As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não é tudo, mas é um pouco e já está ótimo

Redação Divirta-se

05 de fevereiro de 2021 | 05h07

RÊ PROVA

Toda semana, Renata Mesquita vai reprovar absurdos vistos por aí nessa nova rotina imposta pela pandemia

Vamos lá, pessoal. Podemos dizer que “reconquistamos” nossa liberdade de ir a parques, restaurantes e shoppings – seja lá o que lhe faz mais feliz – aos fins de semana. Maravilha! (quem diria que isso seria algo para celebrar, mas, sim, é).

Como disse João Doria no seu pronunciamento: “São boas notícias”. Sem dúvida, governador. Os donos de restaurantes e estabelecimentos – que são fortemente afetados pela fase vermelha – têm um respiro financeiro. Do outro lado, nós, a população, ganhamos o poder de usufruir desse lazer nesse verão quente eterno e de tanta ansiedade.

Mas, atenção, não é porque está liberado pelo governo que a porteira abriu. Não significa: galera, pode deitar e rolar. Não! Aproveite com cautela, com cuidado e, mais, com sensatez.

Se você preza tanto o jantar fora de casa no sábado à noite, a pedalada no domingo de manhã no Ibirapuera ou o ar-condicionado do shopping, não deixe essa oportunidade escorregar das nossas mãos mais uma vez. Porque, se fecha tudo, a culpa é nossa mesmo… ou, melhor, daqueles que saem por aí sem noção alguma ou máscara.

E, olha, escrevo isso não por prever um cenário (que de fato já prevejo), mas porque ontem mesmo, quando as novas medidas ainda não haviam entrado em vigor, já vi muita gente na rua, em bares até mais tarde, aglomerando.

E assim, sendo bem direta para a mensagem chegar: um pouco é melhor que nada, não é mesmo? Então não estrague, por favor. Faz, mas faz de boa, é só isso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.