MIS inaugura exposição que traça um panorama do gênero musical no cinema
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

MIS inaugura exposição que traça um panorama do gênero musical no cinema

Redação Divirta-se

10 de novembro de 2019 | 10h00

Danilo Casaletti (especial para o Estado)

Foto: Acervo Marc Wanamaker Bison

‘Cantando na Chuva’; ‘O Mágico de Oz’; ‘A Noviça Rebelde’; ‘Os Embalos de Sábado À Noite’; ‘Hair’; ‘Mamma Mia!’… Difícil fechar uma lista dos melhores musicais da história do cinema. O bom mesmo é vê-los todos juntos, como é possível na nova exposição Musicais no Cinema – a abertura é na 4º (13)- , uma parceria entre o Museu da Imagem e do Som (MIS) e o Musée de la Musique – Philharmonie de Paris, que a exibiu entre outubro de 2018 e janeiro de 2019 – esta é a primeira vez que essa mostra será apresentada fora da França.

Com curadoria original de N. T. Binh, a exposição traz fotografias, cartazes, trechos de filmes, figurinos (como duas roupas usadas em ‘Rocketman’, por exemplo) e documentos (abaixo, um registro de ‘Cantando na Chuva’).

Production Code Administration Records

Aqui no Brasil, o cineasta e jornalista Duda Leite assumiu a curadoria, sobretudo para trazer os musicais brasileiros para dentro da mostra. “Temos uma área dedicada inteiramente a Carmen Miranda, que, apesar de ter feito boa parte de sua carreira em Hollywood, criou uma imagem tão icônica do Brasil que é imediatamente reconhecível até hoje”, conta Duda. Peças originais da artista, vindas especialmente do Museu Carmen Miranda, no Rio de Janeiro, como o turbante usado no número ‘Chic Chic a Boom Chic’, no longa ‘Uma Noite no Rio’ (na foto abaixo), poderão ser vistas.

Foto: Lily Daché/ Museu Carmem Miranda

Outra ala que, segundo Leite, deve atrair a atenção do público é a que utiliza três telas simultâneas para exibir diferentes filmes que se relacionam de alguma maneira. E, como música e dança, muitas vezes, estão ligadas, haverá duas iniciativas para estimular o público a dar seus próprios passos.

Uma delas será no Espaço Redondo do MIS, que será transformado em uma enorme pista de dança. Os visitantes também poderão fazer uma aula de sapateado com a atriz Cláudia Raia, por meio de um vídeo gravado especialmente para a exposição.

“A exposição foi pensada para todos os tipos de público. Mesmo quem não gosta de musicaisvai se surpreender”, aposta Leite.

Ao Divirta-se, o curador Duda Leite falou sobre a exposição ‘Musicais no Cinema’:

A mostra é dedicada aos filmes musicais. Ela é só para fãs do gênero?
A exposição foi pensada para todos os tipos de público e não apenas para os fãs de musicais. Mesmo quem não gosta de musicais, vai se surpreender. Para os fãs de música pop, por exemplo, traremos dois looks originais usados no filme Rocketman, a cinebiografia de Elton John. No setor dedicado ao cinema nacional, teremos de Mutantes a Roberto Carlos passando por Xuxa, Grande Otelo, diretores como Glauber Rocha e Carlos Manga, além do encontro inusitado entre Elza Soares e Mazzaropi. A seleção internacional também é bastante eclética e apresenta trechos de filmes e videoclipes com artistas como Björk, Michael Jackson, Fred Astaire e os musicais de Bollywood.

Você adaptou a mostra para o Brasil. Quais mudanças foram feitas?

O Brasil é um país extremamente musical, portanto não tínhamos como não incluir a música e o cinema brasileiro na exposição. Há trechos de filmes nacionais em quase todos os setores da exposição. Um deles, por exemplo, é dedicado ao clássico ‘Cantando na Chuva’, só que apresentando trechos de outros filmes onde a música tema foi usada, como no último filme de Hector Babenco, ‘Meu Amigo Hindu’, que termina com Bárbara Paz dançando na chuva. É uma bela homenagem. Também criamos alguns setores específicos para o conteúdo nacional. Temos uma área dedicada inteiramente a Carmen Miranda, que, apesar de ter feito boa parte de sua carreira em Hollywood, criou uma imagem tão icônica do Brasil que é imediatamente reconhecível até hoje. Os objetos deste setor vieram especialmente do Museu Carmen Miranda, do Rio de Janeiro. Além disso, gravamos uma série de depoimentos com atores, diretores e produtores que fizeram parte da história dos musicais no Brasil, como Cacá Diegues, Diogo Vilela, Silvio de Abreu, Lea Garcia e Elza Soares.

Como o cinema musical brasileiro será mostrado? 

Resolvemos não exibir de forma cronológica. Em vez disso, criamos setores temáticos dedicados a gêneros e escolas como as Chanchadas, o Cinema Novo e os Musicais Jovens – que inclui desde a trilogia dos filmes do Roberto Carlos dirigidos pelo Roberto Farias até filmes ‘new-wave dos anos 1980, como ‘Areias Escaldantes’, ‘Rock Estrela’ e ‘Bete Balanço’. Também teremos um setor chamado ‘Música Brasileira no Cinema’, com participações no cinema de artistas como Os Mutantes, João Gilberto, Tom Jobim, Bibi Ferreira e Jaloo.

Qual sugestão você dá ao espectador para que ele possa aproveitar a mostra da melhor maneira possível?
Venha visitar a exposição com o coração e a mente abertos, sem preconceitos. Prepare-se para ser tomado de fortes emoções que vão fazer você sair da exposição querendo cantar e dançar, de preferência, não na chuva.

ONDE: MIS. Av. Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777.
QUANDO: Inauguração: 4ª (13). 10h/20h (dom. e fer., 10h/19h; fecha 2ª).
Até 16/2/2020.
QUANTO: R$ 30 (3ª, grátis). Vendas pelo site: bit.ly/musicaisMIS

 

Tudo o que sabemos sobre:

exposiçãoMIScinemamusical

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: