Personalidades ligadas a cultura e gastronomia indicam seus lugares preferidos de São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Personalidades ligadas a cultura e gastronomia indicam seus lugares preferidos de São Paulo

Redação Divirta-se

05 de dezembro de 2019 | 16h26

Humberto Abdo, Danilo Casaletti (especial para o Estado), Júlia Corrêa e Lucinéia Nunes

Personalidades de diferentes áreas – como música, cinema, teatro e gastronomia – indicam seus lugares preferidos em São Paulo

BOB WOLFENSON

Com quase 50 anos de carreira, o fotógrafo paulistano consagrou-se pela produção de retratos icônicos de personalidades da arte, da política e do esporte.

Auto-retrato. Foto: Bob Wolfenson

Casa do Povo. “Os projetos são muito bacanas. Atendem causas sociais delicadas e urgentes na nossa sociedade.” R. Três Rios, 252, Bom Retiro, 3227-4015. 14h/19h (fecha dom. e 2ª). Grátis.

Espaço 28 (sede do grupo 28 Patas Furiosas). “Frequento muito o local, e selecionei um (teatro) para representar esta classe artística que admiro.” R. Dr. Bacelar, 1.219, V. Clementino, 99483-5639.

Barraca do peixe do Rogério. Para o fotógrafo, uma banca da feira livre da Rua Oscar Freire é especial. “Gosto do produto desta barraca, do cuidado.” R. Oscar Freire, 1.850, Pinheiros. Dom., 6h/14h.

Galeria Millan. Foto: Nando Millan

Galeria Millan. “Vou sempre que posso. Não só porque me representa; as exposições são muito boas.” R. Fradique Coutinho, 1.360 e 1.416, Pinheiros, 3031-6007. 10h/ 19h (sáb., 11h/18h; fecha dom.). Grátis.

Barraca de coco do Santista. Na feira do Pacaembu, a banca é seu lugar de pausa. “Faço esporte no local e é bom parar por ali um pouco.” Pça. Charles Muller, s/nº, Pacaembu. 3ª, 5ª, 6ª e sáb., 7h/14h.

MARIANA FONSECA

A chef está à frente de seis restaurantes em São Paulo: os gregos Myk, Fotiá e Kouzina (com três unidades) e o Vulcano, que traz a cozinha do sul da Itália.

Chef Mariana Fonseca. Foto: André Giorgi

Livraria da Vila. “Sou assídua. Sempre gostei de ler. Agora, com meu filho Theodoro, o cardápio literário aumentou. Amo adquirir livros de histórias e fábulas para ler com ele.” R. Fradique Coutinho, 915, Pinheiros, 3814-5811. 9h/22h (sáb., 10h/20h; dom. e fer., 11h/20h).

Casa Santa Luzia. “Tem os melhores produtos nacionais e importados e já se tornou um passeio em família fazer compras ali. Conheço os colaboradores e a rotisserie faz o cuscuz de camarão que tanto gosto.” Al. Lorena, 1.471, Jd. Paulista, 3897-5000. 8h/20h45 (fecha dom.).

Mercadão de São Paulo. Foto: Rafael Arbex/Estadão

Mercadão. “Além das mercadorias, tem a beleza da arquitetura e dos vitrais. Os aromas de temperos e frutas e a barraca de peixes me fazem viajar e sonhar com ideias para novos pratos.” R. da Cantareira, 306, Centro, 3326-6664. 6h/18h (dom. e fer., 6h/16h).

Parque Burle Marx. “Um dos momentos de que não abro mão, pois me conecto à natureza, com meu filho. É incrível ele poder brincar e ter contato com macaquinhos num espaço arborizado.” Av. D. Helena Pereira de Moraes, 200, V. Andrade, 3746-7631. 7h/19h. Grátis.

A Bela Sintra. “Também adoro saborear um prato feito para mim e lá me sinto em casa. Comida boa e atendimento impecável. Faz parte da minha rota nos dias de folga.” R. Bela Cintra, 2.325, Cerqueira César, 3891-0740. 12h/15h30 e 19h/1h (6ª, até 2h; sáb., 12h/2h; dom., 12h/23h30).

DANIEL REZENDE

Cineasta paulistano, já dirigiu Bingo: O Rei das Manhãs (2017), Turma da Mônica – Laços (2019) e a série recém-lançada Ninguém Tá Olhando (Netflix).

Foto: Paulo Manzato Jr.

Chocommelier. “Disparado o melhor chocolate de São Paulo. O bombom de chocolate com queijo grana padano (R$ 5) é algo indescritível. É o lugar que mais frequento (na cidade).” R. Mateus Grou, 40, Pinheiros, 2338-4000. 11h/19h (sáb., 12h30/20h; dom., 13h/18h).

