Em ‘A Garota Dinamarquesa’, Tom Hopper retrata mudança de sexo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em ‘A Garota Dinamarquesa’, Tom Hopper retrata mudança de sexo

Redação Divirta-se

11 de fevereiro de 2016 | 16h52

Foto: divulgação

O filme A Garota Dinamarquesa, de Tom Hopper, fala de um dos primeiros casos de cirurgia para mudança de sexo. Com quatro indicações ao Oscar, inclusive melhor ator para Eddie Redmanyne, conta a história do casal de artistas plásticos Gerda Wegener (Alicia Vikander) e Einar Wegener (Eddie Redmanyne).

Um dia, Gerda pede a Einar que vista os trajes femininos de uma modelo que faltou à sessão. Ele o faz, e, a partir de então, se transforma em Lili.

Ambientado nos anos 1920, época menos tolerante que a nossa com a questão de gênero, mostra como a vida dos personagens se transforma em calvário. O foco está mais na solidariedade de Gerda que na opressão sofrida por Lili. E tem sido criticado por adocicar os fatos. Bonito, bem produzido e um tanto previsível, o filme prefere adequar-se à norma do que desafiá-la. Luiz Zanin Oricchio

Tudo o que sabemos sobre:

A Garota Dinamarquesa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.