As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

SP pet friendly: uma lista de lugares em que seu cão é bem-vindo

Redação Divirta-se

19 Março 2015 | 19h15

Um ano após nossa reportagem sobre ambientes ‘pet friendly’, novos estabelecimentos aderiram à moda. E, hoje, é possível visitá-los até de ônibus

ADAM: lhasa-apso de 10 anos – mas com energia de recém-nascido -, foi às ruas para testar locais que aceitam animais

Gabriel Perline

Atire o primeiro bifinho quem tem um animal de estimação e nunca ficou com o coração apertado ao ver a sua cara de decepção quando percebe que o dono vai passear e ele ficará em casa. Mas isso está mudando. Cada vez mais estabelecimentos aderem ao movimento pet friendly e, hoje, vários permitem que os amigos de quatro patas de seus clientes participem dos momentos de lazer.

No início desta semana, a Prefeitura sancionou uma lei que autoriza a presença de animais domésticos de pequeno porte (em caixas próprias para transporte) dentro dos ônibus municipais. Assim, ficou mais fácil levar os bichinhos para se divertir por toda a cidade.

E há vários locais em que eles são bem-vindos: parques, restaurantes, sorveterias e até cinema. O Divirta-se escalou um ‘cão-repórter’ para testar o atendimento nesses estabelecimentos. Nas próximas páginas, você confere detalhes da experiência.

Preparando o terreno

  1. Evite sair para passear sem antes levar seu cão para ‘usar o banheiro’. Essa medida pode evitar eventuais constrangimentos nos locais que forem visitar. Mas, como contratempos acontecem, tenha sempre uma sacolinha plástica para ‘emergências’.
  2. Se seu destino for algum restaurante, lanchonete ou padaria, é aconselhável alimentar o bicho em casa. Assim, ele não ficará latindo e implorando por sua comida. Outra medida é levar um pote com ração para servir ao cão enquanto estiver fazendo sua refeição.
  3. Caso o cachorro seja um pouco temperamental e/ou tenha dificuldade de conviver com estranhos, certifique-se das condições do local que visitará. Restaurantes e bares costumam ter mesas bem próximas – e o contato com outras pessoas é inevitável.

TIRANDO A PROVA
Ao longo de uma semana, avaliamos 15 estabelecimentos que se dizem ‘amigáveis’ à presença de animais. Durante o teste, tivemos algumas surpresas – nem todas positivas

BEM TRATADO
O Bistrô Animall Pet (foto abaixo) foi uma boa descoberta. Neste café, anexo a um pet shop, os cães têm atendimento ‘vip’. Tanto que há um menu só para eles. O Adam provou um risoto com carne de soja (R$ 15,90). E, como se vê ao lado, fez a refeição sentado à mesa. R. José Jannarelli, 455, Morumbi, 3723-5575.

SOMBRA E ÁGUA FRESCA
A boulangerie Santo Pão, além de charmosa, tem um atendimento atencioso. E os pets são muito bem-vindos. Aos fins de semana, eles lotam a varanda, protegida por um toldo e guarda-sóis. Água não falta para os bichos. R. Pe. João Manuel, 968, Jd. Paulista, 2309-5594.

CONCORRIDO
Todos os dias, a Aneth Rotisserie e Confeitaria recebe a visita de cães. Sente em uma das seis mesas da varanda e prove o brunch da casa (R$ 35,90). Para o pet, é só pedir e eles trazem água. Av. Macuco, 29, Moema, 2384-9700.

MÃO NO BOLSO
O Adam chegou esbaforido à gelateria La Girandola (foto abaixo) e não havia pote com água. Para matar a sede do bichinho, só comprando uma garrafinha – ou deixando-o provar o restinho de um sorbet. R. Vupubaçu, 31, Pinheiros, 3812-9387.

RECÉM-NASCIDO
Inaugurada há 15 dias, a lanchonete Bronx Street Food Shop nasceu preparada para receber os clientes com seus pets. Na varanda, há uma vasilha abastecida com água fresca. E o golden retriever de um dos sócios da casa sempre visita o ‘pai’ no trabalho. R. Inhambu, 683, Moema, 5051-3974.

TÁ LIBERADO
O Adam foi tão bem recebido no BrewDog Bar (foto abaixo) que até o deixaram se apoiar no balcão. O amplo salão permite a livre circulação dos bichos e uma tigela com água é servida sempre que solicitada. Como as noites da casa são agitadas, cuide para que seu filhote não seja pisado acidentalmente. R. dos Coropés, 41, Pinheiros, 3032-4007.

TEMPO SECO
Na Ofner, o Adam cochilou na varanda. Coberta e protegida por vasos de plantas, ele ignorou o barulho dos carros que passavam por ali. Faltou apenas uma vasilha com água. Av. Pedroso de Morais, 1.099, Pinheiros, 3034-5141.

CIRANDA, CIRANDINHA
Próximo ao portão 6, o cachorródromo do Parque Ibirapuera (foto abaixo) tem sombra e é ótimo para o pet fazer amizades. Nosso ‘cão-repórter’ até brincou de ‘ciranda’. Leve água, pois não há bebedouros. Av. IV Centenário, s/nº, Ibirapuera.

CLIENTES FIÉIS
Um desfile de raças pode ser assistido na Padoca Di Napoli, sobretudo aos fins de semana. Como 80% das mesas ficam na área externa – coberta por um toldo – a casa é um ponto de encontro pet no bairro. Alguns são frequentadores assíduos, tanto que os garçons até chamam alguns bichinhos pelos nomes. Av. Rouxinol, 214, Indianópolis, 2507-3762.