Suri. “Um excelente restaurante de ceviches. Todos são muito bons, mas a ‘Parillada Altamar’ (R$ 113) é o meu prato favorito.” R. Mateus Grou, 488, Pinheiros, 3034-1763. 19h/23h (5ª, 12h/15h e 19h/23h; 6ª, 12h/15h e 19h/0h; sáb., 12h/0h; dom., 12h/22h).

Espaço Itaú Augusta. “Melhor cinema de rua. Melhor programação. Melhor café de cinema. Melhor livraria de cinema. Melhor público. Frequento desde a faculdade.” R. Augusta, 1.475, metrô Consolação. Diariamente, 13h30/22h. R$ 26/R$ 38. Inf.: bit.ly/ItaúAugu

Fachada do Bar Boca de Ouro. Foto: Nilton Fukuda/Estadão

Boca de Ouro (foto). “O balcão é o lugar pra ficar e a trilha sonora é sempre fantástica. Bar bom para conversar com amigos e tomar um drinque preparado com cuidado e talento.” R. Cônego Eugênio Leite, 1.121, Pinheiros, 4371-3933. 18h/2h (2ª a 4ª, 18h/0h; fecha dom.).

Avenida Paulista. “O ritmo acelerado da cidade precisa de fuga e entretenimento. A Avenida Paulista fechada aos domingos é um lazer barato, divertido e que troca arte e cultura com todas as pessoas, sem restrições.” Av. Paulista, s/nº. Dom., 10h/18h. Grátis.

MEL LISBOA

Além da série Coisa Mais Linda (Netflix), a atriz estreou, este ano, a peça Dogville, da qual é protagonista e que tem apresentado em diversas cidades.

Mel Lisboa. Foto: Denise Andrade/Estadão

Teatro Municipal. “Está com um projeto muito bacana e inclusivo. Muita gente pensa que é inacessível, mas é o contrário disso. Tem vários shows, espetáculos de dança e óperas com preços populares.” Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, Centro, 3053-2090.

Ocupação 9 de Julho. “Tem vários eventos: filmes de graça; almoços no último domingo de mês, feitos por chefs convidados a preços populares; espetáculos de grupos de várias áreas. É um lugar muito especial.” R. Álvaro de Carvalho, 427, Bela Vista. Inf.: bit.ly/ocupa9

Sede da Cia. Pessoal do Faroeste. Foto: JF Diório/Estadão

Sede da Cia. Pessoal do Faroeste. “Sou parceira do grupo. Sei o quanto é complicado se manter ali e fazer as coisas do jeito que fazem. É um lugar bastante inclusivo. Todos os espetáculos são ‘pague quanto quiser’.” R. do Triunfo, 305, metrô Luz, 3362-8883.

Casa de Cultura Os Capoeira. “É um centro cultural criado este ano. Eles já tinham um bloco e aí abriram um espaço próprio, com aulas, shows. Sempre tem roda de capoeira aos domingos (dom., 15h; grátis).” R. Belmiro Braga, 186, Pinheiros, 98141-5534.

Parque Ibirapuera. “Além de espaço para show, gosto muito dos museus dentro do parque. O MAM e o Museu Afro (Brasil) tem mostras muito legais e acessíveis. É um lugar que tem de ser preservado.” Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, 5574-5045. 5h/0h. Grátis.

PÉLICO

O cantor e compositor, que lançou, recentemente, o quarto disco de sua carreira, Quem Me Viu, Quem Me Vê, tem locais bem variados entre seus preferidos.

Foto: Caroline Bittencourt

Cinemateca Brasileira. “A primeira vez que fui lá, há uns cinco anos, assisti ao projeto Cinepiano, do (músico) Tony Berchmans. Sou um fiel frequentador.” Lgo. Senador Raul Cardoso, 207, V. Clementino, 3512-6111. 8h/21h (2ª, 3ª e 4ª, 8h/18h). Grátis.

Casa Garabed. “Um restaurante fundado por armênios em 1951; uma casinha escondida em Santana. Se eu fosse você, ia até lá comer a esfiha de pernil de cordeiro (R$ 14,90).” R. José Margarido, 216, Santana, 2976-2750. 12h/21h (fecha 2ª e 3ª).

Galeria Crua. “Adoro ir às quartas-feiras. Tem exposições, comidinhas, cerveja gelada e o Jam Bros., show improvisado capitaneado por Otto e Junio Barreto.” R. Cons. Nébias, 1.441, Campos Elísios, 97462-4925. 4ª, 18h/22h (quinzenalmente). Grátis. Inf.: bit.ly/gcrua

Foto: Evelson Freitas/Estadão

Parque da Água Branca (foto). “Melhor lugar pra dar uma caminhada, ler um livro e esquecer que moro numa cidade infestada de prédios. Bom também que é pertinho de casa.” Av. Francisco Matarazzo, 455, Barra Funda, 3803-4200. 6h/20h. Grátis.

Ocupação 9 de Julho. “Um dos espaços mais importantes da cidade, com biblioteca comunitária, bazar, brinquedoteca, marcenaria, exposições e shows. Um grito de resistência.” R. Álvaro de Carvalho, 427, Bela Vista. Exposição: 14h/20h (fecha 2ª, 3ª e 4ª). Inf.: bit.ly/ocupa9

MICHELLY ROSSI

A bartender já passou pelo Fel, que fica no térreo do Edifício Copan, e, atualmente, é gestora de bares do Grupo Tokyo, que inclui as baladas Tokyo e Selva.

Foto: Marcelography

Conceição Discos & Comes. “A ideia de ser uma loja de discos com uma comida maravilhosa une dois amores – fora a energia da Talitha Barros (proprietária), que sempre te recebe com amor.” R. Imaculada Conceição, 151, V. Buarque, 3477- 4642. 10h/21h (fecha dom. e 2ª).

Pinacoteca. “Sempre morei no Centro e ela sempre esteve próxima. Já vi exposições muito bacanas por lá – uma que me marcou foi ‘Andy Warhol, Mr. America’, na Estação Pinacoteca, em 2010.” Pça. da Luz, 2, 3324-1000. 10h/18h (fecha 3ª). R$ 10 (sáb., grátis).

Galeria Olido. “Espaço com atrações gratuitas ou a preço popular. Lembro de ter visto ‘O Profeta da Fome’ (1970), com José Mojica Marins, numa sessão com o personagem Zé do Caixão.” Av. São João, 473, Centro, 2899-7370. 10h/21h (sáb., 13h/21h; dom., 13h/20h). Grátis.

Foto: Nilton Fukuda/Estadão

Sesc 24 de Maio (foto). “Costumo frequentar um pouco mais essa unidade, com estrutura completa, de restaurante a piscina no terraço. A programação de shows é sempre bacana.” R. 24 de Maio, 109, metrô República, 3350-6300. 9h/21h (dom. e fer., 9h/18h). Grátis.

Por Um Punhado de Dólares. “Café de qualidade com pessoas muito bacanas envolvidas no projeto. Gosto de ter a opção de levar o café (em grãos ou moído) para casa.” R. Nestor Pestana, 115, metrô Anhangabaú, 3214-5891. 10h/0h (2ª e 6ª, 10h/22h).

THIAGO KOCH

O chef passou por várias cozinhas da cidade, como a do grupo Le Vin, antes de abrir, em 2015, a lanchonete Bullguer – atualmente, com mais de 20 unidades.

Chef Thiago Koch. Foto: Maria Clara Cavalcanti

República. “Gosto muito dessa região pela variedade de lugares. Tem tudo lá. Gosto de ir para beber um drinque e depois migrar para algum restaurante, como o Boi na Brasa (R. Marquês de Itu, 139, 3223-6162), para aproveitar o Centro de São Paulo.”

Reserva Cultural. “Eu e minha noiva gostamos de ir sempre lá aos domingos à noite. Moramos perto; fica mais fácil. Mas o que realmente gostamos é da curadoria de filmes e do fato de ser um cinema fora de shopping.” Av. Paulista, 900, metrô Trianon-Masp, 3287-3529.

Sala São Paulo. Foto: José Patrício/Estadão

Osesp na Sala São Paulo. “Acho que todo mundo deveria ir lá. É fácil, preço acessível e o lugar é lindo. Fui a primeira vez há cerca de quatro anos, sem saber o que rolaria. Foi sensacional. Volto e indico.” Pça. Júlio Prestes, 16, Luz, 3777-9721.

Balsa. “Adoro o local, a música, as pessoas. A vista é linda. Despretensioso, é o bar/balada mais paulistano que conheço. Lá, gosto de tomar um negroni e também um Baer Mate.” R. Capitão Salomão, 26, 4º andar, Centro, 94177-7477. Programação: bit.ly/balsa26

Rua Galvão Bueno. “A rua na Liberdade proporciona um passeio gastronômico muito legal. Os mercadinhos são supercompletos e cheios de artigos orientais. Sempre que preciso de algo específico vou até lá e, de quebra, ainda tem restaurantes e lojinhas diversas.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.