Após duas décadas, cavaletes de Lina Bo Bardi retornam à pinacoteca do Masp
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Após duas décadas, cavaletes de Lina Bo Bardi retornam à pinacoteca do Masp

Celso Filho

10 de dezembro de 2015 | 16h57


Masp

Foto: Divulgação

Quando assumiu o cargo de diretor artístico do Museu de Arte de São Paulo (Masp), em 2014, Adriano Pedrosa prometeu que os cavaletes de vidro de Lina Bo Bardi retornariam ao projeto expográfico do museu. Nesta sexta-feira (11), quase 20 anos depois de terem sido retiradas, as peças voltam a ocupar o segundo andar do prédio.

Considerados revolucionários, os cavaletes foram criados por Lina para a atual sede do Masp, em 1968. Saíram de cena em 1996, quando o museu passou por uma reforma, com a construção de paredes divisórias. Agora, partir de desenhos da arquiteta, mais de cem peças de quatro tamanhos foram reconstruídas. As adaptações foram pontuais, como a base de concreto que ganhou calços para amortecer as vibrações do prédio e barras metálicas para o ajuste das obras. O vidro também foi substituído por cristal.

A primeira exposição com os novos cavaletes é de longa duração e reúne 119 obras do acervo: desde criações datadas do século 4 a.C., como uma escultura da deusa grega Higeia, até obras de artistas contemporâneos, como Marcelo Cidade. Também será possível ver nomes importantes, como Cézanne, Matisse e Portinari.

ONDE: Masp. Av. Paulista, 1.578, metrô Trianon-Masp, 3149-5959. QUANDO: 10h/18h (5ª, até 20h; fecha 2ª). Inauguração: hoje (11). Por tempo indeterminado. QUANTO: R$ 25 (5ª, a partir das 17h, e 3ª, grátis).

Tudo o que sabemos sobre:

cavaletes de vidroLina Bo BardiMasp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.