SEM CRISE
O dia anterior à visita foi de chuva forte, deixando o cachorródromo do Parque Buenos Aires (foto abaixo) um verdadeiro lamaçal. A área destinada aos bichos é cercada, arborizada e ampla. Como nossa maratona estava apenas começando, evitamos o barro e passeamos pelas alamedas. O Adam logo tratou de fazer amizades. Av. Angélica, 1.500, Higienópolis.

SEM PADRÃO
Foram duas visitas à gelateria Casa Elli. Na primeira, havia cadeiras na calçada e pote com água para os cães – que não podem entrar na loja. Na segunda, nada de vasilha e assentos no local (a casa diz que retirou o pote de água para evitar incidentes, já que no dia houve manifestação na Av. Paulista). Al. Tietê, 163, Jd. Paulista, 3063-4741.

ROLEZINHO
O sorriso do Adam deixa claro que o passeio ao ParkShopping São Caetano foi divertido. O centro de compras fornece, gratuitamente, carrinhos para transporte de cães de até 18 kg. Al. Terracota, 545, S. Caetano do Sul, 4003-4174.

PARA DENTRO
Nada de calçada – no restaurante Ecully (foto abaixo), o pet fica do lado de dentro. Um jardim, anexo à cozinha, permite a presença dos cães, que ganham um pote com água. Os garçons são bastante atenciosos e demonstram preocupação com o bem-estar dos animais. R. Cotoxó, 493, Pompeia, 3853-3933.

ASSENTO PREFERENCIAL
Há um consenso velado entre os frequentadores do Via Café: os clientes com seus animais têm prioridade para ocupar as seis mesas localizadas na varanda. A casa não deixa disponível uma vasilha com água, mas você pode pedir aos garçons, que prontamente providenciam. Av. Jacutinga, 365, Moema, 5051-7551.

PODE TUDO
Ir ao cinema, assistir a um show ou conferir uma exposição são atividades que, a princípio, imaginamos serem impossíveis de se fazer na companhia de um cachorro. Mas o Matilha Cultural (foto abaixo) permite estas – e algumas outras – experiências ao lado de seu melhor amigo. Na sala de projeção, o cheiro de talco era forte, mas o Adam se sentiu no sofá de casa e conseguiu se comportar durante o filme. R. Rêgo Freitas, 542, República, 3256-2636.

VAMOS JUNTOS
Food parks, lojas e até hotéis podem estar dispostos a receber (bem) seu pet. Confira uma lista de outros locais que prometem não vetar a entrada deles

RESTAURANTES
Na contramão das casas com ‘stop dog’, alguns restaurantes permitem que os donos façam suas refeições com os bichos por perto. O Coco Bambu JK (Av. Antônio Joaquim de Moura Andrade, 737, 3051-5255; foto) e o GOA (R. Cônego Eugênio Leite, 1.152, 3031-0680) têm mesas em torno de seus jardins liberadas para os pets. Já no Museo Verônica (R. Tuim, 370, 5051-2654) e no La Petit Mercearia (R. Min. Ferreira Alves, 282, 3675-6696) eles ficam nas varandas. Em todos, a água para o bichinho é cortesia.

SHOPPING CENTERS
Muitos centros de compras aderiram à onda pet friendly, mas com certas restrições. Em alguns, eles só são autorizados se estiverem no colo do donos. Mas há vários em que o trânsito dos animais é permitido, desde que presos à coleira. É o caso do Center 3, Cidade Jardim, Frei Caneca, Jardim Sul, Pátio Paulista, Pátio Higienópolis, Top Center e Villa Lobos.

ESPORTES
Que tal disputar uma corrida em dupla, tendo como parceiro de prova seu amigo de quatro patas? Na SP Dog Run, marcada para o dia 12/4, há um circuito de 5 km, que premia vencedores com troféu e medalhas. Se o pet não tem porte atlético, a alternativa é a ‘Cãominhada’, com trajeto de 2 km – e todos ganham medalhas. Inscrições: www.spdogrun.com.br.

FOOD PARKS
Embora a maioria seja a céu aberto, poucos parques gastronômicos permitem pets. Mas há exceções. O Calçadão Urbanoide (R. Augusta, 1.291; foto abaixo), que funciona diariamente. A Feirinha Gastronômica Jardim das Perdizes (Av. Marquês de São Vicente, 2.301), que retoma suas atividades a partir deste sábado (21). E o Moema Food Trucks (R. Normandia, s/nº), que promove sua edição mensal no domingo (22).

HOTÉIS
Alguns hotéis da cidade permitem que os clientes hospedem seus cachorrinhos no mesmo quarto. Mas há uma taxa de manutenção, que varia de acordo com o serviço prestado. No Sheraton WTC (Av. das Nações Unidas, 12.559, 3055-8000; foto abaixo), é acrescido à diária o valor de R$ 300. O pacote inclui cama, potes de água e ração, itens de higiene e até um passeio com o mordomo. No Tivoli Mofarrej (Al. Santos, 1.437, 3146-5900) a taxa é de R$ 250, mas não inclui o tour com funcionários. Mais em conta, o serviço para hóspedes com cães no Pullman Ibirapuera (R. Joinville, 515, 5088-4000) acresce R$ 150 à diária.

LOJAS
Mesmo com o piso totalmente acarpetado, os cachorros são bem-vindos na Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2.073, 3170-4033). Ao entrar, fique de olho no pet para que ele não marque território. Perto dali, a loja Laundry (Al. Tietê, 168, 3064-4661), que vende roupas e acessórios vintage, tem um espaço em que os animais podem até ficar soltos enquanto seus donos enchem as sacolas.

Mais conteúdo sobre:

Pet friendly