é gratuito nos fins de semana e, nos demais dias, custa R$ 5. Aproveite para visitar o edifício de tijolinhos ao lado, antigo armazém da Estrada de Ferro Sorocabana, que chegou a sediar o Departamento Estadual de Ordem Política e Social (Deops/SP). O local abriga, hoje, o Memorial da Resistência (Lgo. General Osório, 66; 10h/17h30; fecha 3ª; grátis), que exibe, até 9/12, ‘Canto Geral: A Luta pelos Direitos Humanos’.

Teatro Municipal. Foto: Florence Zyad

TEATRO MUNICIPAL

+ O teatro, inaugurado em 1911, permanece como um símbolo cultural da cidade – e passou por um grande restauro, concluído em 2011. Há visitas guiadas gratuitas ao local em vários dias da semana, exceto feriados (4ª a 6ª, 11h, 13h, 15h e 17h; sáb., 14h e 15h). Para participar, basta se inscrever na bilheteria. Nelas, os guias percorrem boa parte do local, ressaltando aspectos arquitetônicos e históricos. No domingo (4), às 16h30, a Orquestra Sinfônica Municipal apresenta obras de Mozart e Tchaikovski, sob regência de Wagner Polistchuk (R$ 12/R$ 30). Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, Centro, 3053-2090.