Exposição no Tomie Ohtake explora várias fases da obra de Pablo Picasso
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Exposição no Tomie Ohtake explora várias fases da obra de Pablo Picasso

Redação Divirta-se

19 de maio de 2016 | 17h11

+ VERSÁTIL: gravura feita por Picasso em 1971; curadora da mostra diz que pintor foi um dos grandes gravadores do século 20. FOTOS: Succession Pablo Picasso/Autvis, Brasil, 2016/Div.

VERSÁTIL: gravura feita por Picasso em 1971; curadora da mostra diz que pintor foi um dos grandes gravadores do século 20. FOTOS: Succession Pablo Picasso/Autvis, Brasil, 2016/Div.

Em sua trajetória, Pablo Picasso (1881-1973) foi ‘muitos’ – pintor, escultor, ceramista e gravador, como também um artista de diferentes fases. Além de seus famosos períodos azul (1903-1905) e rosa (1905-1906), ele fundou o cubismo (ao lado de Georges Braque), criou obras neoclássicas, citou pintores como Ingres, bebeu do surrealismo, até desenvolver um estilo único como nenhum outro gênio do século 20.
A retrospectiva Picasso: Mão Erudita, Olho Selvagem, que abre no domingo (22), no Instituto Tomie Ohtake, apresenta para o público brasileiro toda a versatilidade do espanhol por meio de um conjunto de 153 trabalhos. Só do artista, são 116 obras, que perpassam sua produção desde os seus 14 anos (com o quadro ‘L’Homme à la Casquette’, de 1895) até chegar a criações datadas de 1972. Mas a exposição também reúne filmes – entre eles, ‘Le Mystère Picasso’ (1956), de Henri-Georges Clouzot – e fotografias, como a série de Dora Maar (uma das mulheres de Picasso), que documenta a realização da histórica pintura ‘Guernica’, em 1937 – curiosamente, a obra foi exposta na 2.ª Bienal de São Paulo, em 1953.

ESTUDO: Picasso criou ‘Buste d’Homme’, de 1907, enquanto preparava uma de suas principais obras, ‘Les Demoiselles d’Avignon’

ESTUDO: Picasso criou ‘Buste d’Homme’, de 1907, enquanto preparava uma de suas principais obras, ‘Les Demoiselles d’Avignon’

“A mostra tem um percurso cronológico para facilitar o entendimento do processo de trabalho de Picasso”, diz Emilia Philippot, curadora da retrospectiva e da equipe curatorial do Musée National Picasso-Paris.

FASE AZUL: a pintura ‘Portrait d’Homme’, de 1902/03, corresponde ao período melancólico da trajetória do espanhol

FASE AZUL: a pintura ‘Portrait d’Homme’, de 1902/03, corresponde ao período melancólico da trajetória do espanhol

São do museu parisiense, afinal, todas as peças selecionadas para a exposição – e a especialidade da instituição francesa é ter seu acervo formado por trabalhos que o artista guardou consigo durante sua vida. “Esses ‘Picassos de Picasso’, diretamente saídos de seus ateliês, são um testemunho excepcional e, ao mesmo tempo, uma fonte de reavivados questionamentos em torno do gênio picassiano”, afirma Emilia Philippot.

No segmento dedicado ao movimento artístico, o violão aparece como motivo

No segmento dedicado ao movimento artístico, o violão aparece como motivo

Com ‘Picasso: Mão Erudita, Olho Selvagem’, que tem itinerâncias previstas para o Rio e Santiago, no Chile, o público poderá ver portanto algumas obras-primas do espanhol, como seu autorretrato de 1906; estudos para a pintura ‘Les Demoiselles d’Avignon’ (1907), considerada marco do cubismo; o conjunto de 18 criações cubistas em diferentes técnicas; o guache neoclássico ‘Deux Femmes Courant sur la Plage’ (1922), e ‘O Beijo’ (1969). Camila Molina

Serviço: Instituto Tomie Ohtake. Av. Faria Lima, 201, 2245-1900. 11h/20h (fecha 2ª). Inauguração: dom. (22). R$ 12. Até 14/8.

 

Mais conteúdo sobre:

pablo picassoTomie Ohtake