Inspirado na vida de matemático indiano, ‘O Homem que Viu o Infinito’ é uma das novidades de cinema
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inspirado na vida de matemático indiano, ‘O Homem que Viu o Infinito’ é uma das novidades de cinema

Redação Divirta-se

22 de setembro de 2016 | 17h33

Em O Homem que Viu o Infinito, o diretor Matt Brown evoca um personagem real, o indiano Srinivasa Ramanujam (1887-1920), um gênio que revolucionou o estudo da matemática.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Na verdade, Brown enfrenta problema semelhante ao de outros cineastas que também biografaram estudiosos de áreas pouco compatíveis com o senso comum, como os casos do físico Stephen Hawkings (‘A Teoria de Tudo’) e o também matemático Alan Turing (‘O Jogo das Imitações’). Números e quebra-cabeças intelectuais – nada disso dá boa dramaturgia popular. Por isso, se prefere abordar o lado ‘humano’ desses seres impalpáveis.

No caso de Ramanujam, em primeiro lugar, o preconceito com que foi recebido na Inglaterra e, em segundo, a saúde frágil, que ceifou sua vida de maneira precoce.

Ramanujam (Dev Patel) ganha a vida em seu país como contador e decide enviar seus manuscritos matemáticos à grande figura inglesa da disciplina, G.H. Hardy (Jeremy Irons). Este fica surpreso e convida o rapaz para estudar em Cambridge. Não terá vida fácil por causa de colegas e acadêmicos que o consideram um intruso, intuitivo e autodidata. Luta, também, contra uma tuberculose, que procura manter em segredo.

Pendendo para o sentimental, o longa evita entrar em complicações como as frações continuadas e as séries imensas de números, sobre as quais ele deixou valiosas contribuições. Mesmo assim, a história de Ramanujam emociona. Luiz Zanin Oricchio

 

Confira outras estreias:

 

Belas Famílias (Belles Familles, França/2016, 113 min.) – Drama. Dir. Jean-Paul Rappeneau. Com Mathieu Amalric, Marine Vacth, André Dussollier. Depois de algum tempo vivendo na China, Jèrôme volta à Franca para visitar a mãe e o irmão, e acaba tendo de resolver uma disputa pela casa onde passou a infância. 12 anos.

Cegonhas – A História Que Não Te Contaram (Storks, EUA/2016, 86 min.) – Animação. Dir. Nicholas Stoller, Doug Sweetland. Com Andy Samberg, Kelsey Grammer. A Montanha das Cegonhas é um grande empreendimento de entrega de bebês. Mas quando um de seus melhores entregadores comete um erro acidental, ele precisa correr para salvar situação. Livre.

Charlote SP (Brasil/2016, 118 min.) – Drama. Dir. Frank Mora. Com Fernanda Coutinho, Guilherme Leal, Fernão Lacerda. Depois de anos viajando pelo mundo, a modelo Charlote volta a São Paulo para encontrar suas origens e redescobrir sua identidade. 14 anos.

Epidemia de Cores (Brasil/2016, 70 min.) – Documentário. Dir. Mário Saretta. O documentário relata a rotina de participantes da Oficina de Criatividade realizada no Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre. 12 anos.

Lembranças de um Amor Eterno (La Corrispondenza, Itália/2016, 116 min.) – Drama. Dir. Giuseppe Tornatore. Com Jeremy Irons, Olga Kurylenko, Shauna Macdonald. Amy é uma estudante universitária que mantém um relacionamento pela internet com seu professor de astrofísica, Edward. Quando ele se recusa a encontrá-la pessoalmente, Amy descobre um triste segredo. 12 anos.

Marginal (Brasil/2016, 73 min.) – Documentário. Dir. Alex Miranda, Pedro Caldas. O filme faz uma análise das marginais de São Paulo, com seu ritmo intenso e o contraste do asfalto com os rios que cortam a cidade. Livre.

Meu Rei (Mon Roi, França/2016, 125 min.) – Drama. Dir. Maiwenn. Com Vincent Cassel, Emmanuelle Bercot, Louis Garrel. Uma mulher disposta a se recompor de um grave ferimento tem de enfrentar um relacionamento com um homem violento. 14 anos.

Palmeiras – O Campeão do Século (Brasil/2016, 70 min.) – Documentário. Dir. Mauro Beting e Kim Teixeira. Em comemoração ao aniversário do Palmeiras, o documentário narra a história de dramas e vitórias, resgatando sua trajetória desde o primeiro título, contra o Paulistano, até a conquista da Copa do Brasil, em 2015. Livre.

Sete Homens e um Destino (Magnificent Seven, EUA/2016, 133 min.) – Ação. Dir. Antoine Fuqua. Com Denzel Washington, Chris Pratt, Ethan Hawke. Um bando de pistoleiros liderados pelo temido Calvera chega a um vilarejo mexicano causando pavor. Alguns habitantes buscam justiça e contarão com a ajuda de um grupo de especialistas para pôr fim ao terror. 14 anos.

O Silêncio do Céu (Era el Cielo, Brasil/2016, 102 min.) – Drama. Dir. Marco Dutra. Com Leonardo Sbaraglia, Carolina Dieckmann, Chino Darín. Vítima de um estupro dentro de sua própria casa, Diana prefere esconder o acontecimento de todos, inclusive do marido, Mario. Ele também guarda um segredo, o que faz com que a distância entre os dois fique cada vez maior. 16 anos.

Tô Ryca (Brasil/2016, 110 min.) – Comédia. Dir. Pedro Antônio. Com Samantha Schmutz, Marcelo Adnet, Marcus Majella. Selminha está prestes a receber uma herança milionária, mas precisa cumprir o desafio de gastar R$ 30 milhões em 30 dias, ou perderá o prêmio maior. 12 anos

O Vale do Amor (The Valley of Love, França/2016, 93 min.) – Drama. Dir. Guillaume Nicloux. Com Isabelle Huppert, Gérard Depardieu, Dan Warner. Isabelle e Gérard vivem o luto de perder o único filho. Uma carta deixada por ele antes de sua morte intriga o casal, e eles aceitam cumprir seu último desejo. 14 anos.

Tudo o que sabemos sobre:

Divirta-secinemaestreiasmatemática

Tendências: