As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

'Jauja' explora história absurda em deserto argentino

Redação Divirta-se

26 de junho de 2015 | 07h00

Jauja, vencedor do prêmio da crítica em Cannes em 2014, tem um quê de filme antigo. Com a câmera fixa e no formato de vinhetas de velhas fotografias, pode parecer uma obra muda, ainda que tenha (poucas) falas.

A impressão engana. Apesar das aparências, o longa do argentino Lisandro Alonso conta de forma ousada um enredo absurdo em meio a belas locações Uma legenda esclarece o título: Jauja é uma terra mítica, espécie de paraíso na Terra. A primeira imagem após o letreiro, no entanto, é do deserto da Patagônia.

Lá, durante o século 19, o dinamarquês Gunnar (Viggo Mortensen) e sua filha, Ingeborg (Viilbjørk Malling Agger), participam de uma expedição. Durante a noite, ela desaparece. Ao procurá-la pelo deserto, ele topa com episódios estranhos, numa narrativa que culmina numa virada surreal. RA