As escolhas dos músicos para ouvir na quarentena
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As escolhas dos músicos para ouvir na quarentena

Redação Divirta-se

31 de março de 2020 | 05h00

Danilo Casaletti, Especial para o Estado

Qual música faria você esquecer a dureza dos noticiários em tempos de pandemia do coronavírus? Ou abstrair a solidão que o isolamento social desperta?

Elba Ramalho indica o álbum de seu filho Luã. Foto Daniel Teixeira/Estadão

Nuvem Cigana, do álbum Clube da Esquina, pode trazer a leveza e a liberdade de uma dança. Fotografia 3×4, de Belchior, diz que a dor tem o poder de trazer a alegria. A Ordem Natural das Coisas, do rapper Emicida, descreve o nascer do sol e coisas banais do dia a dia, como o som das crianças a caminho da escola – cena que parece já distante.

A experiência com a música é particular, conforme afirma a coordenadora da pós-graduação em Musicoterapia Aplicada da Faculdade Santa Marcelina, Rita de Cássia dos Reis Moura. “Pode ser que eu coloque new age ou música clássica para você relaxar, mas você não consiga. O relaxamento pode vir com um rock, por exemplo”, diz.

Seja qual for a escolha, a música tem, segundo Rita de Cássia, o poder de diminuir o desconforto causado pelo medo e pela angústia – sentimentos comuns neste momento. “Ela abaixa a frequência cardíaca, o nível de estresse, autorregulando a agitação interna”, completa.

O Estado pediu que cantores, compositores e músicos de diferentes estilos e gerações apontassem um disco ou um artista significativo que poderiam trazer alívio em tempos de apreensão mundial. A lista é eclética e não traz nenhuma repetição – prova de que a música, de fato, é uma vivência absolutamente pessoal. Você pode ouvir as canções aqui.

EM ALTO E BOM SOM

Clube da Esquina 1 – Milton Nascimento e Lô Borges
“Foi o disco que mudou a minha vida.” Simone, cantora

Clube da Esquina, a escolha da cantora Simone

Letrux aos Prantos – Letrux
“A música que representa tudo o que estamos vivendo foi feita, premonitoriamente, pela Letrux, que é Alinhamento Energético (Fafá a gravou em seu mais recente disco, Humana). O disco dela toca a emoção em um momento em que a congelamos. É uma artista jovem, falando para um público igualmente jovem, mostrando que não temos que ter medo de chorar. É um disco absolutamente lindo e fundamental.” Fafá de Belém, cantora

AmarElo – Emicida
“Emicida é um talento como compositor, poeta e rapper. Esse disco é uma prova disso. Tenho a alegria de ter participado de uma das faixas (Pequenas Alegrias da Vida Adulta), e de ter duas parcerias com ele no meu novo disco, Cinzento.” Marcos Valle, cantor e compositor

Tudo em Mim Anda a Mil – Vange Milliet
“Essa artista paulistana é uma herdeira direta da Vanguarda Paulista e faz uma ponte dessa vertente da música brasileira com outros estilos, inclusive, com a música africana. Em hora de crise, é sempre bom ouvir as mulheres. E ela é assertiva em qualquer momento.” Chico César, cantor e compositor

Guerreira Clara Nunes
“Clara Nunes foi a primeira mulher a vender 100 mil discos no Brasil em um momento crucial em que ajudou a exercer o sincretismo e desmotivar o preconceito religioso. As músicas abrangiam ritmos muito variados, com letras riquíssimas que descreviam o povo brasileiro em todas as regiões. Tem um ponto crucial, que é a positividade e força necessária para este momento.” Vanessa da Mata, cantora e compositora

Lyle Mays (1986) – Lyle Mays
“Falecido recentemente, ele foi uma de minhas maiores influências e tinha seu estilo único de encarar o piano como uma orquestra, um veículo para construções e arcos magistrais. Curiosamente – mas não tanto – esse álbum foi ignorado à época de seu lançamento e teve até resenhas negativas em revistas especializadas. Hoje é visto como obra-prima.” André Mehmari, pianista

Alucinação – Belchior
“Sempre atual, aborda assuntos profundos de forma simples e transcendental. Quanto mais escuto esse disco, entendo que a arte e a música possuem um papel fundamental e existencial que toca o que há de mais perene na alma humana. Um poeta cearense genial que foi capaz de traduzir a angústia, o delírio e o amor humanos em melodias eternas e letras muito contemporâneas.” Ana Cañas, cantora

‘Alucinação’, a escolha de Ana Cañas

Antonio Saraiva – Antonio Saraiva
“Neste momento, é preciso acalmar as ansiedades e nervosismos, e esse álbum do compositor, arranjador e instrumentista Antonio Saraiva me leva para esse lugar.” Alexandre Nero, ator, cantor e compositor

Espírito de Tudo – Maria Alcina
“É um disco muito especial em que Alcina canta com sua voz peculiar canções menos óbvias de Caetano Veloso. Uma pequena pérola!” Zeca Baleiro, cantor e compositor

Djavan
“Ouçam a obra do Djavan. Ele viaja em todos os sons. A voz, o jeito de tocar violão. Não há nada igual.” Mart’nália, cantora

Rastilho – Kiko Dinucci
“Kiko nos convida a criar e ir além na verdade e na emoção que só a canção pura nos fazer sentir: raízes e fé.” Criolo, cantor e compositor

