Confira os destaques da SP-Arte e outras boas inaugurações em galerias paulistanas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Confira os destaques da SP-Arte e outras boas inaugurações em galerias paulistanas

Júlia Corrêa

28 de março de 2019 | 18h41

Os destaques da SP-Arte, que chega à sua 15ª edição movimentando o Pavilhão do Ibirapuera – e a agenda de diversas galerias da cidade

Foto: Jessica Mangaba

Com a presença de consagradas galerias de todo o mundo, tem início esta semana a 15ª edição da SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo. Novos curadores entre os setores expositivos, debates com especialistas e performances espalhadas por diferentes espaços do Pavilhão da Bienal estão entre as atrações do evento.

Como já é tradição nesta época, antes mesmo da abertura do festival, diversas galerias aproveitam a ocasião para inaugurar exposições. Esses ambientes viram palco também para o circuito Gallery Night, que incentiva o prolongamento de seu horário de funcionamento e promove atividades como exibições de filmes e visitas guiadas com os artistas. Aliás, ao longo do evento, o público terá diversas oportunidades de conhecer os bastidores da produção deles. Já neste fim de semana, no Circuito Ateliês Abertos, diferentes artistas abrem seu local de trabalho para apresentar suas técnicas e inspirações. Além disso, no próprio Pavilhão, alguns deles terão espaço para compartilhar suas experiências.

Quer saber mais sobre o setor de design da SP-Arte? Leia o suplemento Casa, que será publicado neste domingo (31).

ONDE: Pavilhão da Bienal. Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, Ibirapuera. QUANDO: 5ª (4) a 6/4, 13h/21h; 7/4, 11h/19h. QUANTO: R$ 50. Programação completa: www.sp-arte.com

CURIOSIDADES

24 galerias de arte internacionais participam do evento. Entre elas, as consagradas David Zwirner, de Nova York, e Lisson Gallery, de Londres.

2 mil é o número aproximado de obras apresentadas pelos 164 expositores no evento, que pode variar conforme eventuais reposições.

34 mil pessoas passaram pelo Pavilhão em 2018. Em 2005, ano de estreia do evento, foram 6 mil.
Os números vêm aumentando a cada edição.

ENTREVISTA COM FERNANDA FEITOSA | A fundadora e diretora da SP-Arte conversou com o Divirta-se

Foto: Iara Morselli/Estadão

Nestes 15 anos, qual é o principal legado da SP-Arte?
Contribuímos para a integração do setor e, sem dúvida, para a internacionalização do mercado. Diversas galerias do mundo entraram para a cena local, mostrando confiança no nosso mercado e passando a representar artistas brasileiros.

Quais novidades você destaca?
Buscamos, com o setor Solo, trazer a América Latina para mais perto do festival. Um projeto novo é o OpenSpace, que vai ocupar com 15 trabalhos a parte de fora do Pavilhão.

Como você avalia a atual situação do mercado de arte?
O mercado de arte tem um comportamento distante de flutuações diárias. O que pode mudar são as estratégias de compra, com a preferência por artistas já consagrados, por exemplo.

Você nota o interesse de novos colecionadores?
Há muitos jovens querendo iniciar coleções, ou mesmo pessoas de 40 ou 50 anos que passam a ter interesse. O ambiente do festival é muito inclusivo. É uma ótima oportunidade para você pesquisar, entrar nesse mundo. Muitas galerias levam um apanhado de artistas com os quais trabalha, então fica mais fácil de navegar conforme seu próprio gosto. E aí depois você poder dar continuidade à relação com a galeria ao longo do ano.

PROGRAMAÇÃO

Foto: Galeria Superfície

+ Videoartistas, pintores, performers e artistas conceituais que produziram entre os anos 1950 e 1980 ganham destaque no setor Masters (antes chamado de Repertório), que busca apresentar ao público trabalhos relevantes que, por motivos diversos, tenham sido pouco expostos. A seção conta, nesta edição, com a curadoria de Tiago Mesquita, que herda o lugar de Jacopo Crivelli Visconti. Crítico e professor de história da arte, ele fez um recorte de projetos históricos do período pós-Segunda Guerra Mundial, realizados todos por artistas de países do sul. A seleção traz obras de caráter de vanguarda e com tom crítico assinadas por nomes como Analívia Cordeiro, Lygia Pape, Lothar Charoux, Carlos Fajardo, Ridyas e Rubens Gerchman (foto acima).

+ Diretor artístico da Verbo – Mostra de Performance e Arte, Marcos Gallon assume a curadoria do setor Performance, que deixa de ter um espaço específico e volta a ocupar diferentes áreas do evento. Entre os seis nomes selecionados, Cadu, representado pela Vermelho, parte do mito grego das Moiras e convida tricoteiras para a criação de um trabalho que deixará vestígios pelos corredores do Pavilhão. Já Cristiano Lenhardt, representado pela Fortes D’Aloia & Gabriel, conta com o apoio de Ayla de Oliveira para criar roupas e objetos cênicos com recortes de jornais, em meio a entoação de prosas poéticas.

Foto: Ayrson Heráclito/Portas Vilaseca Galeria

+ Dedicada à realização de mostras individuais de artistas contemporâneos, a seção Solo vai destacar a produção artística da América Latina. Responsável pelo setor nesta edição, a curadora chilena Alexia Tala propõe desconstruir aquilo que considera uma ‘visão eurocêntrica’ que a América Latina tem de si. Galerias internacionais como a IK Projects, de Lima, e a Patricia Ready, de Santiago do Chile, estreiam neste eixo curatorial, que exibirá obras de artistas como o brasileiro Ayrson Heráclito (foto acima), o paraguaio Feliciano Centurión, a peruana Nicole Franchy e a chilena María Edwards.

+ Novidade nesta edição, o setor OpenSpace apresenta 17 esculturas e instalações de 15 artistas, em uma seleção realizada pelo curador Cauê Alves, diretor do MuBE, a partir de reflexões sobre a ideia de monumento, a autonomia das obras e a interação com o espectador. Trabalhos de nomes como Hélio Oiticica, Eduardo Navarro, André Komatsu, Cláudia Jaguaribe, Janaína Mello Landini e Luciano Zanette poderão ser vistas no entorno do Pavilhão. Para facilitar a visita, é possível conferir no site do evento um mapa interativo com informações sobre cada uma das obras: bit.ly/opspace19

+ Especialistas em áreas como literatura, arquitetura, artes visuais e design vão conduzir o público em visitas gratuitas pelo interior do Pavilhão. Temas como as relações entre arte, gênero e política vão pautar os circuitos, que terão partidas a cada 30 minutos, das 14h às 18h30 (7/4, 13h/17h30). As inscrições devem ser feitas no balcão de visitas, situado no segundo piso.

HORÁRIO ESTENDIDO

Foto: Leo Eloy

+ Mais uma edição da Gallery Night ganha espaço na SP-Arte. Antes mesmo da abertura do evento, o público poderá participar de um circuito entre galerias da cidade, que estendem seus horários de funcionamento, realizam inaugurações de mostras, entre outras atividades especiais com entrada gratuita. Na 2ª (1º), na região de Pinheiros e Vila Madalena, locais como a Choque Cultural (R. Medeiros de Albuquerque, 250) e a Galeria Millan (R. Fradique Coutinho, 1.360/1.416) funcionarão até as 21h. O mesmo ocorre na 3ª (2) em espaços da região dos Jardins, do Itaim Bibi e da Vila Nova Conceição, como a Almeida e Dale (R. Caconde, 152) e a Galeria Marcelo Guarnieri (Al. Lorena, 1.835). A programação ainda traz atrações como uma visita guiada na Bolsa de Arte (R. Mourato Coelho, 790), na 2ª (1º), às 18h, com o artista Carlos Vergara, e outra na Zipper Galeria (R. Estados Unidos, 1.494), na 3ª (2), às 19h30, com Janaina Mello Landini. Também na 3ª (2), das 20h às 22h, a Bergamin & Gomide promove a exibição de um documentário em torno da exposição atual no local, que reúne obras de Antoni Tàpies.

DE PERTO

+ Buscando aproximar o público com os bastidores da produção dos artistas, a SP-Arte organiza no sábado (30) o Circuito Ateliês Abertos. Das 14h às 18h, na região central, será possível visitar gratuitamente espaços como o Atelier do Centro (R. Teodoro Baima, 39, 3129-3977), que reúne artistas como Rubens Espírito Santo, Anna Israel e Felipe Góes, além de ateliês individuais de nomes como Pedro Caetano (Av. Ipiranga, 104, conj. 213) e Sofia Borges (R. Antônio de Godói, 83). Das 17h às 21h, também dará para visitar estúdios na Vila Madalena, como o Projeto Fidalga (R. Fidalga, 299), que reúne artistas como Albano Alfonso, Ding Musa e Sandra Cinto.

Foto: Amanda Perobelli/Estadão

+ Localizado ao lado do Pavilhão, o Auditório do MAM será palco do Talks, ciclo de debates gratuitos (entrada sujeita à lotação do espaço) entre curadores, pesquisadores e diretores de instituições artísticas. Em 6/4, das 16h às 17h, os curadores Paulo Miyada e José Esparza Chong abordam a retomada da internacionalização da arte brasileira e latino-americana, em conversa mediada pela chilena Alexia Tala, curadora do setor Solo. Em 7/4, das 16h30 às 17h30, os antropólogos Hélio Menezes e Lilia Schwarcz (foto acima) conversam com a curadora Diane Lima sobre suas experiências em torno de novas narrativas curatoriais. Já o segundo andar do Pavilhão dará espaço para o Meet the Artists, ciclo de conversas entre artistas e curadores, como em 5/4, das 17h às 18h, entre Daniel Lannes e Jailton Moreira, e em 6/4, das 15h às 16h, entre Pedro Motta e Cauê Alves.

EM SINTONIA | CONFIRA BOAS INAUGURAÇÕES EM GALERIAS DA CIDADE

+ De 2ª (1º) a 18/5, a Galeria da Fortes D’Aloia & Gabriel (R. Fradique Coutinho, 1.500, V. Madalena, 3032-7066) apresenta ‘O Alienista’, exposição com esculturas, pinturas e vídeo da mineira Rivane Neuenschwander. Já o Galpão (R. James Holland, 71, Barra Funda, 3392-3942) recebe, de 5ª (4) a 18/5, ‘Sol a Pino’, individual de Nuno Ramos, com a pintura como elemento central, além de desenhos e vídeos de performances recentes. 10h/19h (sáb., 10h/18h; fecha dom. e 2ª). Grátis.

+ Sétima exposição individual de Sandra Cinto na Casa Triângulo, ‘Noturno’ apresenta uma instalação imersiva monumental, que propõe reflexões sobre a produção gráfica da artista e cujo título remete a uma peça de piano de expressão mais intimista. R. Estados Unidos, 1.324, Jd. América, 3167-5621. Inauguração: sáb. (30), 14h/18h. 10h/19h (fecha dom.). Grátis. Até 18/5.

Foto: Laís Amaral

+ A exposição ‘Talismã: Uma Profecia da Cor’, com curadoria de Marc Pottier, ocupa a Baró Galeria com uma seleção de 20 pinturas da artista Maria Lynch (foto acima). Produzido entre 2018 e 2019, o conjunto é marcado por composições abstratas e conceituais, produzidas com cores fortes e contrastantes. R. da Consolação, 3.417, Cerqueira César, 3661-9770. Inauguração: 3ª (2), 10h/21h. 10h/19h (sáb., 11h/19h; fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 18/5.

+ A Sim Galeria apresenta ‘Iron Mountain’, exposição que destaca as investigações do artista holandês Frank Ammerlaan em diferentes materiais, que incluem chapas de chumbo galvanizado, partículas de meteorito e telas de linho cru desgastadas pela ação do tempo. A curadoria é de Kiki Mazzucchelli. R. Sarandi, 113, Cerqueira César, 3062-8980. Inauguração: sáb. (30). 10h/19h (sáb., 10h/15h; fecha dom.). Grátis. Até 23/5.

Foto: Vicente de Mello

+ A Galeria Raquel Arnaud apresenta duas exposições. ‘Frida Baranek – Liminaridade’ (foto acima) reúne nove esculturas resultantes da experiência da artista em um voo parabólico, a partir do qual ela passou a explorar a noção de aceleração em suas obras. Já ‘Ricardo Ribenboim – De Tudo Fica um Pouco’ conta com 20 pinturas inéditas do artista, que completa 50 anos de carreira em 2019. R. Fidalga, 125, V. Madalena, 3083-6322. Inauguração: sáb. (30), 11h/18h. 10h/19h (sáb., 12h/16h; fecha dom.). Dom. (31), 12h/18h. Grátis. Até 8/6.

+ Individual de Augusto de Campos na Luciana Brito Galeria, a exposição ‘Poemas e Contrapoemas’ contempla seis décadas de produção do artista, desde poemas seminais até trabalhos inéditos, produzidos recentemente. Um dos destaques é ‘Luxo’, de 1965, construído sobre a tipografia ‘kitsch’ de um anúncio de apartamentos de luxo. Av. 9 de Julho, 5.162, Bela Vista, 3842-0634. Inauguração: sáb. (30). 10h/19h (sáb., 11h/ 18h; fecha dom.). Grátis. Até 30/3.

Foto: Estúdio Vergara

+ Na Galeria Bolsa de Arte, a produção recente de Carlos Vergara (foto acima) ganha destaque. Sob curadoria de Luisa Duarte, são exibidas cinco séries baseadas em expedições que o artista fez à Serra do Bodoquena (MS) e em suas viagens pelo mundo, incluindo grandes esculturas, trabalhos em asfalto e sudários. R. Mourato Coelho, 790, V. Madalena, 3812-7137. Inauguração: sáb. (30), 12h/17h. 10h/19h (sáb., 11h/17h; fecha dom.). Grátis. Até 11/5.

Foto: Emmathomas Galeria

+ A Emmathomas Galeria recebe ‘Equação das Cores’ (foto acima), exposição individual do escocês Daniel Mullen, que apresenta um conjunto de pinturas abstratas, a partir das quais propõe uma experiência sensorial. Al. Franca, 1.054, Jd. Paulista, 3045-0755. Inauguração: sáb. (30). 11h/19h (sáb., 11h/15h; fecha dom.). Grátis. Até 4/5.

Foto: Marcel Giró

+ Na Galeria Simões de Assis, ‘Eixo-Êxtase Interações Entre Fotografia e a Arte Modernista no Brasil’, com curadoria de Eder Chiodetto, reúne nomes que revolucionaram a fotografia e artistas que os influenciaram. Obras de fotógrafos como Geraldo de Barros e Marcel Giró (foto acima) são exibidas com pinturas e esculturas de nomes como Maria Martins e Willys de Castro. R. Sarandi, 113, Cerqueira César, 3062-8980. Inauguração: sáb. (30), 11h. 10h/19h (sáb., 10h/15h; fecha dom.). Grátis. Até 11/5.

Foto: Galeria Lume

+ A exposição ‘Serenata’ (foto acima) leva à Galeria Lume desenhos e esculturas de Florian Raiss, artista brasileiro morto em 2018. O conjunto de 30 obras – com oito delas inéditas – revela ao público os caminhos que ele costumava trilhar entre o universo racional, com questões existenciais, e o fantástico, com figuras como centauros e sereias e outras criaturas de seu mundo onírico. R. Gumercindo Saraiva, 54, Jd. Europa, 4883-0351. Inauguração: 3ª (2), 19h. 10h/19h (sáb., 11h/15h; fecha dom.). Grátis. Até 31/5.

+ A Galeria Leme/AD promove mostra de Thiago Martins de Melo, mais novo integrante de seu time de artistas. Em ‘Necrobrasiliana’, o maranhense, atuante em São Luís, exibe trabalhos inéditos, em suportes diversos, nos quais lida com conceitos relacionados à morte para tratar de questões históricas brasileiras, resgatando desde figuras emblemáticas até imagens arquetípicas. Av. Valdemar Ferreira, 130, Butantã, 3093-8184. Inauguração: sáb. (30), 13h. 10h/19h (sáb., 10h/17h; fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 4/5.

Mais conteúdo sobre:

sp arteArte em São Paulo