Entre fazendas e vinícolas, um roteiro de passeios com opções gastronômicas para um bate-volta em São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre fazendas e vinícolas, um roteiro de passeios com opções gastronômicas para um bate-volta em São Paulo

Redação Divirta-se

05 Julho 2018 | 16h55

Confira seis opções para você trocar o almoço do fim de semana por um passeio completo em cidades próximas a São Paulo

Por André Carmona, Júlia Corrêa, Lucinéia Nunes e Renato Vieira

CAPRIL DO BOSQUE (A 120 KM DE SP)

Capril do Bosque

Foto: Lucas Terribili

+ A propriedade em Joanópolis, na Serra da Mantiqueira, foi comprada por Heloisa Collins para ser seu sítio de lazer. Há uma década, a ex-professora universitária decidiu fazer dele um negócio, vendendo queijos de cabra artesanais. Dez tipos podem ser degustados como entrada (R$ 48, por pessoa) no almoço do bistrô, com pratos da chef Ju Raposo, que variam sempre. Neste sábado (7), uma opção é o raviolone de abóbora e queijo boursin com molho branco suave, castanha de caju e chevrotin ralado (R$ 72). No domingo (8), tem risoto de queijo azul com confit de peras ao vinho branco (R$ 60; foto ao lado). Um percurso pelo terreno mostra como é a produção do leite de cabra, aos sábados, domingos e feriados (R$ 18/R$ 26). O passeio a cavalo custa R$ 40 (40 min.). Todos os dias (9h/17h), há venda de queijos, mas, de 2ª a 6ª, as atividades e o restaurante funcionam somente com agendamento de grupos. Estrada da Terra Preta, Km 3, Joanópolis, (11) 99609-0773. Sáb., dom. e fer., 10h/17h. Inf.: www.caprildobosque.com.br

VINÍCOLA GÓES (A 65 KM DE SP)

Foto: Vinícola Góes

+ Em 2018, a vinícola completa 80 anos, com seis milhões de garrafas produzidas. O Philosofia (R$ 75, 750 ml) é o principal rótulo da marca – que abre suas portas, gratuitamente, a visitantes que queiram conhecer o processo de produção, da plantação da uva ao envasamento. O local, que integra a Rota do Vinho de São Roque, conta com restaurante, onde são servidas receitas como o filé ao molho de vinho com purê (R$ 60) e o manjar com calda de uvas (R$ 10). Nos fins de semana de julho, recebe atividades culturais e apresentações musicais. Lá, ocorrem ainda cursos, como de harmonização (R$ 80, por pessoa). Estrada do Vinho, 9.111, São Roque, (11) 4711-3500. 8h30/18h (6ª, sáb. e dom., 9h/18h30). Inf.: vinicolagoes.com.br

CUESTA CAFÉ (A 202 KM DE SP)

Foto: Rodrigo Duarte Lima

+ “Mais do que um café especial. Uma experiência.” O conceito que envolve a cafeteria de Yuri Pinotti, em Pardinho, não é só uma frase de efeito. Há oito anos, após assumir a fazenda da família, ele descobriu a vocação do solo para o cultivo do grão. “Depois, começamos a torrar café e fizemos uma espécie de vendinha na frente, que fez muito sucesso”, conta. Em 2016, veio o espaço gastronômico, que, além da bebida, trabalha com outros produtos próprios, como a farinha de trigo e a farinha de fubá, ambas biodinâmicas. A 900 metros de altitude, é possível tomar um café com leite (R$ 5,50) e comer um sanduíche de queijo no pão artesanal (R$ 7) – apreciando a incrível vista da Cuesta de Botucatu (foto), formação natural que inspira o nome da casa. Fazenda São Pedro de Pardinho. Estrada Vicinal João Emílio Roder, Km 5, Pardinho, (14) 3886-1439. 8h/18h30.

FAZENDA CAPOAVA (A 96 KM DE SP)

Foto: Marcelo Isola

+ A fazenda em Itu, transformada em hotel desde 2000, fica aberta ao público diariamente no mês de julho – mas, para passar o dia e almoçar, é necessário agendar, no mínimo, dois dias antes. O bufê de almoço é servido entre 13h e 15h (R$ 100, por adulto; R$ 45/R$ 50, por criança de 6 a 12 anos). Aos sábados, o destaque é a feijoada (foto); no domingo, tem leitoa à pururuca. Nas lagoas da fazenda, o visitante pode andar de caiaque (R$ 30/R$ 40, 1h) e de stand-up paddle (R$ 60, 1h). Também é possível fazer passeios a cavalo (R$ 60, 30 min.; R$ 100, 1h) e de bicicleta para adultos, com opção de ser acompanhado por um guia pelas trilhas da região (R$ 50, 1h). Rod. Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, km 89,9, (11) 2118-4100. 9h/16h. Inf.: www.fazendacapoava.com.br

FAZENDA DONA CAROLINA (A 162 KM DE SP)

Foto: Lucas Terribili

+ Do leite das vacas holandesas da Fazenda Dona Carolina, em Porangaba, vem um de seus principais atrativos – o queijo artesanal, cuja produção pode ser acompanhada em visitas gratuitas que incluem degustação. Já as opções gastronômicas exigem reserva, e com uma semana de antecedência. De 5ª a domingo, tem café da manhã colonial com produtos da fazenda (R$ 48). Nos fins de semana, é servido, para grupos a partir de seis pessoas (R$ 260, cada), um menu elaborado pelo chef Raphael Arrigucci – que já passou por casas como D.O.M e Arturito. Com produtos sazonais, inclui entrada, prato e sobremesa. Rodovia Pres. Castelo Branco, km 157, Porangaba. 9h/17h. Reservas: heradonacarolina@gmail.com ou 96096-0202 (WhatsApp).

VILLA BRUNHOLI (A 73 KM DE SP)

Foto: Edu Guimarães

+ Uma das atrações da Rota Turística da Uva de Jundiaí, o complexo, tocado pelos irmãos Sandra e Paulo Brunholi, inclui restaurante, empório, fábrica de bebidas e o Museu do Vinho, montado dentro de um tonel de 6 metros de altura. A família começou vendendo vinho numa barraca em frente à casa, ainda na estrada de terra. Prestes a completar três décadas, a adega, hoje, vende também massas feitas ali, queijos, biscoitos, doces, cervejas artesanais e bebidas como a Cachaça Ouro Brunholi (R$ 49,50), medalha de ouro no Festival de Bruxelas deste ano, e a Caipirinha Brunholi (R$ 35), doce e licorosa, para ser consumida bem gelada.

O restaurante, com brinquedoteca e monitores, é parada obrigatória. Para começar, um caprichado bufê de antepastos (R$ 11,90, 100g; foto). Da seleção de massas, o cliente faz a combinação: são seis tipos, com 12 molhos. Entre os exemplos, fettuccine com ragu de cordeiro (R$ 92; foto) e nhoque verde com pesto (R$ 84), que servem duas pessoas. Também há peixes e carnes, como o filé mignon à parmegiana (R$ 165, para dois), com arroz e fritas.

Já aos sábados e domingos, das 8h às 11h30, a casa serve o café da manhã colonial, com mais de 60 itens e bebida (R$ 35). Um ‘redário’ atrás do restaurante garante o descanso antes de cair na estrada. Há também um pomar com árvores frutíferas e uma minifazenda onde moram animais como coelhos, cabritos e o Pancetta, um porco enorme. Av. Humberto Cereser, 5.900, Jundiaí, (11) 4584-1219. 9h/17h30 (fecha 2ª). Restaurante: 11h30/15h30 (6ª, 11h30/15h30 e 19h/23h; sáb., 8h/15h30 e 19h/23h; dom., 8h/15h30; fecha 2ª). Inf.: brunholi.com.br

Mais conteúdo sobre:

bate-volta em sp