Conheça 12 bares que estão dando cara nova à vida noturna da região central em São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Conheça 12 bares que estão dando cara nova à vida noturna da região central em São Paulo

Humberto Abdo

21 de março de 2019 | 15h52

Visitamos 12 bares e baladas que renovaram a cena noturna na região central paulistana nos últimos dois anos

BURACO

Foto: Buraco

+ Apesar do nome pouco lisonjeiro, o bar serve uma das melhores gins-tônicas da cidade: a refrescante ‘Chinaski’ (R$ 25) leva gim com chá mate, suco de limão-siciliano e água tônica, servida em um copo generoso. Da rua, esse verdadeiro achado quase passa despercebido, considerando a entrada discreta e um estreito lance de escadas, mas as luzes néon do pequeno salão dão a deixa. Os clientes se acomodam no balcão ou nos sofás – um deles com o bem-humorado letreiro que traz os dizeres “hoje sim” ou “hoje não”, que varia dependendo do dia. Para comer, tem opções como mix de nuts (R$ 10) ou o ‘Onigiri’ (R$ 8), bolinho de arroz japonês. R. Dr. Cesário Mota Júnior, 281, V. Buarque, 3223-3321. 19h/1h (fecha dom. a 3ª).

SERTÓ BAR

Foto: JF Diorio/Estadão

+ A decoração aposta em uma atmosfera divertida com cara de antiquário. Na lista de drinques, peça o ‘Dona Veridiana’ (R$ 28), feito com gim, xarope de pepino com manjericão, mix de limões e clara de ovo. O cardápio tem petiscos como o clássico bolovo, neste caso batizado de ‘Bolo D’Ovo’ (R$ 10), e o ‘Croquetó’ (R$ 25), feito com mortadela e parmesão. R. Major Sertório, 106, V. Buarque, 3231-5422. 12h/0h (dom., 12h/18h; fecha 2ª).

BAR DAS

Foto: Bruna Silva

+ “Feito por mulheres e para mulheres.” Com esta proposta, a casa aposta em um espaço aconchegante, composto por sofás e um pequeno balcão circular nos fundos. Assim como o ambiente, os petiscos são acolhedores, para comer sem pressa, como o pretzel salgado alemão (R$ 15) e o queijo coalho grelhado com melaço orgânico e raspas de limão-siciliano (R$ 7). Entre os drinques, peça o ‘The Slope’ (R$ 25), receita da bartender Julie Reiner, feita com uísque, vermute tinto e licor de damasco. R. Fortunato, 133, V. Buarque. 19h/0h (fecha dom. e 2ª).

CARACOL

Foto: Eduardo Magalhães

+ A casa de estilo industrial tem uma equipe animada, que serve coquetéis assinados por Gunter Sarfert em um grande balcão ou na área externa com mesinhas e mezanino, onde o público curte os setlists de DJs convidados – com o DJ Millos Kaiser entre os sócios, a música é um ponto forte do bar. O clima de ‘começo de balada’ é acompanhado por receitas como a do ‘Caracol G&T’, que leva gim, xarope de gengibre, páprica, aroma de alecrim e tônica (R$ 30/R$ 50). Para petiscar, a ‘Croqueta de Queijo de Cabra e Hortelã’ (R$ 17) é uma boa opção. R. Jaguaribe, 76, V. Buarque, 4117-9877. 19h/1h (fecha dom., 2ª e 3ª).

SPUTNIK BAR

Foto: Ronaldo Rinaldi

+ A crescente vida noturna na região do Arouche foi reforçada após a inauguração do Sputnik, em dezembro. Elementos espaciais e futuristas enfeitam os dois andares da casa, que tem restaurante, pista de dança e sala de karaokê (a entrada custa R$ 15 às sextas-feiras e aos sábados e fica liberada nos demais dias). O cardápio serve hambúrgueres e porções, mas não deixa de brincar com referências ‘soviéticas’, como no ‘Strogonoff Russo’ (R$ 36), à base de filé mignon, e o drinque ‘Lenin’ (R$ 34), feito com vodca, licor de amêndoa e bitter de laranja. A pista da balada completa a noite com boa seleção de música pop, incluindo sucessos dos anos 2000 e hits de rock e indie. Largo do Arouche, 330, República. 19h/1h (5ª, 6ª e sáb., 19h/5h; fecha 2ª). R$ 30/R$ 60. Inf.: bit.ly/SputnikBar

PROSA E VINHO

Foto: Humberto Abdo/Estadão

+ No último andar da Galeria Metrópole fica escondido mais este ótimo achado da região central, uma mistura de loja e bar de vinhos. A melhor pedida é tomar uma taça por ali mesmo, nas mesas dispostas pela área descoberta ou dentro do barzinho, composto por mais mesinhas e uma parede repleta de garrafas (foto). Das marcas servidas em taça, uma das sugestões – entre as mais baratas da cidade – é o Primera Piedra (R$ 10), um Sauvignon Blanc chileno. Para petiscar, a casa serve empanadas argentinas (R$ 9,50, cada), como a de queijo roquefort com espinafre. Pça. Dom José Gaspar, 106, República, 3151-3692. 12h/22h (sáb., 11h/18h; fecha dom.).

TAPTAP

Foto: Carolina Garcia

+ Aberta há pouco mais de um ano, a cervejaria fica em uma esquina próxima à Praça Roosevelt e tem carta de chopes atualizada todos os dias. As 16 torneiras costumam servir estilos como Lager, IPA e cervejas de trigo. Entre as mais recentes está a Unicorn Witbier (R$ 8/16), da Startup Brewing, e a Red Baron (R$ 12/R$ 25), uma Lager Vienna. As opções podem ser servidas em copos de 190, 300 ou 450 ml. A casa também incluiu o drinque Aperol Spritz em uma das torneiras, novidade vendida por tempo limitado. Para comer, o cardápio lista ‘sandubas’ (R$ 25, cada) e ‘beliscos’, como o caldinho de feijão preto (R$ 15) e o sanduíche de pastrami, um dos mais pedidos, feito com picles, mostarda, cebola caramelizada e queijo derretido no maçarico. R. da Consolação, 455, Consolação, 98477-8849. 12h/1h (dom., 12h/21h).

BAR DOS ARCOS

Foto: Humberto Abdo/Estadão

+ Só o ambiente já vale a visita: aberta no subsolo do Teatro Municipal, a casa tem rústicos arcos de pedra e balcões luminosos. Assinados pela argentina Chula Barmaid, os coquetéis surgem em versões com baixa graduação alcoólica e outras bem mais fortes. O ‘Tosca’ (R$ 35; foto) é boa pedida para começar a noite, preparado com tequila, vinho branco, gengibre, limão taiti, soda de hibisco e raspas de laranja. Para comer, as porções são diminutas, mas marcantes, como a tosta de berinjela defumada com tomate-cereja e muçarela de búfala (R$ 32). Antes de sair, procure a piscina de bolinhas escondida ao lado do caixa. Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, Centro. 19h/1h (5ª e 6ª, 19h/2h; sáb., 19h/3h; fecha dom. e 2ª).

FEL

Foto: Amanda Perobelli/Estadão

+ Aos pés do Copan, o bar serve coquetéis clássicos ‘esquecidos’, receitas antigas que perderam popularidade nos últimos anos. Um deles é o ótimo ‘Clover Club’ (R$ 37), feito com gim, Martini Extra Dry, limão, xarope de framboesa fermentado e clara pasteurizada. Outro é o ‘Alaska #1’ (R$ 37), de gim, xerez, licor e Angostura de laranja. Aproveite para pedir o ‘Dandara’ (R$ 37), feito pela bartender Michelly Rossi para o projeto ‘Eu Bebo Sozinha’, uma iniciativa para unir as mulheres no bar, tanto frequentadoras como profissionais. A receita leva rum, Jerez Manzanilla, amaro, vinagre balsâmico e bitter de laranja. Edifício Copan. Av. Ipiranga, 200, loja 69, Centro, 3237-2215. 19h/0h45 (6ª, 19h/1h45; sáb., 18h/1h45; fecha dom.).

TOKYO

Foto: Humberto Abdo/Estadão

+ Restaurante, salas de karaokê e uma pista de dança com terraço ocupam quatro dos nove andares da balada, aberta em maio do ano passado. No térreo, o local é decorado por luzes que simulam linhas de metrô. Um elevador dá acesso ao prédio, mas não estava operando durante a visita. Dois andares são ocupados pelo Bar & Karaokê, um com palco e espaço coletivo (foto), outro com três salas privativas (R$ 100, a hora). As festas reúnem ritmos como brasilidades, trap e hip-hop – as datas e horários podem variar, embora a casa costume abrir entre as quartas-feiras e os domingos. R. Major Sertório, 110, V. Buarque, 3159-0190. Inf.: bit.ly/TokSP19

BAR DO COFRE

Foto: Carol Gherardi/Flair Coletivo

+ Aberto em fevereiro no lugar que abrigou o cofre do Banco do Estado de São Paulo, o bar fica no subsolo do atual Farol Santander. O espaço tombado é comandado pelo bartender Fabio La Pietra, do bar SubAstor. O drinque ‘The Hidden’ (R$ 37; foto) é o primeiro da carta, dividida por destilados como rum, cachaça e gim. A receita leva uísque, chá rooibos, vermute tinto e bitter, combinação doce e refrescante. Treze petiscos compõem o menu, como o croquete de pupunha, queijo da Serra da Canastra e limão-siciliano (R$ 31, 8 unid.). Até abril, as reservas estão esgotadas, portanto a dica é chegar cedo para disputar um lugar no balcão. R. João Brícola, 24, Centro. 17h/1h (fecha dom. a 4ª).

CAMA DE GATO

Foto: Humberto Abdo/Estadão

+ Mesas comunitárias preenchem todo o corredor do bar, além de duas mesas de pingue-pongue no fundo. Do balcão à direita, saem coquetéis como o ‘Cynar Tônica’ (R$ 18), preparado com o licor à base de alcachofra, água tônica e limão-siciliano. Para uma opção com maior graduação alcoólica, o ‘Bombeirinho de Romã’ (R$ 18) tem cachaça, suco de limão taiti, grenadine e uma rodela de limão – mistura refrescante, servida em um copo baixo. Para comer, o cardápio lista porções e sanduíches, como a ‘Batata PONG’ (R$ 20), um potinho com batata ‘bolinha’ cozida e assada com maionese aioli. R. Amaral Gurgel, 453, V. Buarque, 3129-9581. 18h/1h (5ª e 6ª, 19h/2h; sáb., 16h/2h; fecha dom.).