Está no papo: Erasmo Carlos fala sobre novo show em que canta sambas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Está no papo: Erasmo Carlos fala sobre novo show em que canta sambas

Redação Divirta-se

21 de novembro de 2019 | 16h19

Danilo Casaletti (especial para o Estado)

Foto: Patrick Gomes

Erasmo Carlos estreia o novo show ‘Quem Foi Que Disse Que Eu Não Faço Samba?’, no qual relembra sambas que fez ao longo da carreira. A seguir, o cantor e compositor fala sobre o projeto e seu contato com o ritmo.

O público conhece seu lado roqueiro. Como foi seu contato com o samba?
Eu fui criado (como) moleque de rua, na Tijuca (bairro da zona norte do Rio de Janeiro). No carnaval, eu saía nos blocos, tocando surdo. Conheci rock e bossa nova ao mesmo tempo, mas a bossa era elitizada e eu não tinha acesso. O rock estava mais acessível para mim.

Há uma canção inédita, ‘Maria e o Samba’,que você fez há muitos anos. Por que nunca a gravou?
Eu fiz para o Roberto Carlos cantar em um show. Eu fazia muito samba por encomenda para outros artistas, e eles nem sempre se encaixavam nos meus discos.

Alguns sambas você compôs em parceria com o Roberto…Ele tinha intimidade com o gênero?
O Roberto sempre foi mais romântico. Sambão mais rasgado nunca foi a dele. Mas um bom compositor faz de tudo, né, bicho?

‘Samba da Preguiça’ vocês compuseram para a Nara Leão. Lembra-se de como ele foi feito?
A Nara estava fazendo um show na boate Flag (em 1972), no Rio, e disse que precisava de um samba inédito. O engraçado foi que, quando ela escutou, nos disse: “mas eu não sou preguiçosa, acordo cedo todos os dias, preparo o café da manhã para os meus filhos, faço ginástica, caminho na praia…”.

Outra parceria foi em ‘O Comilão’. É verdade que a censura implicou com esse samba?
Sim, foi censurado por causa do trecho que dizia ‘comeu esfomeado, desfalcando a exportação’. Uma besteira! Eu precisei trocar o verso na época, mas hoje eu canto o original. Imagina, eu, um roqueiro, acabei por ter um samba censurado.

Como será o show? Haverá mudanças na  banda para tocar samba?
Não; será a minha banda habitual. A graça está justamente nisso – serão os roqueiros tocando samba.

ONDE: Blue Note. (346 lug.). Conjunto Nacional. Av. Paulista, 2.073, 2º andar, metrô Consolação, 3179-0050.
QUANDO: 6ª (22), 20h e 22h30.
QUANTO: R$180/R$ 240.  Cc.: todos. Cd.: todos.

Tudo o que sabemos sobre:

showmúsicaerasmo carlosroberto carlos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: