Exílio de Axl Leskoschek no Brasil é tema de mostra
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Exílio de Axl Leskoschek no Brasil é tema de mostra

Celso Filho

17 de março de 2016 | 16h09

Axl Leskoschek, O passeio, ilustra+º+úo para ÔÇ£Romanceiro BrasileiroÔÇØde Ulrich Becher, xilogravura, 18 x 26 cm

Foto: divulgação

Para fugir do nazismo na Europa, o austríaco Axl Leskoschek (1889-1976) mudou-se para o Brasil na década de 1940. Seu período de exílio e as influências da cultura brasileira em sua obra são o mote de uma mostra que inaugura neste sábado (19), na Dan Galeria.

Com cerca de 160 criações, ‘Os Anos de Brasil de Axl Leskoschek: 1940-1948’ lembra seu trabalho como gravador. A curadoria de Peter Cohn e José Neistein reuniu, por exemplo, 35 xilogravuras que Leskoschek produziu para as edições brasileiras dos livros de Dostoievski. Também há outras ilustrações, como as para ‘Romanceiro Brasileiro’, de Ulrich Becher.

Na abertura, às 11h30, haverá uma mesa-redonda com José Neistein e o artista Sérgio Fingermann.

ONDE: Dan Galeria. R. Estados Unidos, 1.638, Jd. Paulista, 3083- 4600. QUANDO: 10h/18h (sáb., 10h/13h; fecha dom.). Inauguração: sáb. (19), 10h/14h. Até 9/4. QUANTO: Grátis.

Tudo o que sabemos sobre:

Axl LeskoschekDan Galeria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.