Paul Rudd retorna às telas com o novo ‘Homem-Formiga e a Vespa’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Paul Rudd retorna às telas com o novo ‘Homem-Formiga e a Vespa’

André Carmona

05 Julho 2018 | 15h58

Foto: Ben Rothstein

Três anos depois de dirigir ‘Homem-Formiga’ – o primeiro filme solo do super-herói que trava batalhas em miniatura –, Peyton Reed foi incumbido, pela Marvel, da missão de dar sequência à história do personagem, interpretado por Paul Rudd.

E se o roteiro, coassinado também por Rudd, é um pouco conservador em relação à construção e ao aprofundamento da trama, o novo filme se vale (e muito) do carisma e do humor do ator.

Homem-Formiga e a Vespa é ambientado após os acontecimentos de ‘Capitão América: Guerra Civil’, quando Scott Lang, o Homem-Formiga, quebra o Tratado de Sokovia (quem assistiu ao filme se lembrará da épica batalha no aeroporto). Por conta disso, é condenado a três anos de prisão domiciliar. Poucos dias antes de ser libertado, porém, ele estabelece uma estranha conexão, em sonho, com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), desaparecida há 30 anos no universo ‘quântico’.

Ao tentar entender o fenômeno, Lang acaba convocado por Dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) para uma difícil missão. Eles estão construindo uma máquina que daria acesso ao mundo ‘quântico’, com o objetivo de salvar Janet. Só não esperavam que uma nova vilã (Hannah John-Kamen), chamada de Fantasma por seu poder de desaparecer, também estivesse de olho na invenção.

O projeto gráfico rende um visual bonito. As batalhas até empolgam. Mas a sustentação do filme se dá mesmo pelo teor cômico e pela ótima atuação de Paul Rudd.

Confira a programação completa no Guia de Cinema do Divirta-se