Evento Palhaçada Geral reúne 150 artistas em sua 4ª edição
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Evento Palhaçada Geral reúne 150 artistas em sua 4ª edição

Redação Divirta-se

13 de agosto de 2015 | 18h22

As novas e velhas técnicas da linguagem dos palhaços aparecem no festival que começa hoje (14) e reúne cerca de 150 artistas

Palhaços de todo o mundo – do Brasil, da Bélgica, dos Estados Unidos, do México. E adeptos de todas as escolas – dos circos mais tradicionais aos formatos mais contemporâneos. Em sua 4ª edição, o Palhaçada Geral, festival promovido pelos Parlapatões, finca bases na Praça Roosevelt (onde fica a sede do grupo), e reúne cerca de 150 artistas. Entre os destaques, produções que misturam o riso à reflexão, caso de ‘Se Fosse Fácil Não Teria Graça’, solo de Fernando Bolognesi sobre uma doença degenerativa, e ‘Clowns D’ Affaires’, em que os belgas da Compagnie Batchata lançam um olhar sarcástico para o mundo do trabalho. Mas também vale a pena deixar o riso correr solto com os espetáculos do La Mínima, da Cia. do Quintal e da Palhaça Rubra.

ONDE: Espaço Parlapatões. Pça. Franklin Roosevelt, 158, Consolação, 32584449.

QUANDO: De hoje (14) a 23/8. Programação completa no site www.parlapatoes.com.br.

QUANTO: R$ 20.

 

Ator e palhaço Hugo Possolo
FOTOS: divulgação

HUGO POSSOLO:
Esse palhaço é dramaturgo, diretor dos Parlapatões e se dedica à pesquisa da palhaçaria contemporânea
+ O espetáculo Clássicos do Circo, dirigido por Hugo Possolo (foto acima), reúne números de várias produções dos Parlapatões. Há desde referências a números tradicionais de circo – como a cena em que um palhaço tenta acertar a maçã que está na cabeça de outro – até as inovações que marcaram a trajetória da companhia, como a disputa interativa de pênaltis do Futebol de Palhaços. Livre. Dom. (16), 16h.

+ Sucesso desde 2001, o Jogando no Quintal é uma brincadeira de improvisação de palhaços com a ambientação de uma partida de futebol: tem placar, jogadores e torcida. Durante a Palhaçada, a obra ganha versão especial. Além dos palhaços da Cia. do Quintal, contará com a participação de convidados dos grupos La Mínima, Lume, Parlapatões e Barracão, entre outros. Livre. 2ª (17), 21h30.

+ Norte-americano, Jango Edwards vive na Espanha e é um dos nomes mais importantes da cena contemporânea. Assim como o italiano Leo Bassi, utiliza recursos da bufonaria e jogos performáticos para instigar a participação do público. Em Classic Duo, ele divide a cena com a palhaça Cristi Garbo e traz alguns dos seus mais aplaudidos esquetes, misturando música, dança, acrobacia e muita comédia. Livre. Dia 22/8, 21h.

Palhaço Biribinha

BIRIBINHA:
Um dos palhaços tradicionais mais importantes do País, é reconhecido por suas habilidades musicais
+ Mestre da arte de fazer rir, Biribinha (foto acima) será o homenageado no Cabaré de Gala, que abre as atividades desta edição do festival. Representantes da nova geração de palhaços, como os anfitriões Parlapatões, o grupo La Mínima e a Trupe 1 Kilo e Meio – que venceu a última edição do Festival de Cenas Cômicas -, participam da festa, que será embalada pelo som da Banda Paralela. A direção é de Hugo Possolo. Livre. Hoje (14), 21h.

Fernando Bolognesi, no espetáculo Se Fosse Fácil, Não Teria Graça

+ Sem perder de vista o humor, Se Fosse Fácil Não Teria Graça mergulha no drama real do ator Fernando Bolognesi (foto acima). Vítima de uma doença degenerativa e incurável, o ator mescla um relato engraçado e comovente de suas limitações. Reflete sobre a relação com a vida e com a morte, seu lugar no universo e a relação com a alteridade. 12 anos. 4ª (19), 19h30.

Dupla de palhaços argentinos Pata de Perro

+ A dupla Pata de Perro traz o espetáculo Desclowntrolados (foto acima). Formado pelos palhaços mexicanos Jason Vázquez e Baruch García, o grupo mescla diversas técnicas teatrais, clássicas e contemporâneas, e tem percorrido com sucesso festivais em países como México, Estados Unidos e Espanha. A atração, baseada nas antigas tradições circenses, resgata números musicais, mostrando habilidades sonoras e gags. Livre. Dia 21/8, 21h.

+ O ator argentino Pablo Mikozzi participa com Por el Lado Más Bestia, show de humor, em formato de cabaré, que reúne seus melhores esquetes ao longo de uma década de carreira. Munido de técnicas da bufonaria – e também de muito improviso – o intérprete lança um olhar mordaz e irônico para temas da atualidade, como exclusão social, violência sexual e questões de discriminação. Livre. 4ª (19), 21h30.

Palhaço Zabobrim e seu parceiro Mirbobaz

ZABOBRIM: 
Ésio Magalhães, do Barracão Teatro, constrói uma dramaturgia que alia o riso ao lirismo e a uma visão política
O palhaço Zabobrim (na foto, à esquerda) e seu companheiro Mirbobaz (na foto, à direita) são dois vendedores charlatões viajando por uma estrada. Na nova criação da cia. Barracão Teatro, de Campinas, o espetáculo Amor Te Espero, a dupla se depara com um caminhão quebrado e é abordada por uma mulher misteriosa. Sáb. (15), 23h59.

+ Formada por Fernando Sampaio e Domingos Montagner, a cia. La Mínima apresenta Reprise. Com números tradicionais do gênero, a peça conta a história de dois palhaços que foram contratados para fazer um mesmo espetáculo e entram em uma disputa vã para descobrir qual dos dois é o mais talentoso nas artes do picadeiro. Sem conseguir chegar a um consenso, eles decidem finalmente unir seus talentos e realizar um espetáculo conjunto, no qual cada um irá aprender com o outro novos números e técnicas para conquistar a plateia. Livre. Sáb. (15), 16h.

+ Há muita crueldade no mundo do trabalho. Mas, olhando de perto, é possível tirar muito humor das situações sociais desse universo. Uma mistura de entretenimento e reflexão. É isso que faz a Compagnie Batchata, da Bélgica, no título Clowns D’Affaires. Mergulhados nos negócios do século 21, dois clowns retratam dinâmicas e práticas comuns destes tempos – e falam de estresse, concorrência, condições de trabalho e assédio. A intenção é mostrar, nesse ambiente árido, a situação de vulnerabilidade do homem e suas muitas falhas. Dom. (16), 20h.

Palhaça Rubra

PALHAÇA RUBRA:
Lu Lopes começou a vida de palhaça no ‘Jogando no Quintal’ e partiu para criações próprias de sucesso
+ A Palhaça Rubra (foto acima) estreia, no Espaço Parlapatões, Gramophone 2000. Nesse solo inédito, a personagem da atriz Lu Lopes fará uma homenagem à cantora Dalva de Oliveira, utilizando músicas e improviso. Mas a participação de Rubra não se encerra por aí. A palhaça será também a mestre de cerimônias da São Paulo’s Féxiõn Claum. Com entrada gratuita, a festa da moda clown ocorrerá na SP Escola de Teatro (Pça. Franklin Roosevelt, 210, 3775-8600). O desfile será acompanhado por uma banda e pela senhora Jourdain – uma personagem de Molière, vivida pelo parlapatão Raul Barretto -, que não poupará críticas aos trajes dos palhaços. Livre. ‘Gramophone 2000′: 5ª (20), 19h30.’São Paulo’s Féxiõn Claum’: sáb. (15), 22h.