Conheça cinco museus em casas históricas paulistanas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Conheça cinco museus em casas históricas paulistanas

Júlia Corrêa

28 de maio de 2019 | 19h36

Fundação Ema Klabin. Foto: Gabriela Biló/Estadão

FUNDAÇÃO EMA KLABIN

Entre 1940 e 1990, a empresária Ema Gordon Klabin formou uma coleção que abrange mais de três mil anos de história da arte. Entre pinturas, esculturas e artes decorativas, mais de 1.500 peças ocupam sua antiga residência, que hoje funciona como uma fundação. Ganham destaque peças da Antiguidade Clássica, pinturas italianas dos séculos 16 e 18, além de obras modernistas. R. Portugal, 43, Jd. Europa.

FUNDAÇÃO MARIA LUISA E OSCAR AMERICANO

Após a morte de sua mulher, Maria Luisa, o engenheiro Oscar Americano doou à cidade de São Paulo a casa da família e sua coleção de arte, que ficaram acessíveis ao público a partir de 1980. Com itens como pinturas, esculturas, mobiliário, porcelana e tapeçaria, o acervo contempla os períodos colonial e imperial, além de parte do modernismo. Vale também aproveitar o amplo jardim da residência. Av. Morumbi, 4.077, Morumbi.

CASA DAS ROSAS

Um dos últimos casarões da Av. Paulista, o espaço é totalmente dedicado à poesia e à literatura. A arquitetura possui elementos estéticos de art déco. Além de eventos ligados às letras, também são feitas exposições e apresentações teatrais. Av. Paulista, 37, Bela Vista.

CASA MÁRIO DE ANDRADE

Reaberta ao público em 2015, a antiga residência do escritor modernista promove atividades culturais ligadas às diferentes áreas de atuação do artista. Além de mostras temporárias, conta com a exposição permanente ‘A Morada do Coração Perdido’, que destaca o histórico da casa e as contribuições do autor para a cultura brasileira. R. Lopes Chaves, 546, Barra Funda.

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

A antiga residência do poeta modernista abriga um invejável acervo de obras de arte, além de móveis, livros raros (como a primeira edição de ‘Pau Brasil’, de Oswald de Andrade) e objetos pessoais de Almeida. Nas paredes dos cômodos, estão 230 obras, entre pinturas, gravuras e esculturas, assinadas por nomes como Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Lasar Segall e Anita Malfatti. R. Macapá, 187, Sumaré.

Tudo o que sabemos sobre:

artemuseuscasas históricas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: