As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘O Quarto de Jack’ tem quatro indicações ao Oscar

Redação Divirta-se

18 de fevereiro de 2016 | 16h25

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Nesse estranho filme chamado O Quarto de Jack, vemos uma mulher tentando distrair sua filha (ou será filho?) no espaço fechado de um pequeno quarto. Descobrimos que é nesse exíguo habitat que ambos estão confinados, por motivos que é melhor deixar o espectador descobrir. Este é o enredo básico deste concorrente em quatro categorias do Oscar: melhor filme, melhor direção (Lenny Abrahamson), melhor atriz e roteiro adaptado.

Talvez nas disputas pelas estatuetas de melhor filme e direção, ‘O Quarto de Jack’ entre como azarão. Na de roteiro adaptado, pode ter boas chances. Já a atriz Brie Larson, que faz a mãe, é considerada favorita em sua categoria. E, de fato, seu trabalho é excepcional, assim como o do garoto Jacob Tremblay (não indicado), como Jack. Se o elenco vai bem, dando vivacidade a uma trama difícil, não se pode ignorar o trabalho do diretor irlandês Lenny Abrahamson que, afinal, é o regente da ‘orquestra’.

Ele consegue não apenas dar verossimilhança à história, mas fazer dela uma experiência sufocante e cheia de significados. Pelo seu desenvolvimento, o espectador pode ser levado a refletir sobre confinamento e violência, e como eles deixam marcas nas pessoas. Também é lição (nada pedagógica, por falar nisso) sobre a maneira de enfrentar traumas. A cura para eles, se existe, exige inteligência e coragem, virtudes que não faltam nem à mãe e muito menos ao pequeno Frank. Luiz Zanin Oricchio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.