Elton Medeiros (1980)Elton Medeiros
“O próprio Elton me confidenciou inúmeras vezes que esse álbum era o predileto dele. Ele não achava isso à toa: um dos maiores melodistas deste País fez um disco perfeito. É para ouvir sem parar, do início ao fim. Ouço todos os dias desta quarentena.” Teresa Cristina, cantora

Vendedor de Sonhos – Vários Artistas
“Vou sugerir o disco sobre a obra de Fernando Brant. Um trabalho lindo com canções de um grande letrista e poeta – dele com vários parceiros –, que falam de amor, de humanismo e de um Brasil que nos prometeram.” Joyce Moreno, cantora, compositora e instrumentista

Entren Los Que Quieran – DCalle 13
“Para mim, esse disco é uma perfeição. A produção, a letra, a narrativa, as ironias e histórias que aparecem nesse álbum fazem dele o que considero mais importante nos anos 2000. A todo momento que estou em dúvida de o que quero fazer, uso-o de referência e tento alcançar algo tão completo quanto ele. Mateo Piracés-Ugarte (Francisco, El Hombre)

Court and Spark – Joni Mitchell
“Essa pausa forçada me fez dar um mergulho nas minhas influências mais fortes. Outro dia, acordei ouvindo Itamar Assumpção, Elis & Tom. E também me ligo em algumas lives, para conhecer artistas novos. Recomendo o Festival Abre a Janela, pelo Instagram.” Zélia Duncan, cantora e compositora

Amoroso – João Gilberto
“Aumente o volume e jogue para o quarteirão todo ouvir o mestre, o pai de todos. Ouvindo apenas este álbum se vive abastecido de belezas para uma vida inteira. Não é exagero. É assim mesmo. Tem tudo ali dentro. João na plenitude de voz, violão, divisões e repertório. A sonoridade de tudo é perfeita, os arranjos são antológicos, do deus Claus Ogerman. Pode ouvir em todos os momentos desse longo estirão de impositiva reclusão. A música opera milagres e é uma grande companheira. Sei bem disso.” Leila Pinheiro, cantora

Catch a Fire – Bob Marley e The Wailers
“Nessa temporada de confinamento, esse disco tem funcionado muito pra mim, porque eu tenho feito mais tarefas domésticas, exercícios físicos em casa… Ao mesmo tempo em que eu estou fazendo as coisas, as músicas dele me ajudam a relaxar, a refletir. Acho que todo mundo está vivendo essa fase de autorreflexão, e essas músicas do Bob me ajudam com isso.” Rael, rapper

Stevie Wonder, a escolha de João Marcelo Bôscoli

Songs In The Key of Life – Stevie Wonder
“Um álbum ouvido por mim aos 7 anos de idade que traz, além de memórias deliciosas, uma gama incrível de sentimentos, gêneros musicais e genialidade artística. É Stevie Wonder em um dos seus ápices, mostrando melodias, acordes, ritmos e letras memoráveis. Timbres, paisagens sonoras e verdadeiros universos musicais. Um presente do destino; uma obra-prima. Vale cada segundo. Um dos melhores trabalhos artísticos do século 20. João Marcello Bôscoli, produtor musical

The Freewheelin’ – Bob Dylan
“Eu ganhei esse disco do Bob Dylan com 10 anos de idade, quando morei em Los Angeles, nos Estados Unidos. Foi uma amiga de minha mãe quem me presenteou. Mal sabia ela que estava me jogando de cabeça no rock, de boas letras, rebeldia e contestação.” Guto Goffi, baterista

Sambas
“Para a gente tentar quebrar o gelo nesse período tão difícil em que estamos cada um no seu cantinho, preparei uma playlist exclusiva lá no Spotifybrasil com sambas alto-astral para dar uma animada em todo mundo.” Diogo Nogueira, cantor

Beethoven: Symphonies Nº 4 & 7 – Herbert von Karajan e Orquestra Filarmônica de Berlim
“Minha dica pode parecer estranha, vinda de um roqueiro, mas eu os convido a ouvir a 7ª Sinfonia de Beethoven. Para mim, a mais bonita de suas nove. É forte, vibrante e emocionante. Alguns a reconhecerão, pois seu segundo movimento fez fundo à clássica cena de O Discurso do Rei, Oscar de Melhor Filme de 2011. Toque alto em casa. Se se empolgar, viaje nas outras também.” Bruno Gouveia (Biquini Cavadão), cantor e compositor

Bom Maldito – Gui Fleming
“Gui é um jovem artista, compositor de uma turma muito interessante aqui do Rio de Janeiro, da qual fazem parte Chico Chico, Julia Vargas, Daíra, Posada. Gui tem influências do tropicalismo e algo de Itamar Assumpção e Tom Zé.” Ana Costa, cantora

Nomade Orquestra – Nomade Orquestra
“Música instrumental que te ‘teletransporta’ para diversos cenários. A mistura étnica dos instrumentos e os temas que a banda aborda são uma boa pedida para essa quarentena.” Edgar, cantor e compositor.

Essenímico – Luã Yvys
“Sugiro o primeiro álbum solo do meu filho, Luã. Tenho feito várias postagens ouvindo o disco dele.” Elba Ramalho, cantora

Tudo o que sabemos sobre:

Coronavírusmúsica

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: