Exposição no MAM sobre movimentos de contestação dos anos 1960 está entre as inaugurações da semana
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Exposição no MAM sobre movimentos de contestação dos anos 1960 está entre as inaugurações da semana

Júlia Corrêa

25 de abril de 2019 | 17h40

‘Os Anos em que Vivemos em Perigo’, nova exposição que chega ao MAM, busca rever os movimentos de contestação proeminentes na década de 1960 – período no qual, apesar da censura imposta pela ditadura militar, houve uma intensa produção de artistas que se mobilizavam contra o regime vigente.

Com curadoria de Marcos Moraes, a mostra apresenta um recorte da coleção do museu focado na segunda metade daquela década. São 50 obras de artistas ligados a diferentes tendências, do pop ao surrealismo, que manifestam inquietações políticas e comportamentais. Assim, o público poderá conferir trabalhos em diversos suportes de nomes como Antônio Henrique Amaral, Anna Maria Maiolino, Carmela Gross, Cláudio Tozzi e Wesley Duke Lee.

Foto: Marcello Nitsche

Paralelamente, o Projeto Parede, que ocupa o corredor entre o saguão do MAM e a Sala Milú Villela, vai exibir a instalação ‘Paisagem Moderna’, de Leda Catunda. Expoente da Geração 80, a artista apresenta uma colagem feita de tecidos com estampas criadas ou apropriadas por ela, buscando compor um panorama brasileiro com referências à visão de artistas modernos para a paisagem do País.

ONDE: Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, 5085-1300. QUANDO: Inauguração: 3ª (30). 10h/18h (fecha 2ª). Até 28/7. QUANTO: R$ 7 (sáb., grátis).

CONFIRA OUTROS DESTAQUES

Foto: Fundação Ema Klabin

+ A Fundação Ema Klabin apresenta cinco gravuras de Rembrandt pertencentes à sua coleção – entre elas, ‘Jovem Sentado no Chão com uma Perna Estendida’ (foto) –, destacando também a história e as técnicas do artista. R. Portugal, 43, Jd. Europa, 3897-3232. Inauguração: sáb. (27), 14h. 14h/18h (fecha 2ª e 3ª). R$ 10 (sáb., dom. e fer., grátis). Até 30/6.

Foto: Edouard Fraipont

+ + Com curadoria de Chico Dub, a exposição Labo B: o Disco de Vinil na Arte Contemporânea Brasileira apresenta 61 obras de mais de 30 artistas visuais e sonoros que lançam mão do objeto como material estético para suas produções. São criações em vários suportes realizadas por representantes de diferentes gerações, como Antonio Dias, Cildo Meireles, Waltercio Caldas, Dora Longo Bahia e Chiara Banfi (foto). Sesc Belenzinho. R. Pe. Adelino, 1.000, 2076-9700. Inauguração: 6ª (26). 10h/21h (dom. e fer., 10h/19h30; fecha 2ª). Grátis. Até 30/6.

Tendências: