Músicos nascidos fora de São Paulo indicam os programas favoritos na cidade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Músicos nascidos fora de São Paulo indicam os programas favoritos na cidade

Renato Vieira

22 de agosto de 2019 | 15h33

LUEDJI LUNA

Luedji Luna. Foto: Danilo Sorrino

+ A cantora e compositora de Salvador já tinha uma trajetória sólida antes de lançar seu primeiro álbum, ‘Um Corpo no Mundo’ (2017), pelo qual conquistou prêmios e indicações na categoria revelação. Começou a se apresentar nos palcos da capital baiana em 2011 e participou de diversos projetos musicais antes de se mudar para São Paulo, quatro anos mais tarde. Na faixa que intitula o trabalho de estreia, Luedji fala sobre como foi sair da cidade natal em busca de algo novo, com a consciência de que sua forma de engajamento social seria a música: “Atravessei o mar/ Um sol da América do Sul me guia/ Trago uma mala de mão / Dentro uma oração / Um adeus”. De show em show, o público foi se tornando cada vez mais atento à artista, que conquistou mais de três milhões de visualizações no YouTube com o videoclipe da festiva ‘Banho de Folhas’. Ela faz show gratuito no domingo (25), às 19h, no Parque Ibirapuera, em apresentação que integra a programação da Virada Sustentável 2019.

+ Palavra de quem entende: para Luedji, o Tabuleiro do Acarajé é o melhor ponto para comer o famoso bolinho fora da Bahia. R. Jesuíno Pascoal, 30, Consolação, 4301-4363. 18h/21h (sáb., 13h/17h; fecha 6ª e dom.).

+ Centro cultural voltado à população negra, o Aparelha Luzia se diz um quilombo urbano. “É o melhor lugar de São Paulo.” R. Apa, 78, Campos Elísios. 20h/3h (5ª, 20h/1h; dom., 17h/ 0h; fecha 2ª a 4ª). Inf.: bit.ly/apluz

Sesc 24 de Maio. Foto: Marina Burity

+ O Sesc 24 de Maio (foto) também está no itinerário da cantora: “Gosto de ir lá em cima e ver a cidade do alto”. R. 24 de Maio, 109, metrô República, 3350-6300. 9h/21h (dom., 9h/18h; fecha 2ª).

+ Ela ainda indica a Discopédia, festa com três DJs voltada à cultura hip hop. “Vou desde que cheguei em São Paulo.” Mundo Pensante. R. 13 de Maio, 830, Bela Vista, 5082-2657. 31/8, 23h. R$ 15/R$ 35.

FILIPE CATTO

Filipe Catto. Foto: Lorena Dini

+ Ele saiu do Rio Grande do Sul rumo a São Paulo há nove anos. Em conversa com o Divirta-se, conta que ama a cidade que adotou desde então – e faz questão de aproveitar o que ela oferece de melhor, o que inclui sua vida noturna. O cantor chamou a atenção do público pelo ecletismo do repertório de seu álbum de estreia, ‘Fôlego’ (2011). Desde então, mantém uma carreira consolidada e o amparo de um público fiel, que enche a plateia de suas apresentações. ‘Catto’ (2017), seu trabalho de estúdio mais recente, é considerado por parte da crítica seu melhor disco. Nesta 5ª (29), às 21h, no Teatro Itália (Av. Ipiranga, 344, metrô República), Filipe participa de um tributo ao cantor e ator Ivon Curi (1928-1995), ao lado de nomes como Ayrton Montarroyos, Claudette Soares, Cida Moreira e Maria Alcina (R$ 100).

+ O artista gosta de circular pela região central de São Paulo. “Eu vivo no Centro; a cidade é o cenário da minha vida.” Por ali, um dos locais que ele indica é o restaurante Orfeu, que fica próximo ao Edifício Copan. Av. Ipiranga, 318, República, 3129-9531. 12h/0h (sáb., 12h30/0h; dom., 12h30/17h).

+ Ele também costuma frequentar a Ocupação 9 de Julho: “As festas, a comida e a programação cultural que o lugar propõe é genial – fora toda a questão artística e de militância”. Domingo (25), às 12h, tem almoço comandado por Paulo Faria, da Cia. Pessoal do Faroeste. R. Álvaro de Carvalho, 427, Bela Vista.

+ Muitos artistas que se apresentam na capital têm como rumo certo, após os shows, a Cantina e Pizzaria Piolin, restaurante tradicional do Baixo Augusta. “É onde todo mundo se encontra – clássico absoluto”, diz Filipe. R. Augusta, 311, Consolação, 3256-9356. 19h/2h (6ª e sáb., 19h/3h; dom., 12h/1h).

Parque Ibirapuera. Foto: Amanda Perobelli/Estadão

+ O Parque Ibirapuera (foto) é um dos lugares em que o cantor gosta de correr. “É um grande orgulho, extremamente arborizado, lindo e democrático. É um ótimo lugar para praticar esporte, com uma programação cultural maravilhosa.” Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, V. Mariana. 5h/0h.

AÍLA

Aíla. Foto: Flora Negri

+ Radicada em São Paulo há mais de quatro anos, ela nasceu em Terra Firme, bairro da periferia de Belém. Desde 2012, quando lançou o álbum ‘Trelelê’, a cantora e compositora se mantém como uma das artistas mais interessantes do Pará. Em seu segundo álbum, o bem-sucedido ‘Em Cada Verso um Contra-ataque’ (2016), ela interpreta músicas a favor da igualdade de gêneros – entre elas, ‘Lesbigay’. O trabalho também é composto por músicas de Chico César e Siba. Em julho, ela lançou ‘Treme Terra’, primeiro de uma série de singles.

Mundo Pensante. Foto: Catuaba: A Festa

+ “É interessante circular em espaços independentes”, diz ela, citando a casa de shows Mundo Pensante (foto). R. 13 de Maio, 830, Bela Vista, 5082-2657. Inf.: bit.ly/mpensante

+ É na Praça da Nascente que a cantora e compositora passa alguns fins de tarde em São Paulo. “Gosto muito de ver o pôr do sol lá.” R. André Casado, 403, Sumaré.

+ No Instituto Chão, ela adquire orgânicos. “Pra mim, faz sentido comprar direto do produtor.” R. Harmonia, 123, V. Madalena, 3819- 4205. 8h/19h (4ª e sáb., 8h/14h; fecha dom.).

+ “Reutilizar é uma coisa que me atrai”, conta ela, que vai ao Mercado das Pulgas Lóki Bicho – com duas edições mensais. Pça. Olavo Bilac, s/nº, S. Cecília. 31/8, 10h/20h.

JOSYARA

Josyara. Foto: Julia Rodrigues

+ Ela veio de Juazeiro, na Bahia, cidade que deu à música brasileira três nomes célebres: João Gilberto; Ivete Sangalo; e Luiz Galvão, o principal letrista dos Novos Baianos. Assim como o mestre da bossa nova, Josyara encontrou sua expressão musical no contato com o violão – no caso, aos 10 anos de idade. Morando em São Paulo desde 2014, a cantora e compositora já gravou dois álbuns. O mais recente, ‘Mansa Fúria’, saiu em 2018. Ela se apresenta com Liniker e os Caramelows, dia 30/8, às 22h, no A Bolha Rooftop (R. Prof. Cesare Lombroso, 161, Bom Retiro; R$ 50).

+ A artista recomenda o Al Janiah, mistura de bar, restaurante e centro cultural. “É um espaço que recebe todo mundo e fomenta a cultura.” R. Rui Barbosa, 269, Bela Vista. 18h30/0h30 (6ª e sáb., até 2h; dom., até 0h; fecha 2ª).

+ Para ela, a Praça do Pôr do Sol é um bom lugar para passar o fim de tarde. “Descobri logo que cheguei em São Paulo. Foi o que mais me pegou – ver o horizonte.” R. Des. Ferreira França, s/nº, Alto de Pinheiros.

+ Josyara frequenta o Porão, espaço de música independente. “É um lugar incrível onde as pessoas se reúnem para fazer um som.” R. Cardeal Arcoverde, 714, V. Madalena. 2ª, 4ª e 6ª, 23h. Inf.: bit.ly/poraoinsta

Tiquim. Foto: Flare Fotografia

+ No bar Tiquim (foto), ela indica o ‘Frango à Japarinho’ (R$ 27), pedaços da asa de frango servidos com molho de alho com gergelim. R. Cayowaá, 1.301, Perdizes, 3582-9743. 12h/0h (fecha dom).

AYRTON MONTARROYOS

Ayrton Montarroyos. Foto: JF Diorio/Estadão

+ Morando em São Paulo há três anos, o cantor vive de música desde a adolescência, época em que participava da cena de Recife, sua cidade natal. Apreciador de todo tipo de arte, ele fez parte do elenco de intérpretes do programa ‘The Voice’, da Rede Globo, sendo vice-campeão da edição de 2015 do programa. Dois anos depois, lançou o primeiro álbum solo, mesclando canções de nomes célebres, como Caetano Veloso, com músicas de artistas contemporâneos. Atualmente, roda o Brasil com a turnê de seu segundo disco, ‘Um Mergulho no Nada’, gravado ao vivo com o violonista Edmilson Capelupi. Na 4ª (28), às 20h30, ele faz show desse trabalho no auditório do Sesc Pinheiros (R. Paes Leme, 195; R$ 7,50/R$ 25).

Instituto Moreira Salles. Foto: Pedro Vannucchi

+ O cantor é frequentador assíduo do Instituto Moreira Salles (foto). “É um lugar belíssimo, com ótimas exposições de fotografia, onde aprendi a fruir melhor as imagens”, afirma. Av. Paulista, 2.424, metrô Paulista, 2842-9120. 10h/20h (5ª, 10h/22h; fecha 2ª).

+ A cozinha do Le Jazz Brasserie está entre as preferidas de Ayrton – que até comemorou lá, recentemente, seu aniversário. “Os pratos são excelentes e os preços não são altos”, observa. R. dos Pinheiros, 254, Pinheiros, 2359-8141. 12h/0h (6ª e sáb., 12h/1h).

+ Para relaxar na cidade, ouvindo música no fone de ouvido, o artista indica o Parque Buenos Aires. Ele considera o espaço “um centro de paz no meio da loucura e do corre-corre da Avenida Angélica”. Av. Angélica, 1.500, Higienópolis. 6h/19h.

+ Ayrton também costuma encontrar amigos no Conceição Discos & Comes, em Santa Cecília. “Além dos pratos, o local tem uma seção muito boa de discos de vinil para venda”, diz. R. Imaculada Conceição, 151, S. Cecília, 3477-4642. 10h/21h (fecha dom. e 2ª).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: