Peça com Herson Capri e Genézio de Barros está entre as estreias da semana
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Peça com Herson Capri e Genézio de Barros está entre as estreias da semana

Júlia Corrêa

27 Setembro 2018 | 15h49

Primeira adaptação brasileira do livro do húngaro Sándor Márai (1900-1989), a peça As Brasas estreia esta semana em montagem protagonizada pelos atores Herson Capri e Genézio de Barros. Com dramaturgia assinada por Duca Rachid e Julio Fischer, com colaboração do diretor Pedro Brício, trata-se de uma história de amor e amizade – marcada, entretanto, por rancor e ressentimento.

Foto: Leo Aversa

No enredo, Henrik e Konrad – vividos, respectivamente, por Herson e Genézio –, eram dois amigos inseparáveis que se conheceram na escola militar e passaram a partilhar suas descobertas e experiências ao longo da infância e da juventude. Porém, tudo mudou no dia em que Konrad desapareceu durante uma caçada na floresta do castelo de Henrik, na Hungria – o que fez com que os dois ficassem 41 anos sem se ver.

A peça se ambienta após todo esse tempo, quando Henrik, agora general, recebe uma carta na qual o outro amigo conta estar de volta à cidade. Com a expectativa do encontro, guarda-se, porém, um segredo que ronda o dia da caçada e envolve uma terceira personagem, Kriztina, mulher de Henrik e amiga de infância de Konrad.

70 min. 12 anos. ONDE: Sesc Santana. Teatro (330 lug.). Av. Luiz Dumont Villares, 579, 2971-8700. QUANDO: Estreia sáb. (29). 6ª e sáb., 21h; dom., 18h. Até 4/11. QUANTO: R$ 9/R$ 30.

CONFIRA OUTRAS ESTREIAS

Hamlet
A Armazém Companhia de Teatro traz conflitos contemporâneos em diálogo com a obra de Shakespeare. Paulo de Moraes dirige a peça, e Patrícia Selonk dá vida ao protagonista. 140 min. 14 anos. CCSP. Sala Jardel Filho (321 lug.). R. Vergueiro, 1.000, metrô Vergueiro, 3397-4002. Estreia 6ª (28). 3ª a 5ª, 20h; 6ª e sáb., 21h; dom., 20h. R$ 40. Até 14/10.

Guardado em Silêncio
A Cia. Alvo apresenta as memórias de um soldado alemão que presencia sua amiga de infância judia ser levada pelo regime nazista. 50 min. 12 anos. Teatro União Cultural (285 lug.). R. Mário Amaral, 209, Paraíso, 2148-2923. Estreia sáb. (29), 21h. 6ª, 21h. R$ 40. Até 26/10.

Mortos-Vivos – Uma Ex-Conferência
Com texto de Alex Cassal e direção de Renato Linhares, a peça do grupo Foguetes Maravilha é ambientada em um apocalipse zumbi. Com metáfora para problemas do mundo atual, mostra uma conferência realizada para descobrir as armas necessárias para enfrentar a situação. 80 min. 12 anos. Sesc Belenzinho. Sala de Espetáculos I (90 lug.). R. Pe. Adelino, 1.000, 2076-9700. Estreia 6ª (28). 6ª e sáb., 21h30; dom., 18h30. R$ 9/R$ 30. Até 27/10.

Na Parede da Memória
Na peça escrita por Fabrício Branco e dirigida por Paulo Merisio, quatro amigos se reencontram no apartamento onde viviam. 70 min. 16 anos. Teatro Itália (276 lug.). Av. Ipiranga, 344, metrô República, 3255-1979. Estreia 4ª (3). 4ª, 21h. R$ 50. Até 28/11.

Script – Um Longa Metragem Improvisado
O espetáculo dirigido por Ian Soffredini mistura improviso com recursos do cinema. Teatro dos Arcos (70 lug.). R. Jandaia, 218, Bela Vista, 97056-5787. Estreia 6ª (28). 6ª, 21h. Grátis (retirar ingresso 1h antes). Até 2/11.

ESPECIAL

No comando da companhia Ex Machina, o multiartista canadense Robert Lepage encena o espetáculo 887. Idealizada a partir de suas lembranças de infância, a peça propõe uma incursão no universo da memória, ligada a aspectos como tempo, esquecimento e inconsciente. 120 min. 10 anos. Sesc Pinheiros. Teatro Paulo Autran (1.010 lug.). R. Paes Leme, 195, 3095-9400. 6ª (28) e sáb. (29), 21h. R$ 12/R$ 40.

Foto: Érick Labbé

Lepage também apresenta, em parceria com o argentino Alberto Manguel, uma exposição no Sesc Avenida Paulista, que propõe uma imersão por bibliotecas ao redor do mundo.